SANCHO PANZA - LAS BIENAVENTURANZAS

Saramago um dos grandes nomes da literatura universal, escreveu: As palavras têm os seus quês, os seus comos e os seus porquês. Algumas, solenes, interpelam-nos com ar pomposo, dando-se importância, como se estivessem destinadas a grandes coisas, e, vai-se ver, não eram mais que uma brisa leve que não conseguiria mover uma vela de moinho, outras, das comuns, das habituais, das de todos os dias, viriam a ter, afinal, consequências que ninguém se atreveria a prever, não tinham nascido para isso, e contudo abalaram o mundo. José Saramago, Caim (Cia das Letras, pg. 52)

“Wants to be friends on JBF” – Dava-se-lhes o nome de fubânicos. Liam o JBF, escreviam no JBF seus textos (crônicas, histórias, cordeis, enigmas, poemas, larachas, comentários, palpites). A prosa cuidada, o proveito duplo, porque o lê-los era uma aprendizagem e os seus temas levavam invariavelmente ao riso, mesmo quando escreviam querendo seriedade, pompa e circunstância. Sob a gerência, alguns dirão batuta, de Berto, desde há anos que se passou a chamar-lhes colunistas fubânicos, comentaristas fubânicos e leitores fubânicos (tudo junto e misturado).

Recorro à Clarice Lispector: “Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada. Procure entender, fidelíssimo leitor… “O Jornal da Besta Fubana é o mais fecundo oásis perdido em meio a este deserto de idéias que a internet sempre foi. Diariamente entro pela porta principal da redação do Jornal da Besta Fubana. O dia passa voando e chega o momento de retornar à casa. Sempre saio diferente, pois aprendo um pouco mais com cada fubânico que esbarro nas colunas e nos comentários.

Recorro agora a Wallace Stevens: “I am what is around me”… Duas datas e pouca comemoração? Vamos mudar isso? Dia 12 de outubro – Dia Nacional da Leitura; Dia 15 de outubro – Dia do Professor. O JBF convida você a comemorar conosco, escrevendo algo de sua lavra, para que nós, colunistas, sempre tão aplaudidos por vós, que brincamos de leitores e comentaristas, possamos nos deliciar neste mês de grande cultura…

Entimema (Exemplo: “Berto está escrevendo, logo é escritor”, que elide “todos os que escrevem são escritores”). Prove que você escreve tão bem ou melhor do que qualquer um de nós (escrever melhor do que Sancho não será difícil). Tente, invente, faça outubro ser diferente. O Berto irá publicar as melhores histórias (conto, crônica, cordel, poema) que chegarem durante o mês de outubro.

Em outubro somos nós que queremos ler VOCÊS. É no Jornal da Besta Fubana que o Brasil encontra, já no café da manhã, informação, esculhambação e riso. O JBF descortina-lhe seu bairro, sua cidade, seu Brasil, o mundo e alguns planetas onde marcianos, plutonianos e venusianos vencem distâncias e se aproximam de todos nós. É a lanterna a guiar bilhões de cegos na escuridão. É a força propulsora e condutora das notícias favoráveis ou contrárias ao governante de turno, para as grandes reivindicações de seus direitos ou mero mimimi.

Escreveu a portuguesa Ana Hatherly: “Escrevo para dizer o que não pode ser dito.” Escreve Sancho: A Galáxia precisava de mais gritos que a estimulassem, de mais vozes que lhe falassem ao coração. Eis a razão de existir do JBF: VOCÊ. Aqui cronistas, leitores e comentaristas vivem em estado de fusão e confusão. Somos cada um deles, somos todos eles, interagindo em suruba literária diária neste cabaré fubânico. E a cada um rendo aplausos neste mês quase a iniciar-se, o de outubro e de todos nós (geniais, geniosos, geniânicos, que é a mistura de gênio com fubânico).

Os ídolos da escrita aí estão, esbanjando coisa boa, encanto em verso e prosa. Hay personas que hacen historia en JBF ¡Muéstrame las! São elas: Luiz Berto, Alfredo, Saniasin, Maurino, Aline Berto, Beni, Arthur, Cícero, Janety S.S. Silveira, Adônis, João Francisco, Joaquimfrancisco, Lívya Lâsenra Catablignia, Viturino, Francisco, Francisco Pereira, Famigerado, VBP, jm, Tia do Zap, Aristeu (ops, Arisnosso), Jose Hinacio, Jozinaldo Viturino de Freitas, Arael Costa, Heber Cruz, TJando, Rogerio, Carlos Ivan, Luiz Neto, Violante, Marcos André M Cavalcanti, Nino Yoshida, Natércia Ostraciza, Pablo Lopes, Dalinha, Juliana Pinheiro, Goiano, Brito, H. Romeu Pinto, Paulo Terracota, Gonzaga, Lucilia Lemos, Airton, Adail Agostini, Luiz Leal, Gilmar Antonio dos Santos, José Alves Ferreira, Mauro Pereira, Chatonildo, Fernando A. Gonçalves, Camillo, Abrantes, Rogerio Araujo, Boaventura Bonfim, Guilherme Almeida, Itaerço, Josman, Lindalva, Mascena, Rômulo Angélica, Gonzaga, Vivaldo, D Matt, Assuero, Bertoluci, J P Cavalcanti, João Bosco, Philipe Gusmão, Jonas Oliveira, Pinio Assmann, Prates, B.Russel, Xico Bizerra, José Ramos, Tarciso, Ana Lucia, Anderson Braga Horta, Sebastião Malveiras, Júlio Ribeiro, Severino Souto, Enesidemo Crates, Fred Monteiro, Jairo Juruna, Renato Andrade, Narcelio, Newton, Luiz Carlos, Mauri, Nikolai Hel, Carlos, Roque Nunes, João Araujo, Nacinha, Bernardo, Oswaldo Ferreirinha, Carlito, Marcon Beraldo, Emílio Ruiz, Carlos Eduardo Santos, Rodrigo Buenaventura de León, Pedro Malta, Marcos Mairton, Deco, Marcos Pontes, Sonia Regina (que anda muito sumida), Jessier, Jesus de Ritinha do Miúdo, Valéria, Macau, Sancho Pança, Xifurímpulo Sancho, Antonio Turci, José de Oliveira, Anita Driemeier, Heloisa, Valéria, Macau, José de Oliveira, A. Luís e Cléopâtre-Dianne de Mélodie.

Como ensinou José Saramago, ‘somos todos escritores, a diferença é que alguns escrevem e outros não’. O que falta para o JBF ser perfeito? Falta um texto seu. Prove a si mesmo, caro(a) leitor(a) que sua lavra possui textos muito melhores do que os de Sancho e que os críticos da literatura mundial se surpreenderão quando lerem seu conto, crônica, cordel, poema em nossa página fubânica.

Sejas como o ourives a trabalhar uma jóia… Gostas de um desafio? Tens, com certeza, uma coisa que te dá vontade de tirar da cabeça e colocar no JBF. Mas o quê, exatamente? Não, você não sabe, então vá descobrir. O exercício que mais se faz quando não sabes o que escrever é só sair escrevendo, tirando da frente tudo o que está na cabeça até que as ideias clareiem e frases se formem até um ponto final… Mãos à obra, que em um futuro não muito distante, o Nobel de Literatura pode ser seu…

E o que diriam a você, como incentivo, os grandes mestres da escrita?

“[..] o escritor mais não é do que alguém possuído pelo espírito da linguagem.” Georg Philipp Friedrich von Hardenberg (Fragmentos São Sementes);

“Não se ‘faz’ uma frase. A frase nasce.” – Clarice Lispector;

“O escritor é um homem que mais do que qualquer outro tem dificuldade para escrever.” – Thomas Mann;

“Escrever é uma maneira de falar sem ser interrompido.” – Jules Renard;

“Tantas pessoas que escrevem e tão poucas que lêem!” – André Gide;

“Escrevemos porque não queremos morrer. É esta a razão profunda do ato de escrever.” – José Saramago;

“Não se escreve por se querer dizer alguma coisa, escreve-se porque se tem alguma coisa para dizer.” – Scott Fitzgerald;

“Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo.” – Fernando Pessoa;

“Acabar um livro é como dar à luz uma criança e dar-lhe um tiro.” – Truman Capote;

“Há duas maneiras de se elevar a si mesmo; ou por sua própria indústria ou pela imbecilidade dos outros.” – Jean de La Bruyére;

“Antigamente, livros eram escritos por homens de letras e lidos pelo público. Hoje em dia, livros são escritos pelo público e lidos por ninguém.” – Oscar Wilde;

“Para ser grande é preciso ter 99 por cento de talento, 99 por cento de disciplina e 99 por cento de trabalho.” – William Faulkner;

“Há certo tipo de ficção mediante a qual o autor tenta se libertar de uma obsessão que não é clara nem para ele mesmo. Mal ou bem, são as únicas que consigo escrever.” – Ernesto Sabato;

“Empiezo y vuelvo a empezar; no avanzo, me atasco, qué decir y cómo? Ni siquiera sé ya quien soy.” – Polodoro;

“Depois de se escrever um conto, deve-se cortar o início e o fim, pois é aí que nós, escritores, mais mentimos” – Anton Tchekhov;

“Nenhum ferro pode penetrar no coração humano de maneira tão gélida como um ponto colocado no momento exato.” – Isaac Bábel;

“Devemos escrever para nós mesmos, é assim que poderemos chegar aos outros.” – Eugène Ionesco;

“Toda frase deve fazer uma de duas coisas – revelar o personagem ou avançar a ação.” – Kurt Vonnegut;

“A escrita não é senão ritmo.” – Virginia Woolf;

“Escrever é uma questão de colocar acentos.” – Machado de Assis.

Quantos livros são publicados por ano em todo o mundo? Quantos bilhões deles existem? Mesmo que nos dedicassemos 24 horas por dia de toda a nossa vida a ler livros, quantos ainda ficariam por ler? Quantos fubânicos leram o Romance da Besta Fubana?

Imre Kertész (Nobel de Literatura de 2002) entrevistado na TIME:

– What is your workday as a writer like?

– If you recorded the day in a life of a writer you would be disappointed. He makes coffee, he looks out the window, he does everything but write. But despite these everyday failures, something still comes out of it.

Deixo com o leitor uma MUSA, que certamente o inspirará a escrever algo para nós neste outuro que bate à porta:

Título: Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia.

A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E, porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E, porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E, porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora. A tomar o café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E, aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E, aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E, não acreditando nas negociações de paz, aceita ler todo dia da guerra, dos números, da longa duração.

A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagar mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.

A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes. A abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.

A gente se acostuma à poluição. Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À lenta morte dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinho, a não ter galo de madrugada, a temer a hidrofobia dos cães, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta.

A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente molha só os pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele. Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se de faca e baioneta, para poupar o peito. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que, gasta de tanto acostumar, se perde de si mesma.

Extraído do livro “Eu sei, mas não devia“, de Marina Colasanti (Marina Colasanti (Asmara, 26 de setembro de 1937)), Editora Rocco – Rio de Janeiro, 1996, pág. 09. Registra Sancho: só pelo texto acima já merecia um Nobel de Literatura a nossa Marina.

Elas, as palavras, gostam de apanhar. Encerro recorrendo ao livro The Narrow Road To The Deep North, de Richard Flanagan: “A good book leaves you wanting to reread the book. A great book compels you to reread your own soul”.

PS 13: Este texto tem como objetivo despertar o(a) escritor(a) que mora em cada fubânico que passa por nossas páginas diariamente, sonhando em escrever uma frase, um conto, uma crônica, uma poesia, um cordel e poder mostrar aos amigos, às amantes, à família e dizer, todo inflado de orgulho: tá tão bom como os que produzem os colunistas do JBF, não é mesmo!?

PS 51: ♫ ♬ ♩ Happy birthday to you / Happy birthday to you♫ ♬ ♩.Sancho deseja (com1 dia de antecedência – em virtude de minha coluna ser hebdomadário e às sextas) Feliz Cumpleaños a Marina Colasanti – Asmara, 26 de setembro de 1937, uma garota sensacional, capaz de maravilhas, como o texto que incluí nesta crônica.

PS 69: ONU 75 años – Fracasso – Ditaduras campeiam pelo mundo. Guerras pipocam à revelia, zombando dos burocratas. La ONU ha quedado lejos de cumplir sus metas de “mantener la paz y la seguridad internacional”, “desarrollar relaciones amistosas entre los países” y “lograr la cooperación internacional para solucionar problemas internacionales”.

PS 171: Tá feia a coisa para os maridões… Para felicidade da “mulherada fubânica”, teremos por volta de 6 filmes onde aparecerá o (“belo, gostoso e sonho de consumo”, segundo relato de minhas quadrigêmeas amantes tailandesas) Henry William Dalgliesh Cavill (Saint Helier, 5 de maio de 1983) como Superman (três serão do próprio e outros três serão inserções do bonitão nos filmes Supergirl, Black Adam e talvez uma Liga da Justiça 2. Henry Cavill ha llegado a un acuerdo con Warner Bros para múltiples películas nuevas.¿Qué os parece este nuevo trato de Henry Cavill como Superman? Dejadnos vuestros comentarios. OBS: não dê um uniforme do Superman para seu barrigudinho de estimação, pois você, mulher fubânica, irá “morrer de rir” ao comparar…

PS 666: Calor infernal – um final de inverno tão quente e seco que “inundou” o país com focos de incêndios, espalhando queimadas, fuligem no ar e fumaça, muita fumaça. Apocalipse Now?Assim falou Hamilton Mourão:“Somos a nação que tem a matriz energética mais limpa e a maior cobertura vegetal original, chegando ao admirável valor de 84% de área nativa preservada na Amazônia e mais de 60% se considerarmos todo o território nacional. Interesses econômicos e políticos a parte, também ocorre uma certa desinformação, que termina por ganhar força junto aos que jamais pisaram na Amazônia”. Segundo Hamilton Mourão, para entender os números divulgados é preciso saber o que significam os focos identificados pelos satélites de referência utilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). “As imagens acusam todos os focos de calor, o que não significa incêndio, pois qualquer área com temperatura acima de 47º – uma fogueira por exemplo – é assim identificada. Além disso, como consta no site do instituto, é comum uma mesma queimada ser detectada por vários satélites. Os dados brutos também não distinguem as ilegais das legais, que são aquelas ocorridas dentro dos 20% de terra que, de acordo com nossa legislação, pode ser explorada no bioma Amazônia”..

PS 1000: O Centro Municipal Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas (Feira de São Cristóvão ou Feira dos Nordestinos (R. Campo de São Cristóvão – São Cristóvão, Rio de Janeiro – RJ, 20291-440), celebrou, agora comandada pela gestora Magna Fernandes 75 anos em 20 de setembro. O pavilhão abriga cerca de 700 barracas com comida típica, ingredientes e temperos da culinária regional, artesanato e objetos do folclore nordestino. Fica aberto ao público na sexta das 10h às 20h, no sábado das 10h às 22h e no domingo de 10h às 20h.

PS 1313: FALOU QUEM ENTENDE DE AMAZÔNIA – O general Augusto Heleno disse: “O que entristece aqueles que trabalham para solucionar os problemas é que brasileiros natos se aliaram a estrangeiros que jamais pisaram na Amazônia, às Ongs, que têm por trás potências estrangeiras, para nos apresentarem ao mundo como vilões do desmatamento e do aquecimento do planeta. Pior: usam argumentos falsos, números fabricados e manipulados e acusações infundadas para prejudicar o Brasil. É preciso deixar claro que a Amazônia brasileira nos pertence. Não podemos admitir e incentivar que nações, entidades e personalidades estrangeiras sem passado que lhes dê autoridade moral para nos criticar tenham sucesso no seu objetivo principal para os não inocentes, que é prejudicar o Brasil e derrubar o governo Bolsonaro.”

31 pensou em “ELAS GOSTAM DE APANHAR… EU SEI QUE A GENTE SE ACOSTUMA. MAS NÃO DEVIA

  1. Quer uma ótima notícia? Um fubânico fazendo acontecer… Os telespectadores e os internautas do Jornal da Besta Fubana e da Jovem Pan já possuem uma nova opção de entretenimento para as noites de segunda-feira (21:30 às 23:00). No dia 28, o grupo Jovem Pan vai estrear o programa “Direto ao Ponto“, comandado pelo espetacular fubânico Augusto Nunes, um dos mais prestigiados jornalistas brasileiros. Imperdível. O primeiro convidado será Hamilton Mourão, o vice do Bolsonaro.

    • Augusto Nunes, Luis Ernesto Lacombe, Alexandre Garcia, Guilherme Fiuza, Rodrigo Constantino, J R Guzzo, Paula Marisa e Bárbara são barbarizantes. Adoro esses fantásticos jornalistas.

      • Mildred, ouso incluir em sua bem elaborada relação (todos maravilhosos) aguns nomes para sua apreciação.

        São eles: Caio Copolla, Cláudio Lessa, Políbio Braga e Percival Puggina.

        O que será que o Goiano acha de todos os elencados nas duas listas?

  2. Proibido conversão à esquerda… Sanção presidencial CNH – aumento da validade da Carteira Nacional de Habilitação para 10 anos e regras mais flexíveis para suspensão do direito de dirigir, vinculando a punição à gravidade da infração.

  3. Disney+: Marvel Studios ya ha encontrado a la protagonista de She-Hulk, otra de sus series para Disney+. La elegida para encarnar al personaje Hulka ha sido Tatiana Maslany, la ganadora del Emmy por Orphan Black. The Falcon and Winter Soldier, She-Hulk, WandaVision y Loki ya están en producción y sus estrenos se esperan en 2021 y 2022.

    • A principios de esta semana, Marvel Studios ha decidido retrasar la fecha de Viuda Negra. Ahora la veremos el 7 de mayo de 2021. Viuda Negra está dirigida por Cate Shortland y tiene un reparto espectacular encabezado por Scarlett Johansson, Florence Pugh, Rachel Weisz, David Harbour y William Hurt.

  4. Quer uma notícia ruim? No acumulado deste ano, a balança comercial teve superávit de US$ 41,075 bilhões, conforme anunciou o Ministério da Economia, na segunda-feira 21. O resultado é 20,5% maior que o saldo de US$ 34,097 bilhões registrado no mesmo período do ano passado. Poxa, vou ficar te devendo a tal notícia ruim.

  5. JBF – UTILIDADE PÚBLICA – FIQUE DE OLHO: O INSS informa que está em processo de contratação de mais uma central de atendimento para que seja otimizado o atendimento pelo telefone 135. Após a contratação, será aumentado em 30% a capacidade de atendimento através do canal. Cuidado com os ladrões virtuais: o INSS não solicita dados bancários ou de benefício.

    • Amanhã, sábado, é o último dia para que os Partidos inscrevam seus candidatos na Justiça Eleitoral.

      A partir de domingo, os candidatos poderão iniciar oficialmente suas campanhas.

    • E Beni apareceu na live fubânica…Gostou do Sancho chapeleiro maluco com a tal peruca laranja na confraternização de ontem?

      Aproveite o convite da coluna de hoje e mande seus textos para nosso JBF ficar ainda melhor…

        • Vai preparando o repertório e se candidate a nos encantar com uma “palestra” fubânica em alguma quinta. O Assuero dá todo o suporte. Qualquer tema é bienvenido…

          Abração, grande amigo…

  6. Sempre venho ao JBF rever os amigos do meu irmão Sancho. Há frase antiga que sentencia: Se tens um amigo visita-o amiúde, pois as ervas daninhas e os espinheiros nascem em caminhos onde ninguém passa..

    • Maninha, sempre um prazer saber que você curte nosso JBF.

      Gente fubânica lhes apresento minha irmã caçula, a querida Mélodie, professora de matemática em Mogi das Cruzes.

  7. Nenhum presidente brasileiro foi mais socialista do que o Jair (sempre nos braços do povo).Sempre concluindo obras para beneficiar o povo, sempre criando ou melhorando programas que beneficiam este mesmo povo. Sempre reservando Jair tempo para conversar com a “gente brasileira”.Este Brasil, cada dia mais socialista, deve estar enchendo de orgulho meu socialista amigo Goiano.

  8. De caminhoneiro para caminhoneiro:

    Uma homenagem a meu amigo de infância, o Sancho, que nunca foi “bom da cabeça”:
    “O louco não é o homem que perdeu a razão, mas o homem que perdeu tudo, menos a razão…Falando mais rigorosamente, podemos afirmar que qualquer explicação dada por um doido não é conclusiva, é, pelo menos, irrespondível.” G. K. Chesterton

    • Mano Broa, até que enfim você apareceu…

      Tem coco pra nosotros. O pessoal da baixada santista está aumentando as encomendas. Pega meu telefone com a Mélodie para acertarmos as encomendas.

      O Paulo da Zana está buscando em Neópolis-SE.

  9. Super clássico – Estados Unidos vs China – Briga de chachorro grande…

    ONU – 75° Asamblea General – Dijo Donald Trump: “Debemos responsabilizar al país que desató la pandemia en el mundo, China”. En su discurso ante la Asamblea de la ONU, el mandatario estadounidense dijo que el mundo está librando “una gran batalla contra un enemigo invisible, el virus chino”. Además saludó la lucha por la libertad de los pueblos de Cuba, Nicaragua y Venezuela.

    Dijo Trump en la 75° Asamblea Generalde la ONU: “China vierte millones y millones de plástico y basura a los océanos, emite más tóxicos a la atmósfera que ningún país, sus emisiones son el doble que las de EEUU y crecen rápido. Aquellos que critican a EEUU ignorando a China, no están interesados en el medio ambiente, solo quieren castigar a EEUU”.

  10. NÃO HARARÁ – pela primeira vez em “quase 100 anos” (1925 – 2020) a tradicional Corrida de São Silvestre foi adiada e será dia 11 de julho de 2021. Os organizadores decidiram pelo adiamento por mais segurança dos inscritos, colaboradores e público em geral. A São Silvestre é disputada anualmente desde 1925 sempre no dia 31 de dezembro nas ruas de São Paulo. Aliás o reveillón deste ano será totalmente ANORMAL, pois não “harará” queima de fogos em Copacabana e também não “harará” reveillón na Paulista.

  11. Enquanto isso na socialista Argentina… O PIB argentino no 2º semestre recuou 16,2% em relação ao primeiro trimestre do ano. Todos os componentes da demanda registraram contração no período, com destaque para a forte queda dos investimentos e do consumo privado. E as empresas fogem da Argentina como quem foge de um grande incêndio florestal?

    • Doido é tú que às quintas reúne um bando de loucos maravilhosos, que sob sua batuta dão aula de tudo que rola em salutares hospícios, cabarés e botecos, independente se o mato é grosso, fino ou virou fumaça.

      E o sem preguiça Roque foi espetacular, o que só surpreenderia quem não o conhecesse… Vamu que vamu que quinta já é compromisso.

      Que venha Maurino direto de algum buteco lá das bandas de paulo Afonso-BA.

      Abração, ASSUERO, amigo de fé e irmão camarada.

  12. SUCESSO – O presidente Jair Bolsonaro passou por uma cirurgia para retirada de um cálculo na bexiga na manhã desta sexta-feira. De acordo com boletim médico, divulgado pela Secretaria Especial de Comunicação Social, o cálculo foi “totalmente removido“.

    Bolsonaro “encontra-se estável clinicamente, afebril e sem dor”. O procedimento foi realizado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

    Os urubus de plantão mais uma vez torceram (até rezaram) pela morte do presidente sem nenhum êxito. Vida que segue… Mais uma vitória… “Deus, pátria, família”

  13. Paraná Pesquisas: intenção de votos no RJ:
    Eduardo Paes, 25,1%
    Marcelo Crivella, 13,6%
    Martha Rocha, 11,8%
    Benedita da Silva, 7,3%
    Bandeira de Mello, 3,6%.

    Pô, Lula, não vai dar uma forcinha para a Benedita? Que Goiano desça de Petrópolis para liderar o eleitorado carioca a favor da Benedita.

    Só nomes “maravilhosos”. É phodda, torcida brasileira… Esse bandeira não é aquele que era presidente do framengo?

  14. No ar… mais uma Bienaventuranzas do tablóide do Sancho.

    Agora eu saquei.

    Ora! bem-aventurança é um estado de espírito. De completude, felicidade e extremo bem-estar.

    Prefiro esta definição, inclusive, ante a definição que pende para religião de que, as bem-aventuranças são, na sua essência, cada uma das oito perfeições/(preceitos pregado pelo, como diz um ilustre bestafubanense, Homão de Nazaré, lá no Sermão da Montanha.

    Se o JBF, como dizes, é um trigo em meio ao joio de iluminação na nossa mídia, também és um semeador no campo do bem pensar. Mostra, sem nenhum segredo, o mapa para o distinto público ligar o interruptor que vai ajudar no clareamento das ideias.
    Proclamando: Fiat Lux. Ler, escrever… e vice versa.

    Já pregava o alencarino:

    Oh! Bendito o que semeia
    Livros à mão cheia
    E manda o povo pensar!
    O livro, caindo n’alma
    É germe – que faz a palma,
    É chuva – que faz o mar!

    Castro Alves ALVES, C., Espumas Flutuantes, 1870.

    • Ora! bem-aventurança é um estado de espírito. De completude, felicidade e extremo bem-estar. E essa aventurança encontramos entre nós fubânicos (leitores, colunistas, comentaristas). Essa aventurança encontramos em pessoas especiais que vamos aprendendo a conhecer nos textos publicados. Tão dferentes e tão iguais… O JBF nos une, nos faz uma família como a encontrada na série da Netflix
      Umbrella Academy.

  15. Querido Sancho Pança:

    Essa descrição está perfeita em se tratando do Cabaré do Tio Berto – O JBF.

    “O Jornal da Besta Fubana é o mais fecundo oásis perdido em meio a este deserto de idéias que a internet sempre foi. Diariamente entro pela porta principal da redação do Jornal da Besta Fubana. O dia passa voando e chega o momento de retornar à casa. Sempre saio diferente, pois aprendo um pouco mais com cada fubânico que esbarro nas colunas e nos comentários.

    Palmas para Sancho!!

    • Querido amigo…

      Se eu fosse aplaudir todas as vezes que VOCÊ mereceu, eu estaria com minhas mãos vermelhas como a camisa do pt.

      Sempre um prazer um comentário seu.

      Abração e ótimo domingo.

Deixe uma resposta