EDITOR FELIZ COM PUXADA DO LEITOR

Comentário sobre a postagem UMA BANANA BEM DADA

Sancho Pança:

Berto e sua banana (só Don Quijote de La Mancha faria igual) Berto, o desabestalhador e embananador da gota serena, um apaixonado pela “terra dos altos coqueiros, de beleza e soberbo estendal”.

JBF é uma realística ficção estupenda, cujo dono, em certo livro seu, sentencia:

“Pode-se perdoar tudo num homem, menos que não bote força pra deixar de ser burro”.

Uma lição que deveria estar gravada a ferro e fogo na porta de nossas escolas, do ensino básico até o ÚLTIMO ciclo universitário, principalmente na “federais”, algumas dominadas pelas zisquerdas de banânia.

A leitura do JORNAL DA BESTA FUBANA, do Berto, ampliará seguramente nossa pernambucanidade, mesmo que tenhamos nascido em terras de além-mar.

* * *

Nota do Editor:

Fiquei ancho que só a peste com esta puxada de saco do nosso estimado leitor!

A frase por ele citada é de Chico Folote, um dos principais personagens do meu livro O Romance da Besta Fubana:

“Pode-se perdoar tudo num homem, menos que não bote força pra deixar de ser burro”.

Dando uma de inxirido, aproveito a oportunidade pra fazer um comercial:

Quem quiser adquirir O Romance da Besta Fubana, ou qualquer um dos meus  outros modestos títulos, é só entrar na página da Editora Bagaço e fazer a aquisição via internet, com toda tranquilidade e segurança.

Basta clicar aqui para acessar.

A quarta edição está fresquinha: acabou de sair do forno neste mês de outubro.

E, pra finalizar, vou se amostrar-se-me mais um pouquinho, oferecendo pra vocês um trabalho acadêmico sobre este romance.

Trata-se de um texto da Professora Virgínia Celeste Carvalho da Silva, Mestranda em Teoria da Literatura pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

Clique aqui para ler.

Deixe uma resposta