DEU NO JORNAL

Leandro Ruschel

A extrema-esquerda comemora a derrubada de uma norma do Conselho Federal de Medicina que proibia uso de assistolia fetal para matar bebês, em casos de abortos previstos em lei, como estupros.

O procedimento é utilizado para matar bebês com mais de 22 semanas.

“A partir das 22ª e 23ª semanas de idade gestacional, os fetos precisam ser identificados como periviáveis, isto é, como detentores do direito à vida, e devem receber assistência conforme sua vulnerabilidade”, diz a norma do CFM.

Segundo o relator Raphael Câmara, o CFM não está contra os casos de abortos previsto em lei, mas após 22 semanas os casos não configurariam mais aborto, mas antecipação de parto. Para ele, o normal é “um ato civilizatório de se impedir de matar um bebê de oito, nove meses”.

O ministro Alexandre de Moraes suspendeu liminarmente a decisão. O portal do Supremo traz a seguinte explicação:

“Ao conceder a liminar, o ministro Alexandre de Moraes afirmou que, aparentemente, o Conselho ultrapassou sua competência regulamentar impondo tanto ao profissional de medicina quanto à gestante vítima de um estupro uma restrição de direitos não prevista em lei, “capaz de criar embaraços concretos e significativamente preocupantes para a saúde das mulheres”.

No caso de gravidez resultante de estupro, explicou o ministro, além do consentimento da vítima e da realização do procedimento por médico, a legislação brasileira não estabelece expressamente quaisquer limitações circunstanciais, procedimentais ou temporais para a realização do chamado aborto legal.”

Ou seja, o que o ministro está alegando é que um bebê de 9 meses pode ser morto no ventre da sua mãe, caso a mãe alegue estupro, pois a lei não define qualquer limitação, nesses casos.

Só há um problema: a Constituição Federal, em seu artigo 5º, caput 1, estabelece, como um dos seus princípios basilares, o direito inviolável à vida, sendo certo que o Código Civil Brasileiro (Lei nº 10.406/2002) dispõe, em seu artigo 2º, que a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro.

Há algum direito humano mais sagrado do que o direito à vida?

O fato do direito de matar um bebê completamente formado estar sendo discutido, quanto mais liminarmente concedido, demonstra o colapso moral da sociedade brasileira.

Vivemos em pleno estado de barbárie.

4 pensou em “EXTREMA-ESQUERDA COMEMORA AVANÇO DA LEGALIZAÇÃO DA MORTE DE BEBES

  1. Se você tem um cão que compartilhou 15 anos de sua vida só lhe dando alegrias e companheirismo.

    Este cão hoje está velho e tem alguma doença que o faz sofrer, você não pode procurar um Veterinário para lhe aplicar uma injeção para atenuar seu sofrimento e ter um final digno, pois o Conselho dos Veterinários proíbe tal procedimento.

    A injeção é a mesma que seria aplicada em um bebê de 6 meses do caso acima; um bebê, que se fosse retirado do útero por cesariana iria sobreviver bem em uma UTI neonatal.

    Pois bem, o Conselho Federal de Medicina tomou para com os bebês a mesma medida do Conselho dos Veterinários, que proibiu matar animais em estado terminal.

    O que eu quero mostrar é que a vida de um bebê, para este pessoal do PSOL e do STF, vale menos que um animal terminal, que pede um fim decente.

  2. Como bem disse o jurista Dr.Ives Gandra: ” É cruel afirmar que o bebê em gestação não tem direito à vida,no Brasil, quando a lei considera crime destruir ovos de tartaruga.”

    PS-Duvido que todos esses psicopatas,como Alexandre Imoral e toda a canalha esquerdista,tenham completo conhecimento das técnicas diabólicas do aborto.

    PS2-Aborto pós-nascimento é um eufemismo para homicídio infantil institucionalizado.
    Liberar tal atrocidade e destinar o médico(a) a realizar tais procedimentos é abrir mão da medicina como profissão defensora da vida e da dignidade do ser humano.
    Fonte: Gazeta do Povo.

    PS3- Dica de leitura: The Hand of God (recentemente lançado no Brasil como a “Mão de Deus”) onde arola as técnicas utilizadas para tirar a vida de seres humanos no ventre materno.

    PS4-ABORTO É ASSASSINATO. PONTO!

  3. Fazer aborto nela esse estrupício não quis né? É só para os outros. É igual ao caso da água no RS quando o chefe do MERDA não quis tomar a água com nojinho. É só para os outros. TROUXA VOCÊ QUE APOIA ESSA TRUPE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *