DEU NO JORNAL

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens, elogiou a escolha de Alexandre Ramagem para a direção-geral da PF, que a entidade considera “perfeitamente qualificado para o cargo e tem o respeito da categoria”, e demoliu a fantasia de muitos políticos e jornalistas hostis ao governo: “até agora, não houve interferências nas investigações em andamento”, garante.

Porque seria crime, sem chance de não ser levado a termo, denunciado à Justiça.

Boudens lembrou que nomear diretor da PF é prerrogativa do presidente e a lei não fala em “mandato” e nem o obriga a explicar essa escolha.

Para Boudens, se havia “interferência”, o então ministro Sergio Moro tinha o dever de denunciar no ato, sob pena de crime de prevaricação.

* * *

Falou quem tá por dentro.

Acho, penso, desconfio que está por dentro.

Falou, tá falado.

Nada tenho a declarar.

9 pensou em “FALOU QUEM É DE DENTRO E ESTÁ POR DENTRO

    • Não . A culpa seria dele mesmo .
      Mas já pensou na outra possibilidade , a dele ter provas ?
      Ah , vai responder por prevaricação . Existe este processo para um civil fora de governo?

  1. Ele falou dias atras em uma entrevista a JP . Me pareceu até que o apresentador tentou levar para um lado , mas a resposta foi esta mesmo. Tem vídeo no Youtube .

Deixe uma resposta