DEU NO JORNAL

Guilherme Fiuza

Ok, você quer acordar desse sonho macabro. Mas ainda não é agora. Primeiro você vai ter que sonhar que viu João Dória anunciando com um laboratório chinês a vacina para o coronavírus.

Isso um dia depois de ser convidado a explicar por que comprou câmeras frigoríficas para cadáveres que não poderão ser guardados nelas. Pesadelo é pesadelo. A vacina chinesa do governador de São Paulo terá a participação do Instituto Butantã – que seguiu a linha do Imperial College de Londres e soltou projeções arbitrárias sobre a epidemia. Tudo para que o governador pudesse dizer, na ponta de um lápis imaginário, quantas vidas estava salvando com a quarentena totalitária. Nem a OMS, nem cientista nenhum no mundo tem essa fórmula. Mas sonho ruim é assim mesmo, só serve para empapar o lençol de suor.

E não adianta virar para o outro lado, porque vai vir um especialista crispado, enchendo a tela da TV, te dizer que há novos casos de coronavírus no Brasil porque o lockdown precisa ser mais asfixiante. Você vai gritar – e ninguém vai ouvir, como em todo pesadelo – que esse especialista é um irresponsável. Que ele está afirmando algo que a ciência desconhece. Que a comparação entre o Reino Unido e a Suécia joga essa certeza no lixo. Que esses tarados da quarentena burra expurgaram de suas equações delirantes o fator de contágio doméstico, atestado pela própria OMS.

Tudo em vão. Por mais que você berre, a sua voz não sai. Ninguém te ouve. E volta o apresentador funesto à tela da TV para dizer que a culpa é do velhinho que foi à padaria. Aí você grita que isso é uma leviandade, que em Nova York o grupo dos que circularam apresentou muito menos infecção que o grupo dos confinados. Você se esgoela para dizer que, depois de deflagrada a pandemia, a ideia de que a humanidade ia ficar trancada em casa deixando o vírus do lado de fora era uma miragem. Uma miragem terrível.

Mas, e daí? Você queria um pesadelo com miragem bucólica?

Entre flashes difusos de Bruno Covas soldando as portas do comércio e recitando planilhas de urnas funerárias e sacos para cadáveres, surge um personagem que você não conhecia. Estamos tomando a liberdade de entrar no seu sonho para apresentá-lo: é Berbel, o Feiticeiro Multimídia, que está vendo o filme completo passando na sua cabeça e veio te ajudar a entendê-lo. Ouça as palavras de Berbel:

“Bastou um único comando – fique em casa – para o mundo inteiro parar ao mesmo tempo. E disseram que o vírus veio ajudar o ser humano a dar mais valor a si mesmo e ao semelhante que está ao seu lado. Mensagens lindas começaram a circular na internet sobre a oportunidade valiosa de aprender a viver com menos, de não precisar sair para trabalhar. Caberia aos governos finalmente exercer a bondade e prover o pão para os que não têm.”

Continue ouvindo Berbel, o Feiticeiro Multimídia:

“No confinamento proliferaram lições sobre os males do capitalismo e o despertar para uma nova realidade onde não pensaremos mais em dinheiro, só em vidas. Chega de mercado – cada um produz seu próprio sustento. A Terra estava mesmo precisando respirar, e agora os mares e rios estão limpos pela quarentena. Tudo natural, a não ser o chip que vão colocar em você para te vacinar. E através desse chip, uma autoridade mundial, tipo uma OMS turbinada, vai te monitorar para cuidar de você. Final feliz.”

Não entendeu o recado do Feiticeiro Berbel? Sem problemas, traduzimos para você. Ele te disse o seguinte: se o seu sonho não é se tornar um silvícola chipado… Acorda! Antes que seja tarde.

2 pensou em “ESCRAVIDÃO VOLUNTÁRIA

  1. A merda toda é que quando autoridades perdem a credibilidade, fica um salve-se quem puder…..

    Quem tem a missão de organizar e manter a lei se omite, ou fica aguardando, não sei o que.

    Aqueles que gozavam um monte de credibilidade, após a reunião de 22/04, (por exemplo, JMB, Weintraub e Damares) estão perdendo prestigio para as quadrilhas organizadas, na imprensa, no Congresso, fora os vagabundos que não dão sossego…….

    Veja o caso do JMB e seus filhos trapalhões …….

    Obrigaram o pai aos acordos com o Centrão e nada aconteceu …….. Continuamos perdendo todas no Congresso e no STF ….

    Vamos ver agora o que acontece no TSE……..
    Quem sabe a coisa se decide; ou isso aqui vira uma Venezuela, ou recomeça um novo Brasil ..

    Do jeito que tá, simplesmente não pode continuar ……

    É lamentável, ouvir, Maia, Alcolumbre, os vagabundos (qualquer um deles), Doria, Dino, Helder,, Collor, FHC, Renan, Carlos Lyra, Moro, fora nossa imprensa calhorda, como Antagonista, Globo, CNN, Estadão, FAlha de SP, ……. é de fazer vomitar qualquer um com mais de um neurônio ativo

    Que bosta …. !!!!

    Que grande País seríanmos ………

  2. Arthur Tavares , concordo com você

    Se Bolsonaro fizesse o que tinha prometido quando apareceu o caso das rachadinhas , que dentro do que acontece na politica brasileira é uma besteirinha , e teriam que levar mais uns 20 e tantos deputados e assessores . que foi a frase : ” .. se ele for culpado que pague … ” , não teríamos chegado ao que chegamos hoje . Mas ele preferiu defender os filhos e não o seu governo Poderia ter buscado apoio nos deputados e senadores que querem mudar o Congresso , mas preferiu criar atritos e acabou caindo no colo do centrão

Deixe uma resposta