CONSTÂNCIA UCHÔA - "IN" CONSTÂNCIAS

Ao homem causa deslumbre o desconhecido. Arrebata-lhe violento esse misto de temor, força e curiosidade. Uma fúria que acovarda, um impulso que trava, um acordo tácito de um conhecimento talvez movediço. O mistério é um dramaturgo que não apresenta jamais os desfechos de sua temática.

Terá sempre a fé a preponderância dos enigmas. A promessa de paraíso que nos faz navegar, na diretriz de seu horizonte, sob o mar sacro da bússola temporal. Imensa e fecunda, fé! Eis que o maior dos mistérios nos conscientiza de nossa finitude e nos faz crer eternos. Tolhe e semeia, poda e germina.

O mistério é o que nos aprisiona no afã tolo da liberdade sonhada. Assim, quem domina parte do saber, torna-se mira de um fascínio interminável: fiapo terrestre de Deus, esgarçado de dúvidas, mas certo da devoção.

A morte e a vida, a presença e a falta, todos se cobrem no tecido tão áspero quanto brilhante do indecifrável. Seduzem por seus mistérios! Despem-se, ou não, na incerteza de um enlace com os caprichos do acaso.

A crônica O Avião de Paulo Afonso, da Obra A prisão de São Benedito e outras histórias, envolve-nos em seus dogmatismos, desde o espanto “apocalíptico” à gênese dos personagens, feito se pudéssemos voltar e reescrever nossas histórias. Creio que o criador parira o romance sem prever que os seus leitores batizá-lo-iam nas águas de seus olhares sorridentes. Alcancemos os sinais! A lágrima da graça é santa.

O escritor Luiz Berto cria o (no) Juízo Final. Ouçamos as trombetas!

Berto disse: Haja voo! E no ar se fez…

(adaptação do início da crônica à métrica – a poesia foi por conta do romancista).

* * *

Essa história sucedeu
Em um tempo já passado;
Mas lembro perfeitamente,
Na memória tá gravado.
Dia da Besta Fubana,
Era manhã de semana,
Estava aberto o mercado.

Haviam até comprado,
Carne e verdura do almoço,
O guisado temperado
Por mãe quando eu era moço,
Logo o mistério insinua,
Jogava ximbra na rua,
Quando vi o alvoroço.

De repente, o esboço:
Besta Fubana voando,
Um barulho tomou conta,
Dos céus viria o comando,
De Deus seria um repúdio?
Parecia um prelúdio,
Do fim do mundo chegando.

Passava matraqueando,
No espaço, o estampido,
Monótono e ritmado,
De ensurdecer atrevido.
Cada paragem ruidosa,
Que a Palmares silenciosa,
Nunca então teria ouvido.

Um barulho tão temido,
Nada no céu enxergamos,
Olhamos tanto sem ver,
Aquilo que escutamos;
Num segundo, a rua cheia,
Parecendo ser a meia,
Da vida que nem calçamos.

Foi quando enfim avistamos,
Parecendo até magia,
Lá por cima dos telhados,
Com rapidez se insurgia:
O avião sem ter as asas!
No chão, vazias as casas,
Sem saber quem morreria.

Ninguém ali viveria,
Fascinante e anormal,
Afinal que era aquilo,
Um recado ou um sinal?
Por deveras preocupante,
Nada é mais impressionante,
Do que o Juízo Final.

42 pensou em ““EIS O MISTÉRIO DA FÉ”

  1. Boa tarde dona Constância. Conseguiu driblar à todos, hoje. Né verdade?
    Não tem problema, continua linda como sempre.
    O dia mais aguardado da semana é o domingo.

    Percebi uma enorme identificação entre você e a deusa Érato, entre todas as deusas da poesia. Seu nome significa adorável. É musa do amor, da poesia romântica e da sedução. Carrega sempre uma lira, que ao tocar, parece muito com você, nos seud gestuais inteiros ao declamar suas poesias.

    Um lindo final de domingo.

    • Uau…. !!!!

      Uauuuu….. !!!!
      O que dizer ??? Da poesia e da poetisa

      Lingua dentro da boca não pode me prejudicar, portanto

      Uauuuuuuuuuu… !!!
      Para a poesia e para a poetisa .. !!!

      • Athur Tavares é lord
        Não quer se prejudicar
        Agradeço o comentário
        Meu verso lhe quer falar:
        Agradecemos então
        Seu uau de coração
        Escrevi no meu rimar

        • Uau…!!!

          Arthur, lord senhor….
          Aguardando por toda a vida
          Uma linda cancao de amor…..

          Sem cartao Visa,
          Apenas cafuné
          Para a linda poetisa….

          Yéééésssss…..

    • De musa Érato chamada
      Pela alma de Luiz
      Do Olimpo és o juiz
      Que me fez ser consagrada
      Agradeço a gentileza
      Gesto com delicadeza
      Do bem que reveste a ti
      Reflexo de seu conselho
      Todo domingo é espelho
      Seu olhar enxerga a si

  2. Constância, minha querida,
    Você agora acabou com Luiz Berto que deve estar todo derretido, espalhado ao chão e nem a Papisa Aline junta.
    Dar parabéns é pouco para tanto talento.
    Beijos mil, daquele jeito…

  3. Sr. Neto Feitosa.
    O homi tinha acabado de vortar do armoço.
    Se não tiver “todo derretido espalhado ao chão” deve estar esparramado numa rede com a senhora “Papisa Aline” abanando o emocionado Editor
    Berto, como ele mesmo diz: “ancho que só a peste”.
    Bom final de tarde.

  4. Sr. Arthur Tavares.
    Sinto-me gratificado com suas intervenções.
    Mas, até onde eu sei. Abelha que faz mel e não Inxirido abelhudo.

    Os seus uau…!!! Uauuuu…!
    “Língua dentro da boca…”
    Está mais para maribondo pitaqueiro que perdeu o ferrão na cabeça do prego pensando ter picado a sua fêmea.
    E agora balança o abdômen, em respeito não vou falar o r… querendo um novo ferrão.

    Isso é igual a travesti quando faz a operação capagem. Não tem mais volta. Kkkkk.

    Vá baixar no terreiro do Sr. Assuero, do Sancho e agora ainda tem um Luís gaúcho.

    Aproveite o final de domingo e vá assistir aquele filme: “A volta dos que não foram”. Ok?
    Tenha uma boa tarde!
    Saudações fubânicas.

    • Pois é……

      Pretensao e água benta nao faz mal a ninguém……., ou faz ??!!!!

      Fiquei sem palavras, função da beleza da poesia e da poetisa, mas ……
      e sempre existe um mas, …..
      nao significa que fiquei sem cerebro como o Sr. que se “acha” e já perdeu o senso do ridículo faz tempo, buscando disputas com mestre Assuero e o brilhante Sancho, onde o “premio” já deixou claro o quanto é patético este seu “sonho possível”” mas ………. improvavel…..

      Menas…. menas…..

      Apenas curta……

      Lingua dentro da boca e dedos dentro do bolso podem evitar situacoes constrangedoras…… ka ka ka

  5. Tosquia de ovinos… Cheguei tarde à casa da moça ruiva em virtude de ter pego o domingo para pelear com os ovelhas, tosqueano as bichinhas para fazer o cobertor de meu leito nupcial com minha “futura” esposa. Só agora larguei a lida. Foram 10 horas esquilando as bichinhas.

    E antes que um cabra desses do jbf o faça, me adianto, visto que o NÃO está garantido, quem sabe “pinta” um SIM: Nunca te pedi nada. Casa comigo por favor, Constanzinha.
    Sei fazer miojo, chimarrão, brigadeiro e cafuné.
    Cato piolho, coço frieira e “cultivo” bicho de pé…

  6. APURADOS Freitas, Assuero, Arthur e Uchôxu, príncipes consorte, não bafejados pela sorte, obviamente sem terem qualquer chance junto ao coração da moça de cabelos de fogueira de São João, o que me leva a recorrer a Cícero (não ao Cícero Tavares, que está incomunicável, curtindo prazeres inimagináveis sob os lençóis da Maria Bago Mole): “Os homens são como os vinhos: a idade azeda os maus e apura os bons.”

    Ficam sem o amor da ruiva, mas (benedicto mas), ganham a amizade de Sancho como prêmio de consolação. Não é muito nem pouco, é o que há.
    Melhor sorte para o Fantastic Four na próxima empreitada junto a alguma outra beldade…

    Esta Dulcinéia largou el ingenioso hidalgo don Quijote de la Mancha e escolheu Sancho para irem morar em Amesterdão ou Amsterdã/Amesterdã (em neerlandês: Amsterdam) sob um moinho de vento.

    Sugiro ao quarteto se amaziarem com algumas quengas do Cabaré dos Tios Berto&Assuero ou fazerem igual aos goianos (não confundam com o Goiano, que não sabe nem onde fica o Estado de Goiás), que a cada desilusão amorosa formam duplas setanejas.

    Sugiro os nomes das duplas Luiz&Luis e Mau-Mau&Tavares. E òtima sorte nas novas profissões.

    Verifiquem suas caixas de correio, pois a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos nesta segunda entregará os convites das bodas.

    O choro é livre é o vencedor é Sancho…. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Posso ser sua Dulcinéia
      Voar moinhos de vento
      Que o amor seja o rebento
      E a paixão nossa plateia
      Seja fiel escudeiro
      Diga então ao mundo inteiro
      Quem será Constâncio Uchôxo
      Faço correr quem for coxo
      Por cafuné e brigadeiro

  7. Pois é…..

    Pretensão tbm nao tem limites…..
    Pôôô…. até vc Sancho…. !!!

    A bela e inteligente poetisa se afastou de qqr comentário pois está como eu……..

    Sem palavras ……

    E “craro”, nesta situação, ratifica sua inteligência afastando-se destes “véios” malucos e pretenciosos…….

    Se aquentem e não assustem a menina…. menas… menas….

    Controlem-se…….

    • Não é muito comum Sancho DISCORDAR da Arthur… Sigamos:

      Escreves: ratifica sua inteligência afastando-se destes “véios” malucos e…

      Nana ni na não, caro Arthur…

      Mulheres inteligentes (e ela o é) são dotadas de ótimo humor e certamente possui Constância sensibilidade (mulheres são mestras em tal arte) de saber que a admiração que nutrimos por ela é fruto de:
      a) Sua maravilhosa verve artística;
      b) Sua simpatia demonstrada em todas as suas aparições nesta gazeta de todos nós;e
      c) Pelo nosso alienável direito de formarmos o FÃ CLUBE DA UCHÔA, pois artistas na acepção do termo possuem um muito de Narciso.

      Com a a palavra a poetisa…

        • Recorro a Cora Coralina (encantadora) para falar ao coração de todos que encontraram em Constância um motivo para serem MAIS FELIZES. Disse Coralina: “Poeta, não é somente o que escreve. É aquele que sente a poesia, se extasia sensível ao achado de uma rima à autenticidade de um verso.” Cora Coralina

          Sancho não é bom de verso, mas (benedicto mas) os usa e muletas para ir mais longe, cortando estradas Brasil afora… Estou aos poucos retornando às viagens de maior percurso, mas (prudente mas), ainda restrito à região Sudeste e Sul.

          Que o Nordestão de todos nós me aguarde, pois pretendo “esticar caminho” no início de 2022.

          Beijão para Constância e para todos que a admiram…

  8. Com todo respeito que tenho não só pelo senhor. Como também por todos amigos Fubânicos.
    Tenho por hábito, ouvir mais e bastante. Do que falar e até falar muito e não dizer nada.

    Dou muita atenção e consideração, para as críticas e/ou os elogios. São sempre fontes de aprendizado e experiência.

    Uma coisa que posso lhe dizer com absoluta certeza é que não me acho o que o senhor quis insinuar e muito menos a questão de perder “o senso de ridículo faz tempo”. Acho, que quem deveria dizer isso, seria a própria e não o senhor.
    Afinal de contas, o que eu escrevo ou demonstro sentir é exclusivamente para ela. Se a mesma se achar incomodada com alguma coisa. Existem palavras para demonstrar sua insatisfação: pare, não, chega, se manca, cai fora, vê se enxerga…

    Talvez o senhor não tenha entendido a brincadeira que fiz e em nenhum momento considerei o senhor não ter cérebro. Peço desculpas humildemente, se entendeu assim. Não é da minha índole ofender gratuitamente o meu semelhante.

    Acredito e espero ter desfeito qualquer mal entendido. Tenho o senhor e a todos na minha estima.
    Temos dois caminhos: seguimos nas nossas bestices e inutilidades como bons colegas e amigos respeitosos e respeitados no antro fubânico ou nos xingamos e cada um pega sua reta.
    O senhor provavelmente, em função do seu nome de batismo Arthur. Deve ter sido inspirado no Rei de mesmo nome e que comandava
    os Cavaleiros da Távola Redonda. Seu pedigree pode ser melhor do que o meu. Numa Cruzada todos são cavaleiros.

    Bom descanso e bom final de domingo.

    • Pois é…..

      Na realidade vem o meu pedido de desculpas pela ingnoranssa na falta de entendimento das suas belas palavras em relacao a poetisa……

      Desculpe a intromissao em assuntos absolutamente particular e privado, entre ambos os dois

      Em minha defesa fica a sensação de que a linda poetisa (tbm to tentando) é muito educada para dar um bico em nóis….. ka ka ka……

      Como diz Sancho……
      Com a palavra a linda e charmosa poetisa……

  9. Sancho Pança, o dia hoje foi lasca. Corrigindo uma tese que vai ser defendida dia 23/02. Depois emendei numa dissertação. Ainda não terminei!!!!! Deixei LCF fazer as honras e ele fez um texto belo. Mais, uma vez Constância deixou a massa imprensada e lascou as estruturas do Papa Berto que afinal saiu vitorioso porque diante do anúncio da prefeitura de Recife que iria castrar pessoas acima de 85 anos, criou-se uma expectativa: será que o Papa vai afinar a voz?

    • Demorando a chegar
      Até que chegou então
      O dia dele foi lasca
      Um cheiro de gratidão
      Assuero em que pese
      Corrigira até a tese
      Depois a dissertação

  10. Sr. Arthur Tavares. Por favor, não tem nada do que se desculpar.
    Somos crias do século passado.
    Com nossas experiências de vidas.
    Podemos absorver qualquer situação adversa para aprimorarmos ainda mais nossos conceitos de respeito, gentileza, atenção, admiração, amizade e gratidão para com o próximo.

    Razão e emoção, caminham
    lado à lado. Mas, só quem possui os cabelos brancos adquiridos nas estradas da vida é que sabe discernir, quando uma deve prevalecer à outra ou quando podem seguir juntas sem gerarem conflitos.

    Talvez, suas intervenções, no geral. Contribuiram para algumas reflexões sobre o momento presente.

    Reforço meu apreço e estima, tanto para com o senhor, como para com os demais amigos e participantes do JBF.

    • CIVILIDADE É ISSO AÍ, Luiz Carlos Freitas!

      Constância nos proporcionou um dos momentos mais sublimes do JBF com seu “EIS O MISTÉRIO DA FÉ!”

      Sancho Pança, estimado colunista do coração, aos pouquinhos eu estou dando vida à história do Cabaré de Maria Bago Mole onde já tem ingresso de para o nobre colunista, D.Matt., Luiz Berto, Altamir Pinheiro, Assuero, Dr.José Paulo Cavalcanti, Arthur Tavares e Jesus Ritinha de Miúdo. Todos têm vaga garantida na história…

      Obrigado Constância Uchôa por essa magnífica ode à Prisão de São Benedito e outras histórias.

  11. Sr. Cícero Tavares.
    Sinto-me honrado por sua citação a minha pessoa.

    CIVILIDADE , como o senhor citou. É a palavra chave, mais antiga e conhecida para a socialização e humanização universal dos povos.

    Lastimável e lamentável presenciarmos, em determinados momentos, que em pleno século XXI. Alguns resquícios de barbárie, continuam presentes entre Nações, seus governantes e seus governados.

    Meus sinceros cumprimentos, por essa oportunidade e pelo conjunto da obra.
    Bom final de domingo.

  12. Um texto feito com requinte intelectual, uma poesia com riqueza de detalhes…você sempre surpreende com inspiração além da conta.

  13. Não sei o que dizer Deusa Poeta, Poeta Deusa. Nunca pensei ter quinze segundos de fama sendo seu muso inspirador.
    Gesto gentil e delicado como seu etéreo ser.

    Sinto-me, aliviado agora, por tudo que se especulava, ontem.
    Já iria tomar Rivotril de novo.

    Pensei, em função da demora da sua aparição santificada de domingo, que algo poderia ter acontecido. Até enviei e-mail para o Berto.
    Trocava pensamentos comigo mesmo. Achando que você poderia ter ido à alguma praia em Natal. Ou até, as dunas de Genipabu. Talvez o sol forte pudesse ter provocado ardor em sua pele alva e delicada como o algodão do Seridó.

    Que bom, que está tudo bem com você. Tirei fotos da lua cheia para encaminhar-lhe.
    Sol, Lua, Poeta, Poetisa, Deusa, Musa, Flor, Natureza… É tudo, Constância!

    Ciao Bella, Bella Ciao.

  14. Constância!
    Mesmo que eu não existisse no sentido que o abelhudo/maribondo aí de baixo falou. Anos-luz não seriam distância para encontrá-la.
    Escutou bem o que eu falei, Lord Arthur?
    Deixa eu ficar ancho que só a peste também, igual ao Berto.
    KKKKK.

    Constância! Constância! Constância! Quanta suavidade, melodia e doçura tem esse nome. Não me canso em pronunciar, Constância…!!!

    Gosto muito de apreciar o firmamento. Hoje, a primeira estrela que encontrar, eu a chamarei de Constância.

  15. Só os fracos e os covardes desistem. Não faço parte desse time.
    Se eu não existo, para ela, como o senhor falou. Teremos que buscar explicações na filosofia do existencialismo. Pois, se a mesma pensou em mim como não existente, já passei a existir
    na sua mente. Concorda?
    Deduzimos, então, que eu existo, para ela, mesmo que seja em pensamento. Estamos entendidos?
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  16. Nao liga nao Luiz….

    Foi apenas ciúme de um fã desolado na derrota……

    Que fazer ????

    Sniff Sniff…… o choro é livre… ainda bem…

    Parabens e seja feliz com sua musa…

    Perder faz parte

    🤷‍♂️ O que fazer ??!!!!

  17. Não foi à toa o seu título de lord
    que ela lhe deu.
    Só os nobres sabem perder honrosamente.

    “Que fazer?” “O que fazer?”
    Indagações suas.
    Como diz aquela máxima: “se conselho fosse bom, não se dava, se vendia”. Não é verdade?

    Pois bem. Tem um tal de Constâncio Uchôxu, dando xôpa lá pelas bandas dos pampas.
    Por que tu não vais te ranguear com ele, tchê?
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Desculpe Sr. Arthur Tavares. Não podia perder a oportunidade.
    Vamos rir e muito. Rir ainda é o melhor remédio.
    Um forte abraço. Um bom descanso.

    • Poooo….. Luiz
      Sobrou Constancio…….. ????!!!!! PQP….!!!

      Chutar cachorro morto nao é uma maneira de vencer com grandeza…..

      O mundo dá muitas voltas, nao esqueça nunca…..
      Pode ser uma vitória de pirro….
      Pode ser apenas uma batalha…
      O que sabemos do futuro ???

      Vou na retirada estratégica para lamber as feridas e avaliar ………

      Até….

  18. O futuro à Deus pertence.
    Dele, não sabemos nada, certamente.

    Mas, quem me deu a vitória, foi o senhor mesmo: “Parabéns e seja feliz com sua musa…”

    Ela só disse: “Você não existe!”
    Não fui eleito à nada no conceito dela.

    O senhor não exagerou um pouco? Com essa história de “vitória de pirro…” Está todo mundo bem, não houve perdas e danos irreparáveis.
    “O mundo dá muitas voltas”, “retirada estratégica”. Concordo plenamente.
    Porque, ela não falou: você conquistou meu coração. Sossegue nobre lord.
    “Está tudo dantes no quartel de Abrantes”.
    Paz e bem.

Deixe uma resposta para Maurício Assuero Cancelar resposta