DEU NO TWITTER

* * *

É porque nós, os negros pretos, somos muito contagiosos e espalhamos vírus pelo mundo de forma exponencial.

Por isso fomos os primeiros a tomar.

Tomar no braço ou na bunda.

Daí o destaque que temos na mídia colorida de Banânia.

É só isso.

16 pensou em “EXPLICAÇÃO

  1. Deve ser a babaquice do politicamente correto, que fala em pagar a dívida histórica que a sociedade tem com os negros. Mas ao invés de lhes dar oportunidade de estudar a sério para disputar o mercado de trabalho em condições de igualdade, que é o que vai terminar com o fosso que os distancia do resto da sociedade, preferem dar-lhes quinquilharias enganosas, como os descobridores faziam com os índios. Dão-lhes aula de capoeira, batuque, prioridade para tomar a Vachina Doriana, cotas em faculdades que não ensinam nada, cota para entrarem na política e aprenderem a roubar sem serem presos e outras “compensações ” que não pagam dívida nenhuma.

  2. Possivelmente, é porque os negros constituem 75% entre os brasileiros mais pobres. Consta serem os de declarada raça negra 50 por cento da população total, mas se fizerem teste de DNA nessa turma até o Fernando Henrique Cardoso tem um pé na cozinha.
    Quando entras em um hospital público, vai observando para ver que a maior parte é de pele escura e não é de praia não.
    Aí, fica tuddo e4xplicado, sem qualquer babaquice de achar que é resgate social.
    Alguém me explica as contradições aplaudidas? É dito que é para dar oportunidade aos pretos de estudar a sério e disputar em igualdade de condições no mercado de trabalho, mas a ´política de cotas é condenada, aí mela tudo eu fico sem entender o raciocínio de como seria essa capacidade de dar oportunidade de estudar a sério sem abrir vaga.
    Acho o raciocínio da direita tão confuuuusooo…

  3. Constituem os 75% mais pobres? Ué, não seriam prioridade os profissionais da saúde, os mais velhos e os com comorbidades primeiro? Ou alguma coisa do discurso era só discurso? Acho o raciocínio da esquerda tão confuuusooo…

  4. Uma piada sem pé nem cabeça. “Possivelmente, é porque os negros constituem 75% entre os brasileiros mais pobres.” O que é que tem o .u com as dorias?

  5. Sérgio Melo, vou desenhar para tu: Os pretos são os que estão senedo vacinados porque quando eles vão selecionar é tudo preto!
    Vai nos hospiteais públicos, começa pela atendente, é preta, a auxiliar de enfermagem, é preta, o auxiliar de limpeza, é preto, aí seleciona um pelo nome para ser o primeiro para vacinar, a pessoa é chamada, atende, vai lá, entera na sala, surprtesda! é uma pessoa preta! Por quê? Oras, porque 75 por cento do pessoal é preto, ou o que foi convencionado chamar de pardo, que a gente chamava de mulato ou moreninho. Só os médicos não são tão pretos assim.
    Ando achando os bolsonaristas tão devagar no raciocínio…
    Deve ser influência de John Macdonald’s Trump, não necessariamente newssa ordem.

    • Pois desenhou muito mal. Saiu uma mistura de Picasso com Dali. Tem os que entendem essas coisas e gostam muito e tem os que gostam dos clássicos, aqueles que batemos os olhos e identificamos o tema. Sou desses.
      O que quero saber é por que tem que enfiar questões raciais, percentuais destes ou daqueles, se é pobre ou rico…Somos todos humanos e os mais vulneráveis tem que ser a prioridade, sem rotulagem.
      Essas bobagens de dividir a população em cartelas de cores, níveis de renda, conhecimento e outras “pautas” que alguns gostam tanto de destacar, tentando fazer política com essa meleca, deveriam ser deixadas de lado nesse momento. Passado tudo isso, se acharem que vale mesmo a pena se empenhar nisso, vão lá, não passem vontade.

      • Sérgio, uma coisa é usar as questões raciais, outra coisa é elas se imporem.
        É isso que eu desenhei: os pretos foram os primeiros vancinados, nas apresentações formais de inauguração da vacina, porque quando tu esticas a mão no meio da pobreza e puxas um ao acaso vem um preto, porque eles constituem pelo menos 75% dos pobres.
        Insisto em rotular, se não rotulamos, como saberemos quem é quem? quem é vulnerável? quem é preto? quem é pardo? quem é esquerda|? quem é vinho? quem é cerveja?
        Corremos o risco de beber veneno se não colocarmos o rótulo da caveirinha no frasco!
        Nós não dividimos a população em cartelas de cores, níveis de renda, conhecimento e outras pautas, é a população que tem cores variadas, níveis diversos de renda, e cultura diferenciada – e isso precisa ser considerado na aplicação das políticas públicas.
        Eu me rotulo: sou de esquerda. Mas não é o rótulo que me faz de esquerda, o rótulo apenas me identifica como esquerdista. Assim, quando fores votar, caso eu seja candidato saberás que não estás votando em um cara que pensa como Donald John Trump, nem como Jair Messias Bolsonaro.

        • Como gostam de falar nossos causídicos, no caso em concreto não foi uma coisa aleatória. Não abriram a sala de espera a deram de cara com uma pessoa…..negra. Oh! Surpresa das surpresas! Uma negra! Que raridade!. Vindo de um canalha como Joãozinho “Arrocha Uzóvo” Dória, cujo santíssima esposa falou que pobres sofrem porque querem, foi tudo de caso pensado. Ele tinha que fazer seu showzinho e se passar por preocupado com os mais carentes. E quem melhor se adequa a isso? Só que os trambiqueiros armam tanto e mentem com tanta frequência que acabam por embaralhar as situações e esquecendo detalhes. Os aspones do “Aperta-Perú” não avisaram que a senhora (negra, como convém) convidada para o show tinha participado dos testes da Vachina Doriana e contemplada com duas doses do imunizante Xing Ling. Para quê uma terceira? É uma questão de marketing, estúpido!

  6. Na condição de Editor do JBF, peço três vezes por dia:

    “Meu Senhor do Bonfim, dai paciência pra mim”.

    E o santo sempre me atendeu.

    Mas, nos últimos tempos, eu desconfio que o caridoso canonizado tá me deixando na mão.

    Tô perdendo a paciência com facilidade.

    Vou redobrar a dose: passarei a rezar seis vezes por dia.

Deixe uma resposta