ALTAMIR PINHEIRO - SEGUNDA SEM LEI

Perus, leitões assados, lombinhos de porco recheados com rodelas de abacaxi, pernil de cordeiro, árvores, bolas, luzinhas, nozes, castanhas, presentes, lembrancinhas, cartões, presépios, presepadas, barulho, embromação, e haja compras… E tome compras… Mais compras… Mesmo com pandemia e sem vacina, natal é assim mesmo, pessoal do JBF!!! Mas, adivinhem quem não curte às festas de final de ano, por absoluta falta de tempo… Sequer vai à terra natal, Palmares!!! Quem adivinhar ganha uma seringa com agulha para se vacinar contra a terrível gripezinha Covid-19?!?!?! Claro que só poderia ser o nosso autêntico editor fubânico, que atravessa o ano inteiro com essa admirável paciência de JÓ que é o incansável penitente sacerdotal, o Papa da paciência: LUIZ BERTO FILHO, que se ocupa em postar o que lhes enviamos diuturnamente (que chova ou que faça sol), com ajuda da sua cativante secretária, uma formosura em pessoa que foi feita na “fôrma” e deslanchou-se nessa escultural beleza feminina que é a charmosa Chupicleide (uma santinha esforçada que nunca tirou férias nem muito menos recebeu em dinheiro o que lhe cabe e é devido e o patrão dela sequer fala em décimo terceiro… Não dá um pio a respeito do assunto!!!). Toda essa injustiça trabalhista ou tudo isso se passa e acontece sobre os olhares complacentes e penosos dos “PIDÃO” Xolinha e Polodoro…

E toca o barco que é natal, gente!!! É natal, é natal, sinos de Belém!!! Votos de felicidades, hipocrisias, trairagem, beijinhos de Judas nas faces, falsidades estampadas nas fuças, esbarrões na calçada com os fubânicos com as mãos ocupadas por sacolas, vinhos franceses, do Porto, do Chile, sendo safras premiadas do Século passado, caipirinha de morango com hortelã, Gin Tônica, uísques escoceses, Espumantes ou champagnes, vinho jurubeba, catuaba, fogo paulista, cidra cereser, gengibre quentinho, licores de frutas regionais e aguardente de cana PAU DENTO fabricadas por Pinheirinho de Garanhuns, pois só vamos ter uma folguinha ou sossego mesmo dessa carraspana quando nos deparamos com as excitantes e afrodisíacas crônicas de Carlito Lima e Carlos Eduardo, com suas belíssimas tiradas relatando sobre passagens de amores prostituídos que vão do Porto de Jaraguá em Maceió ao Alto da Sé em Olinda. Só que, nesse particular, o cabra de Carpina, Cícero Tavares, é o nosso mestre maior, pois trabalha com especialista no ramo fodástico que é a matreira e escrota nas quebradas da putaria à desejada pela clientela, Maria do Bago Mole…

Cerejas, figos, morangos, peras, damascos, pêssegos, ameixas, tâmaras, uva-passa, avelãs, maçãs, romãs, amêndoas e nozes, torta de abacaxi, ricota e coco, torta de banana com doce de leite e chocolate, torta de morango com outras frutas vermelhas, castanha do Pará e a nordestina castanha de caju que tem em abudância no Rio Grande do Norte, especialmente em Natal… Só deixamos ou paramos de saborear essas guloseimas, a partir das ininterruptas sextas-feiras quando nos deliciamos com fartura ao ler os textos enxutos e, geralmente, com um final feliz ou no mínimo uma boa advertência ao personagem que pisou na bola ou traquinou nos seus saudáveis e caprichados escritos, quando nessa tão esperada sexta-feira usufruímos da simpatia e da capacidade literária de Cenas do Caminho da nossa querida escritora, Violante Pimentel!!!

Papais noéis, renas, trenós, trivolins ou carrosséis (lembram-se!!!), rodas gigantes, festões, fitas, embrulhos, pacotes, assados, secos e molhados, neve de isopor, vermelho com verde e dourado, jingle bells acabou o papel, jecas e seus jequinhas “otografando” os rabiscos dos netos e sobrinhos e se brincar ainda aparece o frevo, xote, baião e maracatu embolados com o som de músicas carnavalescas que só interrompemos o passo da vassourinha com sombrinha trocando de mãos para apreciar à leitura dos amantes da viola e do cordel que são os magníficos poetas e poetisa como é o caso específico de Dalinha Catunda, que eu acho é muito!!! E o que dizer dos formidáveis Jesus de Ritinha de Miúdo, Francisco Itaerço, a volta do filho pródigo: Fred Monteiro e a mais nova grata surpresa com seu alto astral contagiante que é a poetisa potiguar Constância Uchoa, como também os nossos intelectuais Marcos Mairton e Pedro Malta… É da baba descer, gente!!!

Que importa os cartões de créditos esfolando o orçamento mensal dos adeptos do JBF, plano de saúde tirando tua cueca ou “caçola” pelo pescoço, teu cheque especial estourado no limite, no vermelho, e o gerente do banco enchendo teu saco no telefone pedindo que cubra o rombo, o atendimento VIP da Tim, da Vivo, Claro e da Oi, levando o teu restinho de cabelo da tua careca, se já não bastasse intermináveis filas na Caixa Econômica Federal pagando o auxílio emergencial ao mundiçal remelento do Bolsa Esmola e os flagelados de Bolsonaro deixados ao Léo pelos bandidos “incarnados” do PT. Só nos contentamos quando aparecem para nos dar um alento mais que confortador as figuras carismáticas ao desenvolverem seus temas profundos e diversificados das canetas colossais dos ótimos colaboradores a começar pelo colunista Maurício Assuero, e dana-se com os prestigiados Carlos Ivan, Goiano (goste-se ou não, dele!!!), George Mascena (com seus textos diferenciados), José Narcélio, Marcelo Bertoluci, Marcos André, Newton Silva (com sua caneta que possui raiz aromática), Rodrigo de León e o bom Roque Nunes.

Janelas pisca-piscando, árvore gigante e mais jecas e jequinhas fotografando naquele bonito e potente celular comprado a prazo em 72 prestações. O Lula com aquele português eclético se gabando por estar solto. E continuemos com nossa enfadonha noite de natal com uma máscara do SUS na fuça, um copo na mão e uma bisnaga de álcool gel 70% no bolso. Mesmo assim, cinicamente, morremos de rir com as botinhas de feltro, sininhos, amigos secretos: não-repara-é-só-uma-lembrancinha-viu?!?!?!, Magina!!! Tando com saúde tá bom, é o que importa!!! Vacine-se para ficar imune da Covid-19, seus abestados!!! Nesse ínterim, o que nos faz “arregalar os zóios” é quando ficamos têti-a-têti com Adônis Oliveira e Sancho Pança com seus textos medindo uma légua tirana daquela de Luiz Gonzaga, mas com muita sustança e precisão em seus contundentes argumentos que fazem parte dos seus conteúdos que são complementados pelo excelente historiador, meu conterrâneo, residente em São Paulo, o memorialista José Domingos Brito.

Taças de acrílicos de cores berrantes de R$ 1,99 compradas em lojas de bugigangas chinesas ou do Paraguai, copos de supermercados de molho de tomate brindando ou fazendo tin tin, por isso, feliz natal, tudo de bom, minha querida família fubânica!!! Lacinhos, ofertas pague-a primeira prestação-só-depois-do-ano-novo-lá pro mês de abril, e pau na suas nádegas flácidas minha senhora, compre… compre mais… entupa-se de compras… Estoure o limite do seu cartão de crédito!!! Está bem, compramos, compramos, compramos, não sabemos direito o porquê, mas compramos… Só puxamos o freio de mão quando nos damos conta que chegou a SEGUNDA-FEIRA COM LEI e harmonia quando nos debruçarmos naqueles fabulosos textos contemplativos do baita cronista do JBF que é o mega intelectual Fernando Antônio Gonçalves. E jamais poderíamos deixar de citar, o excelente jurista José Paulo Cavalcanti que escreve suas exemplares crônicas relacionadas com a cultura, a literatura, as artes, a música. Quando não, por possuir um intelecto invejável, sempre comenta e nos favorece com a leitura de bons livros.

Missa do galo, rabanadas, panetones, goiabadas, bananadas, marmeladas, ceias, parentes, porres, dedo na goela, vômitos, ressacas, engov, epocler, comida que sobrou, ai-fica-mais-gostosa-no-dia-seguinte!!!, farofa de cuscuz com Sardinhas Coqueiro ao molho de tomate, chesters, Papai Noel de chocolate, arroz à grega + maionese estragada + farofa + pimentão suspeito + frutas + jaca + carambola + pitomba + coxa de chester e couro de bacalhau + espinhas de peixes ao molho de coco + carne de charque assada na brasa, tudo no mesmo prato… Que nada!!! Vai pra barriga do mesmo jeito, come-mais-um-pouco-você-não-vai-fazer-desfeita comigo, né mesmo, diz aquela nossa tia gorda e bucho quebrado dentro daquele horroroso vestido azul bufante!!! Depois de tanta asneira, só mesmo acompanhar àquele conjunto organizado de palavras, que apesar de curto e sintetizado tem o conhecido cheiro de Nordeste, do tradicionalista forrozeiro dos bons e o excelente em tudo que se propõe a fazer que é o conhecido e prestigiado compositor Xico Bizerra.

Contagem regressiva, foguetórios, hohohôs, amigos secretos e inimigos ocultos, salões de belezas e barbearias lotados, aquela telefonista virtual e invisível (que é mais chata do que as vozes irritantes da Joyce e da Bárbara juntas) que repete naquele tom azucrinante: se é para adquirir linha disque 7, reclamação disque 13 e se for somente para encher o saco ligue 17. A Covid-19 se alastrando por todo o país e o AINDA PRESIDENTE afirmando que não vai se vacinar nem que a vaca tussa!!! No Brasil de hoje que se tornou à casa da Mãe Joana e do Pai Bozo, o motivo alegado por esse homofóbico de NÃO tomar à vacina é simplesmente em razão de poder virar um jacaré ou correr o risco de ficar com a fala fina… E a tristeza que nos move, com a recusa do gigante d.matt da bonita Balneário Camboriú(SC), de não aceitar o convite de Luiz Berto para fazer parte do JBF, que seria sem a menor sombra de dúvida, mais um baita de um colunista que sabe tudo de cinema, e mais um tiquinho… Que pena!!! Fazer o quê?

E pra variar, estar na praça a “gangue da bomba” arrombando e explodindo caixas eletrônicos, se já não bastasse a gente ter que “TULERAR” o Cangaceiro de Alagoas, um tal de Arthur Lira(PP) favorito ao eleger-se como a segunda pessoa mais importante do país, através do famoso toma lá dá cá ou é dando que se recebe!!! Pois não é que o traíra confesso de 57 milhões de eleitores anda leiloando os ministérios com o centrão. E o que dizer dos relatórios da ABIN e GSI em conluio com um senador marginal que só pensava naquilo e era tarado por rachadinhas?!?!?! E haja engarrafamentos, ônibus e metrôs superlotados, calor dos infernos, cometas de papel e purpurina, corais infantis, trenzinho de Papai Noel rodando com as crianças na Magia do Natal. Enquanto o gigante d.matt não decide, o nosso consolo é que está pintando no pedaço e pode ser a mais nova contratada do conglomerado JBF que tem como editor, o penitente sacerdotal Luiz Berto Filho que possui um faro de malassombrado, pois só convida para fazer parte da família fubânica gente de alto nível e a qualquer momento poderemos estar ganhando um presente de natal, diretamente dos Steites, a companhia de Eliane Lawrense que já demonstrou ser do ramo. Que seja bem-vinda!!!

Ainda bem que este ano à Rede Globo NÃO apresentará o programa do aleijado (digo melhor: deficiente físico) Roberto Carlos, amor, amor, amor, emoções, vivendo esse momento lindo, com certeza se houvesse a tal exibição nesses dias de coronavírus e 200 mil mortes por falta de UTI’s, o cara esticada que tá parecendo uma múmia paralítica quando aparece sem maquiagem, com certeza que mais uma vez iria falar na defunta Maria Rita… jingle da Globo: hoje a festa é sua… minha o cacete, ora porra!!! Só mesmo o grande Peninha diretamente de Tupi Paulista muito bem assessorado pelo seu neto Enrico para nos socorrer com uma seleção musical arretada e um repertório danado de bom, vindo a tira colo a precisa coluna do Bernardo e o simplesmente ótimo Severino Souto, que todos eles nos leva ao ineditismo dos detalhes noticiosos diários e das reminiscências musicais, como também das imagens deslumbrantes que é de encher os olhos e lavar à alma.

Finalmente, eu não troco as duas maiores festas religiosas comemoradas no mundo inteiro que é o natal e a virada do ano por uma leitura provinciana que fala tão bem de nossas raízes, na qual viajamos no tempo e nos deleitamos com os textos dos sabidos caipiras ou matutos eruditos formado pela dupla Aristeu Bezerra (que é mestre em frases de efeitos) e José de Oliveira Ramos (que é agrônomo sem diploma), que sempre nos brinda com contos do cotidiano trazendo em seu bojo nossa autêntica cultura regional. De pronto, vamos à noite de natal, então vamos lá!!! Donas-de-casa barrigudas desejando-nos feliz isso e aquilo, cartões eletrônicos cheios de germes, velas encarnadas e coloridas, nessa pandemia os supermercados assaltando mais do que pivete na rua (que não nos deixe mentir os preços do arroz, do óleo e da puta que pariu!!!), trombadinhas ou maloqueiros tentando lavar nosso carro na marra no estacionamento e, o cidadão com medo de ver seu automóvel arranhado, com cara de tacho, sede aos caprichos desses flanelinhas canalhinhas, bandinha de pífano e zabumba de quatro bêbados tocando na calçada da igreja em troca de centavos pra tomar uma cachaça PAU DENTO, beatas e carolas encruadas na missa do galo, enquanto chega à hora certa do sacristão correr a sacolinha entre os fiéis, o Corpo de Cristo na hóstia sagrada e o sangue que é bom, que é o vinho de missa, esse ninguém distribui. Só o padre bebe. Jingle bells… jingle bells… jingle bells… É natal… É natal… Sinos de Belém…

16 pensou em “EMPANTURRAI-VOS CRISTÃOS FUBÂNICOS!!!

  1. Caríssimo ALTAMIR,

    Eu sou suspeito de fazer um elogio a esse texto arretado vez que escrevi o epílogo do seu fantástico livro de estreia “No Escurinho do Cinema”, livro de temática inédita no universo literário cinematográfico no Brasil e exterior.

    Mas como para amigo não existe distância, nem defeito, nem insatisfação, aqui deixo registrado minha admiração pelo pesquisador sério, honesto, sincero, apaixonado pelo que faz de SEGUNDA SEM LEI.

    Feliz Novo Natal para o amigo do coração, Antonio Miguel, o Cowboy, e família.

  2. Meu amigo e inspiração .

    A sua coluna de hoje é de tão vasto saber que nos deixa com a cuca
    abilolada.
    Quisera eu ter a capacidade de criar algo assim tão grande e inspirado,
    mas isso só é concedido a um resumo e precisava ser desembrulhado à
    vista de todos.

    Como muito bem disse o nosso nobre amigo Cícero Tavares, eu também me
    sinto suspeito em fazer elogios a esse texto arretado, uma vez que
    não posso ser isento, considerando que fui honrosamente convidado
    a escrever ( o que fiz com muita satisfação ) o prefácio do seu livro
    sobre cinema ” No Escurinho Do Cinema ” que estou certo, o seu texto
    será uma grande surpresa , pois nada igual, que me consta, jamais foi
    publicado nestas plagas.
    Idéias, cada um tem a sua, mas por sorte, inteligência e raciocínio,
    nós empatamos e somos coerentes e certos que no futuro (não muito
    distante ) vamos sobreviver à água suja que estão jogando , com a vassoura
    imunda da mentira , naquele que será a salvação do Brasil.
    Quem viver verá.

    Grande abraço e feliz ano vindouro.
    PS. Extensivo ao seu neto, o futuro do Brasil.

    • Caríssimo amigo do coração D.Matt.

      Eu sou suspeito de tecer qualquer comentário sobre o amigo do coração que sabe de cor todos os ângulos da câmara do extraordinário MATAR OU MORRER, OU DJANGO e mais três a quatro mil filmes assistidos por mais de dez, vinte vezes!

      FELIZ NATAL ESTIMADO AMIGO.

      • Amigos Cícero e Altamir.

        Para os amigos do peito toda hora é hora de festejar
        e como irmãos se doar de peito aberto àqueles que
        fazem parte sem dúvida da nossa alegria , não só
        por ser Natal , mas agradecer ao divino as esperanças e fé
        no futuro melhor, a que temos direito e que jamais irá nos faltar.
        Natal é tudo aquilo que o nosso irmão Altamir tão bem disse acima e esperança é saber que podemos contar
        com AMIGOS nas horas de festas , mas também nas horas de meditação. Creiam, Deus está sempre conosco,
        acreditemos ou não.
        Queridos amigos, uma grande festa para todos vocês e
        toda família.

  3. Honrado me sinto, Mestre Altamir, em ver meu nome citado no seu magnífico texto.

    HAVERÁ NATAL?

    CLARO QUE HAVERÁ!

    Com ou sem cheques especiais, cartões de créditos “aplicando no gogó” na turma do JBF.
    Mesmo assistindo e “engolindo” o nosso querido STF ordenando RESERVAR 7 mil doses para impoluta instituição. É tocante!

    Haverá Natal, sim!

    CIRCUNSPECTO, SILENCIOSO, SÓ QUE COM MAIS PROFUNDIDADE, ATÉ MAIS PARECIDO COM O DO MENINO DEUS, NASCIDO EM SILÊNCIO E SOLIDÃO.
    SEM A SATURADA ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL, MAS COM A ESTRELA DE BELEM CINTILANDO NA MENTE, NO PEITO E NO CORAÇÃO.

    Bom natal e sorte no ano que se avizinha, Mestre Altamir.

  4. Parabéns pela perfeição do texto natalino, prezado escritor Altamir Pinheiro!
    Obrigada pela referência elogiosa que você me fez, o que me deixa bastante agradecida!
    A sua coluna “SEGUNDA SEM LEI” se destaca, no JBF, pela qualidade dos filmes que você aborda! Sou sua fã de carteirinha!..

    Meus Votos de um Feliz Natal, com muita Saúde e alegria, e de um Ano Novo cheio de Ventura, Prosperidade e realizações, para você e seus familiares!

    Um grande abraço, querido amigo!

  5. HAJA CORAÇÃO…

    Caríssimo ALTAMIR,

    Inicio meu comentário compartilhando com VOCÊ a tristeza que nos move, com a recusa do gigante d.matt da bonita Balneário Camboriú(SC), de não aceitar o convite de Luiz Berto para fazer parte do JBF, que seria sem a menor sombra de dúvida, mais um baita de um colunista que sabe tudo de cinema, e mais um tiquinho… Que pena!!! Fazer o quê?

    Natal é época de PINHEIRO e o que temos aqui no JBF brilha com luz própria o ANO TODO. Eu sou suspeito de fazer um elogio a esse texto que dá um passeio por personagens maravilhosos que tanto admiriamos.

    Ainda recordo o quanto me emocionei com seu fantástico livro “No Escurinho do Cinema”,pois foi como uma viagem por minha infância, revendo personas que meus olhos brilhavam ao ver na telona.

    Deixo nestas páginas fubânicas registrado minha admiração pelo pesquisador apaixonado pelo que faz em sua maravilhosa coluna SEGUNDA SEM LEI.

    Por fim, emocionado demais, agradeço a parte de seu texto QUE ME TOCA: Nesse ínterim, o que nos faz “arregalar os zóios” é quando ficamos têti-a-têti com Adônis Oliveira e Sancho Pança com seus textos medindo uma légua tirana daquela de Luiz Gonzaga, mas com muita sustança e precisão em seus contundentes argumentos que fazem parte dos seus conteúdos que são complementados pelo excelente historiador, meu conterrâneo, residente em São Paulo, o memorialista José Domingos Brito.

    FelizFinal de 2020 para a família PINHEIRO, cujo integrante fubânico acompanho desde sempre neste nosso JBF.

  6. Ô Pinheiro
    Estive viajando e só agora vejo sua bela crônica natalina “entregando” e enredando toda a troupe da Besta Fubana. Grato pela parte que me cabe neste latifúndio com epitetos de “hisoriador” e “memorialista”. Só falou dizer: Te cuida Pedro Nava, visse!!!

    Grande abraço e bom ano novo

Deixe uma resposta