RODRIGO CONSTANTINO

A mídia e a esquerda, basicamente sinônimos, esqueceram da pandemia por um dia para só falar de clima, por conta da Cúpula do Clima promovida por Joe Biden. O intuito era demonizar Bolsonaro e o ministro Salles, mas o tiro saiu pela culatra: o governo americano considerou construtiva a fala do presidente brasileiro.

Nada disso acalmou nossa esquerda, claro. Se Bolsonaro fizesse um discurso de conflito, chamando os globalistas de hipócritas, a turma esquerdista estaria dizendo que ele é um irresponsável que prejudica o Brasil; como fez discurso apaziguador, chamam-no de cínico e mentiroso. Não importa o que ele diz, será sempre atacado.

No mais, o que nossa esquerda clorofila finge não perceber é aquilo que realmente está por trás de tanta “preocupação” com nosso bioma na Amazônia. Alexandre Garcia resumiu bem: “Nós precisamos ficar com o pé atrás com uma coisa que um amazônida chamou de ‘imperialismo ecológico’. Estão querendo impor que o Brasil seja mais sustentável, mas isso é porque nós somos concorrentes dos Estados Unidos na agropecuária”.

Mas enquanto todos olhavam para Biden, Macron, Trudeau e seus lindos discursos sobre como salvar o planeta, o nosso Supremo Tribunal Federal aprontava mais uma. O ex-juiz Sergio Moro foi considerado suspeito de um julgamento que não valeu, eis o resumo da ópera bufa. O Brasil, definitivamente, não é para amadores. J.R. Guzzo resumiu bem:

“A única coisa que aconteceu de fato, no mundo das realidades, é que os ministros do STF livraram o ex-presidente, ilegalmente, dos processos que estavam travando a sua carreira política — e, dessa forma, o transformaram no seu candidato pessoal à presidência da República.”

Lula solto, processos tendo de recomeçar do zero e com alta chance de prescrição, e a campanha para 2022 já segue a todo vapor. Assim como o esforço da imprensa em normalizar o corrupto do Foro de SP. A cada dia tem alguém forçando muito a barra para colocar o socialista defensor da ditadura cubana como um político de centro. Hoje foi a fez da Folha citar o ex-ministro Walfrido Mares Guia, alegando que o pobre homem sofre, vejam só, preconceito dos empresários!

Para dar aquela ajudinha na campanha, o circo não pode parar. É por isso que vem aí a CPI do Covid, não para focar nos estados e municípios, onde há fartos indícios de desvios, mas sim na suposta omissão do governo federal. Lacombe foi direto ao ponto: “A CPI é uma gororoba, é inoportuna, feita por e para oportunistas. Seus interesses vêm sempre à frente. E o país vai quebrando, afundado em dívidas, em insolvência, em pobreza”. Mas não é esse mesmo o objetivo da turma do quanto pior, melhor?

Não pensem vocês que, diante de tanta descalabro, o foco dos nossos “liberais” aponte para esse circo todo. Não: eles são os próprios palhaços encarregados de colaborar com a audiência! Os PsolKids do MBL, João Amoedo do Novo e demais “liberais” mal saíram em defesa da Lava Jato ou para condenar veementemente o STF na pirotecnia desta quinta. Eles estão mais preocupados em se unir ao invasor Stedile do MST em sua grande obsessão… o impeachment de Bolsonaro!

E qual o pretexto mesmo? Ah, sim: Bolsonaro é o genocida responsável pelas mortes por covid no Brasil. Só tem uma “pequena” falha nessa narrativa: a realidade com nossos vizinhos. Uruguai assumiu a liderança em óbitos por habitante, e a Argentina vem na cola, o que nossa imprensa finge não saber.

Mais de 500 mortes num só dia, para uma população de cerca de 40 milhões. Os argentinos já se arrependeram de ter eleito um poste socialista, aliás. A aprovação do governo caiu ao seu nível mais baixo. Faltam vacinas, liberdade e comida na mesa do povo.

Mas é para transformar o Brasil na Argentina que toda a esquerda radical se mobiliza, contando com a cumplicidade de boa parte da imprensa e a inestimável ajuda dos nossos “liberais”. Sem falar de companheiros supremos, claro. O Brasil não é para amadores – e pelo visto não querem que seja para pessoas decentes também!

1 pensou em “ENQUANTO VOCÊ FOCAVA NO CIRCO AMBIENTALISTA, O STF PROMOVIA O CIRCO DA IMPUNIDADE

  1. O Stedile deve ter tido diarreia (mental) “a grande maioria da população está contra o Bolsonaro”! Gozado Stedile a grande maioria da população está contra o senhor e seus patrocinadores, isso sim. Experimente ir em uma praça de uma cidade qualquer, pode escolher e faça um discurso pixando o Bolsonaro e elogiando o seu mecenas Lula. Se o senhor for sozinho fazer isso peça para deixar uma ambulância do Samu de prontidão ali perto da praça ou então leve os seus seguranças para abrir caminho para a sua fuga.

Deixe uma resposta