DEU NO JORNAL

O voto de Gilmar Mendes no julgamento sobre a prisão em segundo grau vai durar apenas dez minutos, diz a Folha de S. Paulo.

Na verdade, sua opinião poderia ser resumida a duas palavras: Lula livre.

* * *

Este jornal, a Folha de S.Paulo, que já sabe com antecedência a duração do voto de um ministro do STF, é o cabeça daquela grande imprensa citada numa mensagem do colunista Goiano, publicada numa postagem aí embaixo, na seção de cartas.

A grande imprensa que, segundo Goiano, vem sofrendo “tentativas de desmanches” e sendo barbaramente criticada.

E isto só porque é uma imprensa noticiosa, isenta e imparcial.

É só olhar pra Folha e pro Jornal Nacional pra constatar isto.

São dois exemplos de isenção e imparcialidade que criticam o errado e elogiam o certo do governo Bolsonaro.

Sendo que as matérias ressaltando as coisas certas feitas por Bozó são mais de 99% do noticiário da Folha e do Jornal Nacional.

O jurista fubânico Goiano já aplaudiu antecipadamente o voto de Gilmar pelo “Lula Livre“.

Gilmar é um dos mais ilustres componentes daquele poder que, junto com a imprensa, bem sendo desmanchado por “colaboradores, articulistas e leitores” do JBF, segundo escreveu Goiano.

Pra fechar: o voto de Gilmar será bem fundamentado, justo, isento, apartidário e de notável saber jurídico.

Um ficha limpa votando pela libertação de outro que tem a ficha mais limpa ainda.

Deixe uma resposta