RODRIGO BUENAVENTURA DE LÉON - LIVRE PENSADOR

Voltei!

Depois de quase quatro meses desaparecido, voltei! Não quero justificar o passado, mas 2021 foi um ano muito difícil para mim.

Primeiro toda esta pandemia ou pandemônio, que veio e ficou; um pouco de depressão, não por ficar preso em casa, mas pela idiotização mundial que observava desta minha reclusão involuntária.

A reclusão ou isolamento inútil, como queiram, me fez muito mal, não poder trabalhar como sempre trabalhei, dar minhas aulas, estar entre os alunos, me adoeceu por dentro. Vejam que ironia, servidor público reclamando que não pôde trabalhar, a maioria das pessoas reclama de trabalho em excesso e, eu de trabalho em recesso.

Mas não foi isso que me afastou da Besta Fubana e, do convívio dos amigos e irmãos do JBF, foram coisas que fugiram ao nosso desejo e ou vontade.

Primeiro um acidente idiota que eu sofri. Idiota porque eu fui um imbecil que caiu do telhado, arrumando uma antena de rádio e, isto me deixou de molho por quase 2 meses. Inclusive com as mãos cortadas, sem poder escrever.

Depois, um advento triste. Minha mãezinha adoeceu e acabou hospitalizada na UTI por quase 60 dias, vindo a falecer. Foi um impacto muito grande que me fez refletir e ficar afastado de tudo, fazendo apenas o essencial.

Antes que os plantonistas do apocalipse pensem ou digam, minha mãe não morreu de Covid. Morreu do agravamento de doenças cultivadas por muitos anos, na alegria, ânsia de viver e teimosia, daquela castelhana brigona. Após a perda de uma sobrinha querida ela acabou adoecendo, se despedindo de nós e deixando-nos a lembrança de seu viver alegre e barulhento. Mas como filho único foi difícil suplantar os 49 anos que ela dedicou a mim.

Por isso fiquei um pouco afastado tanto do JBF quanto do Cabaré Do Berto. Aliás minha última participação no Cabaré do Berto, como Mercedita, deu-se uma semana antes da passagem de mamãe. Depois disso avisei Berto e preferi ficar na minha.

Claro que continuo lendo diariamente o JBF, me informando e rindo com as bobagens, verdades e obras de nossos caros colunistas.

Agradeço ao irmão Papa Berto pela compreensão de permitir que esse colunista se ausentasse do trabalho por tanto tempo. E, lhes confesso que muitas vezes após as leituras matinais e reflexões durante o uso do trono e do banho, imaginava e delineava colunas com comentários sobre o cotidiano a política e toda esta m… que ocorre em nosso Brasil. Mas faltava-me ânimo de escrever.

Agora, no primeiro dia do Ano-Novo, renovo-me para a vida. Como dizia minha mãe: “Morreu, lembre-se de tudo de bom que viveram juntos; mas, passou. Vá viver!”

Portanto deixo de lado o luto pois, 2022 é um ano muito importante para todos nós, ano decisivo para o nosso Brasil. E aqui estaremos no nosso compromisso de dizer aquilo que pensamos e achamos, lutando por um Brasil melhor, nas páginas do nosso JBF.

Meus amigos, confrades, irmãos, desejo a todos nós, um grande e feliz Ano-Novo. Que 2022 seja repleto de felicidades, de alegrias, de conquistas, de justiça e, de preferência, de vitórias políticas no nosso país. Que a pandemia se vá e, que o pandemônio acabe.

Voltarei a periodicidade semanal de minhas colunas, com aval é óbvio nosso caro editor e, em seguida escreverei aquilo que me foi solicitado, se não me engano por Maurício, sobre a decadência da universidade no mundo. Algo que interessantemente começa a ser discutido por outros intelectuais que citarei no texto.

Agradeço a compreensão e desejo de novo, um grande 2022.

Mestre Berto um grande e fraternal abraço e um ótimo Ano-Novo.

15 pensou em “EU VOLTEI…VOLTEI PARA FICAR…PORQUE AQUI É MEU LUGAR…

  1. Prezado Rodrigo,
    Quase não acreditei ao ler o seu texto, nestes primeiros momentos do primeiro dia do ano, pois era tudo o que queria ter escrito ao Berto a todos os amigos queridos aqui do JBF.
    Peço licença para fazer minhas – à exceção, naturalmente, das situações pessoais – as suas palavras.
    Ainda estou sem coragem, para retornar completamente, mas o que posso dizer é que o seu exemplo, seguramente, será um grande estímulo para mim.
    Um feliz e abençoado novo ano, para você, nosso querido líder Luiz Berto e toda a comunidade do JBF.

  2. Feliz ano novo a todos. Saúde, paz e prosperidade. Viva 2022 com vitórias para quem quer e sonha com um Brasil melhor, mais justo e SEM corrupção!!

  3. Dê cá um abraço, macho!
    Um quebra costelas nesse reencontro bom, nosso com você.
    Vamos seguir em frente, e que o “pra trás” seja das melhores lembranças.

  4. Seja benvindo, meu caro. Estava fazendo falta.
    Desejo-lhe um Feliz Ano Novo com muita saúde, paz, alegria e prosperidade. E, falando em alegria, não se esqueça desses seus leitores que muito alegres ficam com suas trampolinagens.
    Um grande abraço,

  5. Estava fazendo falta.
    Decerto que um retorno dessa natureza precede a muitos outros e, por que não imaginar, outras conquistas e realizações que o novo ano nos trará.
    Salve!!!

  6. A putésima “Sancha” vive me enchendo o saco, pois estava com uma puta saudade da puta querida, a pelotense Mercedita, que jamais corre do pau (kkkkkkkkk) e que vive a brincar com o zoiudinho Berto. Que toda a inspiração clame por textos seus, neste 2022, caríssimos irmãos Rodrigo e Mercedita. Que essa dupla maravilhosa volte a nos encantar com a graça de Mercedes e a maestria de Rodrigo.

    Um beijo em vossos corações e “senta a pua!!!! neste 2022, hermanos León.

    Abraçação e “vamu qui vamu”.

  7. Caro Rodrigo,

    Aguardamos ansiosamente as suas análises sempre altamente inteligentes.

    Um grande ano de 2022 para você e família. Para a frente é que se anda.

    P.S. Devias saber que se lasca mais gente consertando antenas e telhados que de covid-19.

  8. Solidarizo-me com sua perda Rodrigo, se o tempo não cura a dor da perda, pelos menos a alivia. O seu retorno a lide fubana fará bem a todos nos, inclusive para você. Rodrigo De Léon, receba um forte abraço de um amigo desconhecido .

  9. Seja bem-vindo, prezado colunista Rodrigo Buenaventura de Léon!

    “Ninguém se perde no caminho da volta. Voltar é uma forma de renascer.” (José Américo de Almeida).
    Seu retorno fará bem a você e ao JBF!
    As dores da alma demoram a passar. Umas não passam nunca, como a dor da perda de uma mãe. Mas, aos poucos ,aprendemos a conviver com as ausências.
    Minha solidariedade!
    Que o Ano Novo lhe traga muitas realizações, Serenidade, Saúde e Paz!

    Grande abraço!

  10. Rodrigo, inúmeras vezes pensei em ligar pra lhe falar saudade, mas tive um segundo semestre extremamente difícil, com viagens, mas na verdade procurei respeitar tua ausência por entender o momento. Sabia da queda, da situação de sua mãe e de modo muito semelhante esse sentimento experimentado por você não é todo desconhecido. Eu, que não sou Remo, e Rômulo, não mamamos numa loba, mas vivemos passando manteiga no pão que o diabo amassou.
    Então, meu caro, externo minha alegria com sua volta. Precisamos trabalhar por esse país porque enquanto você é uma mente brilhante, Lula mente brilhantemente.

  11. Prezados Amigos e Confrades,
    Preferi fazer uma única resposta à todos os carinhosos comentários. Somente um grupo de colegas e leitores do cacife do JBF consegue transmitir, com tanta eloquência, este carinho este apreço a um mero escrevinhador dos pampas.
    Muito obrigado amigos.
    Estamos juntos e, não esqueçam, em 2022, lacre 22!
    Um abraço

Deixe uma resposta