DEU NO JORNAL

1) No inquérito das fake news, o Supremo Tribunal Federal tem sido duro, acusando de “associação criminosa” deputados, empresários e até um comediante, pelas críticas ao tribunal.

Já no julgamento do Mensalão, o mesmo STF entendeu que o esquema que subornava o Congresso, chefiado pelo petista Lula, depois condenado duas vezes por corrupção, não era “formação de quadrilha”.

O entendimento ajudou a reduzir a pena de tipos como José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares e etc.

O STF não viu associação criminosa no pagamento mensal de propina a parlamentares para aprovar leis.

Graves são mesmo as fake news.

Cinco dos 11 ministros atuais votaram pela absolvição: Dias Toffoli, Lewandowski, Carmen Lúcia, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso.

*

2) O inquérito que investiga supostas fake news contra ministros do STF tratou da VazaJato, censurou a revista Crusoé, investigou “deep web” e cyber-terroristas e agora “organização criminosa” de bolsonaristas.

Em um ano, o STF impôs uma dúzia de derrotas ao governo, várias a pedido de partidos. Limitou sua atuação na pandemia, impediu posse na PF, até exigiu explicações da Câmara sobre “demora” no impeachment…

O STF botou a polícia atrás de blogueiros bolsonaristas e ainda humilha o presidente e ministros com interrogatórios na polícia.

E ainda tem quem ache que a oposição a Jair Bolsonaro está no Congresso.

* * *

Até que tentei comentar estas duas notícias aí de cima.

Mas, quando comecei a digitar, me deu uma inexplicável ânsia de vômito.

Num sei mesmo porque…

Tive que sair correndo atrás do meu pinico.

Deixe uma resposta