ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

O poeta repentista João Batista Bernado, mais conhecido por João Furiba, que faria 101 anos em julho, morreu de causas naturais, no dia 31 de janeiro do corrente ano, em Cajazeiras/PB, onde estava internado em hospital da cidade.

João Furiba

João Furiba nasceu em Taquaritinga do Norte/PE e viveu boa parte de sua existência em Sumé, no Cariri Paraibano. Recentemente residia com a terceira esposa na cidade de Triunfo/PB.

Foi discípulo de Pinto do Monteiro, com quem viajou por mais de 15 anos e pertence à galeria dos maiores repentistas do Brasil, brilhando na mesma constelação de Geraldo Amâncio, Ivanildo Vila Nova, Os Batistas, Os Bandeiras, Moacir Laurentino, Valdir Teles, Oliveira de Panelas, João Paraibano e Sebastião Dias.

Vamos homenagear João Furiba descrevendo episódio de sua longa, profícua e exitosa vida profissional no admirável mundo do repente. Em Campina Grande, no 149° aniversário da Independência do Brasil , ele cantava com os repentistas Antônio Barbosa e João Marinho, no auditório da Borborema. O animador pediu um mote alusivo à data. Orlando Tejo escreveu num papel de cigarro:

Já faz cento e quarenta e nove anos
Que o Brasil se tornou independente

Furiba glosou com seu talento de mestre do improviso:

O Brasil já viveu no cativeiro
Suportando o regime imperial
Mas, depois, se tornou colonial
Não quis mais sujeitar-se ao estrangeiro
Veio um rei que se tornou brasileiro
Dedicou seu amor à nossa gente
Depois veio a trindade consciente
Deodoro Fonseca com seu manos
Já faz cento e quarenta e nove anos
Que o Brasil se tornou independente.

Deixe uma resposta