5 pensou em “DOCE DELÍCIA – PARA OS LEITORES DO RECIFE

  1. Doce Delícia.
    Quando entregar no Rio.
    Alem do bolo de rolo, vou querer bolo pé-de-moleque e o bolo Souza Leão. Pode ser?

    Canjica, pamonha, mungunzá, cartola, queijadinha, cocada, bolo de macaxeira, bolo de fubá, brevidade, nego bom, quebra-queixo, quindim, beijinho, baba de moça, olho de sogra, xerém doce, papa de sagu, cuscuz de tapioca, bolo de puba…
    Vou pedir um intervalo pra dar umas voltas no quarteirão, pra desgastar um pouco e depois eu volto com outros pedidos. Tá legal?
    Muito sucesso e ótimas vendas.

  2. Home, seu minino, estou aqui em Curitiba e ontem bati perna no mercado público municipal, que se vangloria de vender de tudo que existe no Brasil, em termos de frutas, e comidas em geral, à procura de bolo de rolo. Até que achei, mas era um bolo de rolo “fake”, com recheio de doce de leite, em vez da tradicional goiabada. Fiquei na vontade…

    • Mas tem. Uma pernambucana quem os faz. Procure na primeira barraca do último corredor à direita de quem entra na parte inferior do mercado. Agora: irá pagar aprox. R$ 65 o quilo, ao menos. Assalto à mão armada.

  3. QUANDO OLHO A FOTO ME LEMBRO DA GRINGA, MINHA “NONNA” MATERNA.

    SABE-SE QUE, NA ITÁLIA, CADA LUGAR – DESDE UMA SIMPLES ALDEIA – TEM UMA CULINÁRIA PRÓPRIA, QUE, ÀS VEZES, CHEGA SE DIFERENCIAR DE UMA CASA PARA OUTRA.

    E ESSA CULINÁRIA INDIVIDUAL E/OU COLETIVA É O SUPREMO ORGULHO – NUNCA ESCONDIDO – DA RESPECTIVA “MAMMA” E/OU DA “NONNA”.

    E, TAMBÉM, COMO TAL, ÀS VEZES, SUA(S) “FÓRMULA(S)” – QUE SÃO, NO MÍNIMO, CENTENÁRIAS, PASSAM DE MÃE PARA FILHA(S), CIOSA E CIUMENTAMENTE, NO MAIOR SEGREDO.

    POIS BEM, “LA MIA DOLCE NONNA” QUE FALO, ERA DE UMA ALDEIAZINHA, PRÓXIMO DE NÁPOLES, DO OUTRO LADO DO VESÚVIO.

    E A PIZZA QUE ELA FAZIA SE DISTINGUIA, TOTALMENTE, DAS AMERICANIZADAS QUE ANDAM POR AÍ.

    PRIMEIRO QUE A MASSA ERA ESTICADA EM FORMA RETANGULAR.

    SOBRE ESTE RETÂNGULO SÃO POSTOS, EM CAMADAS – LADO A LADO – TODOS OS INGREDIENTES E CONDIMENTOS, CONFORME O TIPO DA DITA E AO GOSTO DE QUEM VAI INGERI-LA OU OFERECÊ-LA.

    A PROPÓSITO, RARAMENTE SE USA PRESUNTO (QUE PRECISA SER CONDIMENTADO, POIS, NORMALMENTE, NÃO TEM GOSTO) E, SIM, MORTADELA E/OU SALAME (FATIADO OU PICADO OU GUISADO), QUE TEM GOSTO MAIS FORTE.

    MAS, É ÓBVIO, QUE OS INGREDIENTES E CONDIMENTOS FICAM AO TIPO, À CRIATIVIDADE E AO GOSTO DE CADA UM.

    NÃO ESQUECENDO QUE O AZEITE DE OLIVA, SEJA PARA PREPARAR O TEMPERO COM OS CONDIMENTOS, OU SÓ PARA PINCELAR OU BESUNTAR CADA VOLTA, É ESSENCIAL.

    A SEGUIR, COMO NO “BOLO DE ROLO” DA FOTO, É CUIDADOSAMENTE ENROLADA E, NATURALMENTE, POSTA NO FORNO – DE PREFERÊNCIA DE BRASA.

    ISSO NÃO QUER DIZER QUE NÃO POSSA SER NO FORNO DE FOGÃO À LENHA OU A GÁS OU DE MICRO-ONDAS – QUE É COMO FAÇO, POIS NÃO TENHO NENHUM DOS OUTROS DOIS.

    É CLARO QUE NO DE BRASAS TERÁ UM ALGO MAIS NO GOSTO.

    E, POR FIM, PRONTA É FATIADA, COMO NA FOTO.

    ENTÃO, SÓ COM O PERFUME – NÃO VOU DIZER CHEIRO, QUE SERÁ UMA OFENSA -, NÃO HÁ LOMBRIGAS QUE NÃO SE AGITEM FESTEJANDO, NEM FALTA DE APETITE QUE NÃO DESAPAREÇA.

    E “MANGIA CHE FA BENE” POIS É DE LAMBER OS DEDOS E O PRATO.

    .

Deixe uma resposta para Adail Augusto Agostini Cancelar resposta