RODRIGO CONSTANTINO

Lula, impossibilitado de circular pelas ruas do Brasil por conta das vaias e xingamentos do povo, apesar das enquetes colocaram o ex-presidente corrupto como líder absoluto na disputa eleitoral, foi passear na Europa. Lá encontrou um ambiente mais amigável, até porque escolheu a dedo os ambientes – todos controlados pela esquerda. Foi recebido até como chefe de estado por Lacron, digo, Macron, o presidente francês com enorme rejeição e que ingressou na política por indicação do socialista Hollande, um fiasco ainda pior.

Para a esquerda brasileira, porém, esse tratamento dispensado pela esquerda europeia é prova de que Lula é o máximo, enquanto Bolsonaro seria um pária mundial. Tudo narrativa, claro, mas expõe o complexo de vira-latas dessa turma, aquele de que Nelson Rodrigues falava. Se o NYT, um jornaleco que defendeu até a União Soviética com farsas do “jornalista” que levou um Pullitzer por suas mentiras, e que foi comprado pelo magnata mexicano que fez fortuna num modelo podre, se o NYT, eu dizia, soltar uma nota demonizando Bolsonaro, então isso é prova de que o “mundo” odeia nosso presidente.

Até parece que a esquerda não é unida no mundo todo! O que mais vemos é esquerdista caviar europeu enaltecendo líderes corruptos e autoritários em países pobres. É quase um fetiche! Fidel Castro e Che Guevara sempre foram idealizados por essa gente lá de longe, e que jamais quis viver no “paraíso” comunista de fato, claro. Enxergam em Lula um discurso irresistível para uma elite culpada: o operário pobre que chegou ao poder para ajudar as massas. Mensalão? Volta da inflação? Desastre com Dilma? Quem liga para a realidade, não é mesmo?

Na visão estética de mundo, tudo que importa são as narrativas, a imagem. A esquerda vive disso. É por essa razão que nossos militantes esquerdistas das redações tiveram orgasmos com as imagens de Lula passeando pela Europa e sendo recebido como estadista por… populistas locais. Matheus Leitão escreveu uma coluna constrangedora na Veja, derretendo-se em elogios e encanto, e não ficou muito atrás de sua mãe Miriam, no Globo.

A jornalista deu espaço para as conclusões de Celso Amorim, que foi chanceler no governo Lula, para que o ex-ministro pudesse concluir que “o mundo tem sede de um Brasil normal e que sabe liderar causas civilizatórias”. Fiquei na dúvida se essas causas civilizatórias se referiam ao mensalão ou ao petrolão. Miriam conclui sua peça publicitária assim: “Bolsonaro passou os últimos dias visitando e fazendo elogios a ditaduras no Oriente Médio, monarquias autoritárias. Para quem prepara a campanha de Lula, é o contraponto perfeito”.

Puxa, nem parece que nosso presidente estava tentando atrair investimentos para o país, ou que o PT lulista declarou dias atrás apoio ao regime ditatorial da Nicarágua, sem falar da eterna paixão por Cuba e Venezuela…

4 pensou em “ESQUERDA VIRA-LATAS

  1. “o mundo tem sede de um Brasil normal e que sabe liderar causas civilizatórias”

    Isso é uma grande verdade. O mundo precisa de um Brasil que esteja participando dos negócios e das grandes causas globais. Não é interesse de ninguém, seja brasileiro ou não, que esse país promissor esteja à parte, isolado das grandes mesas de negociações politicas e comerciais. Como aconteceu na Reunião do G 20, que o pateta foi conversar com os garçons ao invés dos grandes líderes. Não serão nem Lulla nem Bolsonaro que vão trazer o Brasil de volta ao protagonismo. Um ex-presidiário e um futuro presidiário não podem ser representantes dignos da Nação Brasileira.

    “nem parece que nosso presidente estava tentando atrair investimentos para o país” Com os garçons na reunião do G 20? Contando mentiras nos Emirados do Golfo Pérsico?
    Constantino não é burro, o problema não é ignorância, é um fingido, farsante. Mais um a serviço das milícias digitais para enganar o povo brasileiro. Embusteiro de plantão.

    Em 22 nenhum dos 2

  2. Dia 19 de novembro de 2021, quando concluiu o importante leilão dos portos de Santos, SP, e Imbituba, SC, o governo atual, atingiu a fantástica marca de 79 LEILÕES de concessões de aeroportos, rodovias, ferrovias, saneamento, linhas de transmissão, portos, etc., realizados nestes quase três anos de gestão.
    O fato é que, com crise ou sem crise, os CONCESSIONÁRIOS que resultaram vencedores dos 79 LEILÕES que foram realizados até agora, como está posto nos editais e planos de outorga, já garantem investimentos em INFRAESTRUTURA na ordem de R$ 1 TRILHÃO ao longo dos próximos anos.

    • Especificamente sobre os leilões dos portos de 19/11, fica evidente que não há ânimo para investimentos novos no Brasil. A Petrobras que já operava o terminal de Santos, foi a única a dar lance, o que era mais ou menos previsível, porém a operação continua na mão do Governo. Em relação ao terminal de Imbituba, o lance vencedor foi de R$ 200.000,00. Isso mesmo, R$ 200 mil. O terceiro terminal ofertado, também no Porto de Santos, micou, ninguém deu oferta e a Petrobras, que era operadora, disse que não precisa mais daquele terminal.
      Um dos termômetros para o apetite dos investidores é o Índice Bovespa, que desde de 07/06/2021, quando fez a máxima em 131.190 só cai, hoje está cotado em 103.300. Desvalorização nominal de 21,3%. Considerando em Dólar essa perda chega a 29%. Nesse mesmo período o Dow Jones valorizou 3,5%, Alemanha com valorização de 1%, China estável.
      Eu quero ver e torço para ser verdade a lorota do Paulo Guedes, que existe um enorme apetite dos investidores para parcerias no Brasil. Somos brasileiros e não posso querer que tudo dê errado, mas é obrigação apontar os erros e são muitos. O Governo Bolsonaro acabou, quem manda no Brasil é o Centrão comandado por Arthur Lira e Ciro Nogueira (ministro e senador ao mesmo tempo).
      Bolsonaro é incompetente, mentiroso e covarde.
      Em 22 nenhum dos 2.

Deixe uma resposta