14 pensou em “DECLARAÇÃO DE SOCIOPATA

  1. Alguém viu algum comentário à respeito deste absurdo por parte do Goiano?

    Se sim, me indique onde está que eu gostaria de ver.

  2. Coluna do Bernardo estreou no dia 1º do mês de março do ano da desGRAÇA de 2020. .Aqui, de São Bernardo, afagando a cinza pelagem de meu São Bernardo, acompanho o señor Bernardo, especialista em vídeos políticos de interesse fubânico. Sempre certeiro, esse nosso farejador de coisa boa em forma de imagem, não deixou por menos e cravou o título perfeito: declaração de sociopata.

    Por São Goiano Defensor, creio que vai ser difícil aquele señor de textos imensos, defender o indefensável (ou não?!)…

  3. O Goiano pode dizer que o canalha não disse isto , apenas interpretou o “pensamento” do homem. Que o vídeo é falso , que são os robôs do Bolsonaro e que vão pedir um impeachment do Presidente por ter criado o vírus num condomínio no Rio de Janeiro , tendo como testemunhas os paulistas Gestor e
    Witzel .

  4. Lula disse o seguinte:
    “O que eu vejo? Quando eu vejo os discursos dessas pessoas, quando eu vejo essas pessoas acharem bonito que ‘tem que vender tudo o que é público’, que ‘o público não presta nada’, ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus. Porque esse monstro está permitindo que os cegos comecem a enxergar que apenas o Estado é capaz de dar solução a determinadas crises. Essa crise do coronavírus, somente o Estado pode resolver isso, como foi a crise de 2008.”
    Oquei, gente, a apelação foi meio torta, o “ainda bem” não cai bem em quem pegou o vírus ou pegará, em que sofreu as conseqüências mortais, em parentes e amigos de infectados e cabe a Lula se desculpar por seu excesso verborrágico, mas, como vocês continuarão votando em Jair Messias Bolsonaro apesar de tudo, eu me sinto no direito de votar no Lula com o coração quente e vermelho mesmo assim, tá no ré?.
    Aproveito o momento para mandar um beijo na bunda de todos.

  5. Um perguntou “e daí?”
    O outro disse “ainda bem”
    E eu acho que esses dois
    Juntos não valem um vintém
    Pois, ambos não têm respeito
    Soltam frases sem efeito
    Que não agradam ninguém.

    • “Ainda bem” – nunca votei ou votaria no inocêncio da silva por ter dito ou deixado de dizer. Nunca votei ou votaria pelo que representa (seria extenso demais elencar todas as “virtudes de ancião petista.

      “e daí?” – Em 2018 votei no Jair e confesso que muito me desagrada apenas o que ele não fez: privatizar todas as estatais (velho sonho de Sancho). Quanto ao que diz, e olha que tal sujeito sempre tem muito a dizer, creio que terei que dizer que sou grande defensor da tal liberdade de expressão. Então, que fale o que quiser. Para não restar dúvidas, esterei nas urnas, se Deus assim o o permitir (a velhice anda fazendo estragos na carcaça do Pança), para votar no señor Jair, se os atuais pretendentes à faixa presidencial forem os mesmos que os institutos de pesquisam colocam em evidência em suas enquetes sobre em quem votaremos em 2022.

  6. “Oquei, gente, a apelação foi meio torta, o “ainda bem” não cai bem em quem pegou o vírus ou pegará, em que sofreu as conseqüências mortais, em parentes e amigos de infectados.” Goiano, que se sente no direito (que bom morar em um país onde a pessoa possui o direito de votar em quem desejar) de votar no Lula com o coração quente e vermelho mesmo assim.

  7. Sei que os dois estão errados, porém comparar o “e daí?” com o “ainda bem que apareceu este monstro” é o mesmo que comparar uma rachadinha com o assalto da Petrobrás.

    O “e daí?” veio de uma provocação de um repórter que quis comparar o nº de mortes de que o Brasil tinha passado o da China. O “E daí?” faz até sentido, porque por mais lamentáveis que sejam as mortes do Brasil, não dá para comparar com a China, que pode por o nº que quiser, pois eles mandam.

    Já o “que bom que apareceu este monstro” veio sem provocação, espontâneo, do fundo da alma mais onesta do mundo.

  8. Como dizemos no interior, Lula cagou e sentou em cima!

    Nenhuma novidade; afinal o dito cujo já disse que, enquanto puxava cana por corrupção, o que o confortava era saber que o povo estava fudido…

    Mais uma vez o bom e velho ato falho.

Deixe uma resposta