DEU NO JORNAL

Rodrigo Maia recua e pede desculpas a Guedes:

“Fui indelicado e grosseiro”

* * *

Agora só tá faltando uma coisa:

Ele pedir desculpas ao Brasil e aos contribuintes brasileiros pelo simples fato de existir e estar ocupando espaço no nosso território.

Quanto aos 74.232 fluminenses que deram seu voto pra elegê-lo, informo que o jumento Polodoro está de pajaraca pronta pra enfiar no furico de cada um, sem cuspe e sem vaselina.

Enquanto isto não acontece, nosso estimado jumento vai relinchar em homenagem a todos vocês, seus tabacudos.

Rincha, Polodoro!

4 pensou em “DESCULPA DE NHONHO

  1. Maia está a poucos meses de ir para o ostracismo político. Pode ir humilhado por perder o embate político ou pode tentar dar andamento Às reformas e se gabar disso.

    Hoje ele não consegue nem eleger o relator do orçamento.

    Perdeu para JB a influência no Centrão. Para os que criticam a política do JB em relação ao Centrão, fica uma dica: quem tem o apoio dos 350 deputados que fazem parte deste grupo, governa, quem não tem é impinchado.

    Detalhe: JB não deu uma única diretoria de estatal de peso ou ministério nesta negociação com o Centrão.

    O Jornalista Carlos Brickmann em coluna logo abaixo disse que JB está preocupado com a nova denúncia do Deputado A. Frota à PF com provas de que o 03 interferiu na campanha de 2018 com disparos no WhatsApp. Falou isso e levou a sério a informação. É o desespero total

  2. Sr João Francisco, com todo o respeito, vou discordar de sua opinião. O Nhonho só se desculpou para obter o apoio da bancada governista na câmara para sua permanência na presidência da casa. Para beneficia-los eles conseguem mudar até os dez mandamentos.

    • Caro Terracota, o Maia que quer voltar À presidência da câmara, mas isso é inconstitucional. Ainda que não fosse, ele não é mais o Rei do Centrão. Perdeu a relatoria do Orçamento que é o cargo mais almejado, depois da presidência

      • O Nhonho e o Batoré não dão ponto sem nó, vão criar uma PEC para beneficia-los, quem viver verá. Mas, de coração, espero que o sr tenha razão

Deixe uma resposta