ADONIS OLIVEIRA - LÍNGUA FERINA

Fazem já dois anos que somos todos tem insistentemente bombardeados com notícias assustadoras sobre a terrível ameaça representada pelo surto do vírus Covid-19.

Em meio à intensa “barragem” de notícias veiculadas diuturnamente por todos os meios de comunicação, deparamo-nos também com algumas incongruências altamente absurdas e difíceis de serem engolidas por qualquer pessoa possuidora de um mínimo de bom senso, mesmo que desprovida de formação mais profunda na área médica ou matemática.

Em paralelo com a intensa e onipresente divulgação dos “fatos” relativos à pandemia, tudo a um estilo digno de Joseph Goebbels e em clima de filme de terror, criou-se um clima de perseguição feroz a todos aqueles que “ousassem” questionar as versões apresentadas, todas sempre citadas como sendo “científicas” e, portanto, devendo ser imunes a todo e qualquer tipo de questionamento.

1º FATO – Podemos verificar que o Covid 19 tem apresentado EXATAMENTE o mesmo padrão de aumento e diminuição na quantidade de pessoas contaminadas, ao longo dos mesmos intervalos de tempo apresentados pela “Gripe Espanhola” do início do século. Apresenta, inclusive, a mesmíssima curva de aumentos e declínios, assim como exatamente a mesma tendência a se exaurir ao final do 2º ano da pandemia.

Fico imaginando, cá com meus botões, que:

• Será que o declínio na quantidade de pessoas contaminadas se dá, primordialmente, devido ao aumento na quantidade de pessoas que já foram contaminadas pelo vírus e que, sobrevivendo, tonaram-se naturalmente imunes?

• Será que o crescimento nas contaminações em semelhantes ondas sucessivas, e em intervalos de tempo extremamente similares, se deu também pelo surgimento de novas variantes do vírus?

2º FATO – A indústria farmacêutica mundial lançou-se freneticamente à busca de vacinas que pudessem fazer frente à pandemia. Não dispondo de tempo suficiente para um desenvolvimento normal, e altamente motivadas pelos BILHÕES de dólares a serem arrecadados através da venda das referidas vacinas, fizeram uso de técnicas de MANIPULAÇÃO GENÉTICA cuja eficácia não foi ainda comprovada e, MUITO PIOR AINDA, sobre as quais não se tem a mínima noção sobre quais serão os efeitos a longo prazo, decorrentes da aplicação destas mesmas técnicas EXPERIMENTAIS em toda a humanidade. Fico imaginando com meus botões:

• Quantos terão sido os casos de efeitos colaterais que levaram a óbito usuários destas vacinas experimentais? Ninguém sabe! Não se pode nem mesmo mencionar a existência desses casos.

• O que será que vai ocorrer a longo prazo com toda a humanidade, como consequência desta mutação genética provocada, que é irreversível e que ninguém sabe, nem mesmos seus criadores, como fazer parar seus efeitos.

• Além da forte motivação financeira, quais poderão ter sido os interesses escusos que levaram à proibição frenética e fanática da utilização de técnicas tradicionais de combate precoce à infecção virótica, e que poderiam ter ajudado a salvar grande quantidade de vidas? Quem foram as mentes satânicas por trás dos genocidas que forçaram o banimento de qualquer menção a divergências com o “consenso” deles?

3º FATO – As vítimas preferenciais da pandemia de Covid foram os idosos. Este aspecto sempre esteve claro para todos os estudiosos do assunto. Em paralelo, estudos sérios demonstraram que apenas 5% das fatalidades verificadas nos EUA se deveram EXCLUSIVAMENTE ao Covid. Todas as demais se deveram a comorbidades, sendo que a maioria das vítimas apresentava, em média, 5 delas. Fico imaginando com meus botões:

• Por que o imenso frenesi para inflar os números das fatalidades do Covid? Quem bancou os pagamentos adicionais que foram feitos aos médicos que falsearam os Atestados de Óbito neste sentido?

• Quem foram as mentes demoníacas que orquestraram a imprensa mundial no sentido de “Tocar o Terror” na população? Com qual objetivo?

4º FATO – Os países da África, que não vacinaram suas populações, paradoxalmente apresentam também baixíssimos índices de fatalidades decorrentes desta pandemia. Fico imaginando com meus botões:

• Por que toda a imensa população da África parece ser imune a este vírus? Será que as pessoas morrem mas não notificam? Ou será porque a expectativa de vida é tão baixa que não desenvolvem comorbidades?

• Por que uma série de países com altos índices de cobertura vacinal, como é o caso dos EUA, apresentam os mais altos índices de fatalidades por milhão, tendo inclusive piorado ao longo deste ano de 2021?

• Quem terá sido o genocida (colega de Bolsonaro?) que provocou a mesmíssima catástrofe, ou até pior, em países mais desenvolvidos que nós e com melhor qualidade no atendimento médico e mais recursos?

5º FATO – De um lado, países com alto índice de vacinação e onde ocorrem grandes quantidades decorrentes de mortes pela pandemia. Países como USA (60% duplamente vacinado e 7,6 mortes por milhão) e Lituânia (61% duplamente vacinado e 12,6 mortes por milhão). Enquanto isso, países africanos praticamente sem vacinação, apresentam índices baixíssimos de fatalidades. Correlacionamos estes índices para 117 países, expurgando os que apresentam ZERO (ausência de dados?), e o Liechtenstein, por ser muito pequeno e apresentar altíssimo índice, o que poderia distorcer o resultado. O resultado foi ZERO! (-0,014 para ser exato). Ou seja:

NÃO ACHEI CORRELAÇÃO ENTRE VACINAÇÃO E TAXAS DE MORTALIDADE!

Fico imaginando com meus botões:

• Será que todos os Bilhões de dólares que foram gastos com essas benditas vacinas não adiantaram de nada? Ou será que o objetivo, com toda essa campanha de terrorismo mundial, era outro que só desconfiamos?

Quem souber dar resposta a estes questionamentos, por favor nos explique. Estou doidinho para saber!

Teria inúmeros outros questionamentos a este respeito, mas o espaço aqui é exíguo e só deu para essas.

3 pensou em “EU, A COVID, e MEUS BOTÕES

  1. Adonis, na minha dissertação eu mostrei que não havia correlação entre exames e doenças. Qual o banco de dados? A gente podia escrever um artigo….que achas?

  2. Caro mestre Adônis, v. fez questionamentos válidos, os mesmos que o Jornalista Fiúza tem feito ao longo desta Pandemia e por pensar assim é chamado de negacionista pela ex grande imprensa.

    Estamos talvez na era mais obscura da humanidade quanto à interpretação do que é ciência.

    A questão das vacinas terá que ser repensada. Muitos disseram que, quando se atingisse a imunidade de rebanho a contaminação iria diminuir.

    Hoje temos oficialmente no BR mais de 20 mi de pessoas que já passaram pela doença chinesa, que estão curadas, sendo 10 vezes mais imunizadas do que qualquer vacina. Eu acredito que é muito mais. Ainda querem que estas pessoas se vacinem sem nunca terem feito estudos sobre os efeitos sobre quem já tem imunidade.

    Há algum estudo que mostra a taxa de reinfecção e morte de quem já passou pela doença?

    O que fez a gripe espanhola acabar não foi a vacina e sim a imunização de rebanho. Se a vacina é tão boa, porque nos EUA, Israel e outros países estão voltando em novas ondas?

    Chegará a hora que pessoas como nós, anônimos que questionam isso na internet, serão retiradas de circulação.

    Um bom domingo para v., meu caro mestre.

Deixe uma resposta