ADONIS OLIVEIRA - LÍNGUA FERINA

Estamos vivendo em um mundo muito estranho! E pode botar estranho nisso. A situação prenuncia um verdadeiro apocalipse, muito especialmente em nosso país. Multidões de efebos afeminados, verdadeiras hordas de gazelas saltitantes, contrafações grotescas e bizarras daquilo que antes era considerado o ser mais sublime na criação – UMA BELA MULHER E SUA FEMINILIDADE, acolitados por ferozes “Pitt Bulls” da política, provavelmente raivosas bichas enrustidas que, frustrados por não assumirem que também gostam de supositórios tamanho “Jumbão Plus” e de calças “Tora Bago”, vingam-se impondo “Manu Militare” tudo aquilo que nós, os antigos normais, podemos (e deixamos de poder) fazer e ser.

Estes “mutantes”, os novos X-MEN, aberrações genéticas elevadas à categoria de Intocáveis” pelo “Politicamente Correto”, estão em todos os lugares! São Governadores de Estado, Ministros do Supremo, Senadores da República, presidentes de países como a França, quantidade imensa de artistas e “celebridades”, sempre propagandeadas insistentemente por aqueles amaldiçoados meios de comunicação que desejam ver a diluição da nossa sociedade em bosta, e por aí vai. A mensagem que propagam é feita sempre de forma que seja extremamente atraente e de fácil assimilação pelas novas gerações: Agora, DAR O CU É FASHION! Foi nessa que Cazuza se lascou. Cada vez mais, estes adeptos da endoscopia reversa, se é que me entendem, ocupam posições de poder que os possibilita impor seus aberrantes comportamentos à maioria da humanidade.

Para eles, não basta simplesmente ser o que são e praticarem seus comportamentos desviantes. Não! Tem de impor à maioria a sua (deles) estranha forma de ser. Devem, também, e sempre que possível, dar escândalo! Devem sempre “Causar”! Nossa sorte é que são estéreis. Não se reproduzem. Ficam sempre na dependência de dar um nó na cabeça das novas gerações, para que estas lhes sigam em sua senda de perversões. É exatamente aí que mora o perigo maior do proselitismo que praticam com afinco.

A bem da verdade, e bom que se diga, a única cria resultante do ajuntamento de esperma com bosta é um petista, mas isso se dá apenas em nível filosófico. FELIZMENTE!

Por que será que essa gente nojenta tem tanta necessidade de impor suas visões aberrantes e distorcidas de mundo à maioria que os circunda?

Será necessidade de “Belongness”? Não creio! Se fosse, se contentariam em compor as suas gangues e trocariam furiosamente seus anéis de couro entre si, numa verdadeira orgia de pregas estouradas, e nos deixariam, pobres e simples normais, quietos em nosso canto e praticando o velho sexo “papai e mamãe”.

Tão ameaçador, ou até mais, que as hordas de efebos saltitantes, todos raivosos com aqueles que não compartilham da sua fixação mórbida em proctofilia, juntamente com suas contrapartidas femininas, (?) de cabelos raspados, sovacos cabeludos e aparência de estivadores ou halterofilistas; são os ladravazes já destronados, julgados e reiteradamente condenados pela justiça, verdadeiros mortos-vivos cuja sobrevida social se dá apenas e tão somente graças a chicanas e patifarias jurídicas que fariam jus a pena de morte sumaríssima em qualquer país com um mínimo de decência, que não esta cloaca fétida em que transformaram o Brasil, chicanas estas acoitadas pelos seus “parças” incrustrados em posições estratégicas do judiciário.

Junto com os “Walking Deads” redivivos, temos que suportar quotidianamente a visão abjeta da horda de canalhas da pior espécie, todos altamente escolados nos meandros da gatunagem sobre recursos públicos e na masturbação ad-aeternum das chicanas jurídicas junto aos seus asseclas incrustrados nas cortes de justiça (eca!!!) deste nosso malsinado país. Essa, sim, é a pior das ditaduras, como explicitou Rui Barbosa há mais de 100 anos, pois não temos a quem apelar. Só nos resta a insurreição!

Não satisfeitos com a espoliação que praticam diuturnamente sobre os minguados recursos públicos, esta casta de vermes abjetos se perpetua no poder sobre o aparato estatal de inúmeras formas, sendo hoje a transmissão de seus feudos de roubalheira para herdeiros uma das formas mais praticadas.

O volume de recursos que é consumido por essas gangues que se apoderaram do aparato estatal brasileiro é alguma coisa difícil de ser avaliada. Isso sem falar no tremendo atraso para toda e qualquer atividade econômica provocado pela constante insegurança sentida pelo cidadão, decorrente das aberrações prolatadas por tiranetes nos mais diversos níveis governamentais. Estamos todos ao sabor dos arroubos e caprichos oriundos destas multidões de gordos nababos tarados engastados em posições de comando.

A questão principal que se nos apresenta é:

COMO PODEREMOS NOS LIVRAR DESTA CORJA MALDITA?

Cada país, ao longo da história humana, desenvolveu uma técnica peculiar para despachar ao inferno todos aqueles considerados indignos de pertencerem ao mesmo grupo, ou que praticaram atos tão ignominiosos que os qualificava para uma passagem de ida, sem volta, para as profundas de Satanás. Apenas como exemplo:

• França – A Guilhotina.
• Alemanha – Câmara de gás.
• Chile (de Pinochet) – Colocar em um avião e jogá-los em alto mar.
• Estados Unidos – Enforcamento (no Velho-Oeste). Antes, Cadeira Elétrica. Hoje, injeção letal.
• Israel – (Nos tempos bíblicos) O Apedrejamento.
• Transilvânia e Valáquia (Na época do Drácula) – O Empalamento. Etc.

O Sargento Fahur deu a ideia de enforcarmos sumariamente esses crápulas. Sou da opinião que devemos desenvolver uma forma de “despacho”, para esses vermes abjetos, que seja bem brasileira, original, e compatível com o volume de canalhices praticados pelos meliantes. A minha preferência vai para o velho desmembramento VIVO, tal qual foi bem descrito por Michel Foucault em seu livro sobre vigiar e punir.

Tenho sonhado, noites e mais noites, com cenas em que os membros dessa corja nojenta são desmembrados tal qual um guaiamum cevado. Delicio-me ao imaginar vê-los em linha, todos se urinando e se cagando ao terem seus nomes chamados para ser o próximo executado.

Faço apenas a ressalva de que, se quisermos nos ver livres dessas assombrações por uns cem anos, a devassa deve ser completa. Quero dizer com isso que não poderemos deixar nenhum vivo, sob pena de vermos recrudescer exatamente o mesmo problema daqui a uns anos. Vejam quantos filhos de terroristas jogadores de bombas estão hoje encastelados nas OABs da vida.

Tem que exterminar totalmente esta raça, para que não venham nunca mais com essa conversa de “Um mundo mais igual” e querendo tomar dos outros aquilo que foi conquistado com muito suor.

Tratem todos de ir trabalhar honestamente, se quiserem conseguir alguma coisa na vida. Essa é a receita!

Quanto ao aparato estatal, desmembrados todos os líderes da cachorrada, creio que os parasitas tratarão logo de buscar alguma coisa produtiva para fazer, todos com receio de serem os próximos galetos desossados.

Como dizia Falcão, em seu Latim castiço: “Quod sfincter habit, temore pussuit!”

3 pensou em “DITADURA DE HIENAS VORAZES E GAZELAS SALTITANTES

  1. Polodoro Rei. Nesta orgia o mascote gazetiano escrotiano fubânico será muito útil. Eis um trecho que Polodoro com certeza curtiu, pois colocaria sua pajaraca para cumprir tal missão: “numa verdadeira orgia de pregas estouradas”.
    Rindo até o próximo adônico domingo.

  2. Texto inteligente, Adônis.

    Aqui estão expostas as bactérias do esquerdismo prontas para devorar o que o capitalismo e sua liberdade pregam e produzem de bom.

    Pode haver outro regime e outra possibilidade de livre comércio, mas fora do capitalismo só após a explosão do universo.

    Parabéns, mestre.

Deixe uma resposta