SANCHO PANZA - LAS BIENAVENTURANZAS

E Shakespeare continuava pensativo. Depois do ser ou não ser, estava às voltas com abichar ou não abichar proposto por Agostini… “Pois então” chegara a hora da “vantagem ou recompensa” através do vil metal. Una vez mi madre (Catharina, te amo!!!!!) leía un cuento sobre un mercader árabe que dio a un mendigo dos monedas de oro. Cuando lo vio otra vez, le preguntó qué había hecho con las monedas. El hombrecito le contestó: “Con una moneda compré una panadería para tener con qué vivir. Con la otra compré un JBF para tener para qué vivir”.

Malditas moedas! Judas teria se vendido por 30. Ele, por muito mais. Era famoso, bisneto de um dos homens que acompanharam Lampião por aventuras grandiosas sertão adentro e afora. Herdara a pontaria certeira e o sangue frio. Tinha fama de matador implacável e estava com as fotos nas mãos. Conhecia “os cabras” marcados para morrer. Consultou a conta bancária e viu que os quinhentos mil €uros foram depositados. Cem por Sancho, cem por Goiano, cem por Altamir, cem por Adônis e cem por Cavalcanti. Olhou novamente as fotos de cada um. Todos os dias acessava o JBF e dava boas risadas com tais cabras que tinha que eliminar da face da terra. Um deles era padre. Matar padre era sinal de mau agouro, aprendera com seu pai, também matador.

Usava o Jornal da Besta Fubana para diversão, informação e aprendizado. Gostava, de verdade de cada um deles, mas era profissional, era o melhor no que fazia, tinha uma reputação a zelar. Olhou o poster gigantesco de sua esposa, que cobria toda a parede do quarto, montada em um alazão de crina castanho-avermelhada (good horse is never a bad colour) ao lado de suas outras três irmãs, todas louras, lindas… quadrigêmeas. Mandou um beijo para as belas e saiu para cumprir sua missão.

Naquele exato instante, bem longe dali, Artemísia ajeitava o belo corpo ao terreno. Estava em uma elevação, com vista privilegiada para o hotel. De onde estava observava um quarto, visualizava o interior, pois suas janelas estavam escancaradas; oito pessoas estavam em uma bela suruba. Eram jovens, belos e desinibidos. Ajeitou o equipamento, deu zoom e reconheceu suas vítimas. Pensou em desistir, mas era profissional, era a melhor no que fazia, tinha uma reputação a zelar e o dinheiro já estava na conta (malditas moedas). Serviço feito, começou a levantar-se quando sentiu o cano de uma arma encostar-se em sua cabecinha linda. O GSI a pegara. Estava diante do furioso “braço direito”, homem de confiança do general Helênio, o simpático velhinho que trabalhava com Desengonçonaro.

Material apreendido, interrogatório regulamentar, onde disse que era fotógrafa amadora, que estava fotografando a natureza e que, quando vira a suruba de gente tão bonita, resolvera fotografar corpos tão belos. Acreditando ou não, após checarem sua ficha limpíssima, tiveram que dispensá-la, pois bisbilhotice e fotografias da natureza nunca deram cadeia para ninguém. Os prejudicados que a processassem, se fosse o caso. Não devolveram o equipamento, pois seria periciado.

A noite caiu e depois de fazer o reconhecimento do terreno, de planejar cuidadosamente a invasão da sede do JBF, para executar o serviço, Genézio Mata Dez retornou ao hotel e dormiu o sono dos justos.

Em Santos, perto da vila famosa (grande abraço para o fubânico Edson Arantes do Nascimento – nenhum outro foi tão genial), Sonia Regina esperava. A noite prometia ser longa. Rezar era preciso. Tinha a impressão que a prece a acalmava e fazia as horas passarem. Intermináveis horas e a hipnótica e lenta marcha dos ponteiros de seu relógio.

Mata Dez acordou cedinho, colocou cinco munições no tambor (em 1899 Smith & Wesson introduziu seu revólver mais amplamente utilizado, o .38). Cinco “balas” para cinco marcados para morrer; não precisaria de mais. Garantia cinco olhos perfurados, cinco lápides. Era muito religioso e rezou pelas almas encomendadas. Gostava muito do Adônis, mas (profissional mas), tinha que fazer jus à fama de nunca recusar serviço, pois não faz bem à reputação. Chegara o dia. Desceu para a padaria nosso metódico homem para seu rotineiro desjejum no local de sempre. Precisava alimentar-se bem para executar o serviço e empreender rápida fuga do local. Quando foi pagar a conta, a simpática moça do caixa entregou a Genézio um envelope, dizendo que recebera orientação de só entregar quando pagasse a conta. Abriu o envelope, olhou atentamente as fotos, uma a uma. Impassível, enfiou o envelope no bolso, pagou a conta, com moedas de prata e saiu palitando os dentes; tinha uma missão a cumprir.

Às 16 horas daquele fatídico dia, cinco tiros foram ouvidos, cinco globos oculares foram espatifados, cinco corpos ensanguentados perderam a vida. Genézio nunca falhava. O pior tinha acontecido. Às 17:00 o Jornal da Besta Fubana entrou no ar, em edição extraordinária. O jornalista Maurício Assuero, com seu belo vozeirão (morra de inveja, Bonner!!!), olhou para a câmera e informou ao Brasil: – As famosas atrizes quadrigêmeas Sophia Lorin, Brigitta Barrot, Marilyn Monrróidas e Liz Tafú foram assassinadas por Genézio Mata Dez, esposo de uma delas, que em seguida tirou a própria vida. No bolso do morto foram encontradas moedas de prata e fotos, onde as jovens brutalmente assassinadas mantinham relações sexuais com Zerum, ZeroDois, ZeroTrês e ZeroQuatro, famosos filhos de Jayr Desengonçonaro, mas o porteiro (sempre o porteiro) disse que não viu nenhum integrante de tal família no local.

Na sala ao lado Berto, o editor-chefe, ouviu seu competente jornalista dar a notícia e sorriu. Suas meninas cumpriram, como sempre, a missão. Recordou o telefonema de Sonia Regina. Explicara Regina que recebera, conforme acordado, o precioso e-mail e lá estavam as fotos que Artemísia, antes de ser surpreendida pelos agentes secretos do general Helênio enviara e que seguiria com o plano. Baitas profissionais Soninha e Artê. Deu um sorriso e exclamou contente: – Boas garotas, salvaram o JBF. Com seu plano perfeito, Berto salvara seus “meninos” usando suas “meninas”.

Em um buteco de quinta, Artemísia e Sonia Regina, em vestidos Doce & Barangana, ostentando belos “decotelliss”, sorrisão nos belos rostos, chamaram o garçom: – Bat Materson, traz logo a garrafa de “cachaça com jambu”, que hoje é dia de comemorar.

– Após o jantar, o sacristão trouxe ao padre a notícia. Este suspirou aliviado. Restava agradecer a Deus por ainda estar vivo e rezar pelas almas perdidas. Lembrou o clérigo do que dissera a Sancho: “ les fruits passeront la promesse des fleurs”.

Em Garanhuns, uma televisão, que passava o filme Un dollaro bucato (O Dólar Furado), foi espatifada por um sujeito de maus bofes, que gritava alucinado: – Ser salvo indiretamente pelos filhos do Jayr Bunda Suja é a pior coisa que poderia ter me acontecido. Malditos!!!!!!

– Nos Champs-Élysées, Goianô levantou a taça de champanhe e, com um sorriso nos lábios, deixou escapar: – C’est La Vie.

Deixou uma moeda de ouro sobre a mesa, para pagar o champanhe e saiu assoviando: Ne me quitte pas / Il faut oublier / Tout peut s’oublier / Qui s’enfuit déjà / Oublier le temps / Des malentendus…

PS1: Este texto é uma homenagem ao gigante fubânico e homem de muita fé José Paulo Cavalcanti, às maiores atrizes que o cinema já conheceu (as estonteantes Marilyn Monroe, Elizabeth Taylor e Sophia Loren), a um sambista de primeira, irmão do nosso MMairton e a um sujeito dos infernos, que veio de Hell’s Kitchen para infernizar nossa vida, já deixando a marca besta na Besta Fubana : ₢.

PS2: Outro homenageado por este texto é um homem de notável saber jurídico e reputação ilibada, o señor Luis Fux, eleito no dia 25/6 para o cargo de presidente da Suprema Corte (passará a comandar o STF) no dia 10 de setembro. O Jornal da Besta Fubana tem se caracterizado por ter em seu plantel, grande número de bestas, como Sancho, que muito admiram nossos heróis que vestem preto.

PS3: Ontem vi o filme P.S. I Love You com Hilary Clinton e Gerard Butler.

PS4: Hell, continuarei com meus “gastos” PS.

23 pensou em “¿DE DÓNDE NACEN LAS PASIONES?

  1. Goiano meu ídolo está sempre nos Champs-Élysées tomando umas e outras. Um dia me convidará para a gente passear por Paris e ler as doidas histórias do Sancho e rir um bocado. Valeu Sancho, valeu Goiano! Quero deixar meu beijo para meu cachorro Huguinho. Abração senhor Berto e senhora Artemísia, a grande heroina desse texto.

    • Caríssimo Zé,
      Sancho coloca ante seus jovens olhos algo como la canción “Contigo aprendí” de Los Panchos ¿La recuerdas?:

      Contigo aprendí
      que existen nuevas y mejores emociones.
      Contigo aprendí
      a conocer un mundo lleno de ilusiones.

      Sancho só quer isso, trazer a uem o lê novas e melhores emoções…

      Beijo em seu coração, jovem amigo.

  2. Malditas moedas… Que sorte dos 5 fubânicos terem duas meninas tão competentes na arte da espionagem. Lembrei da Angelina Jolie em Sr e Sra Smith. Beijão para Sonia e Artemísia, minhas espiãs favoritas. Beijão Sancho, seu doido!

    • Y me quedo pensando en la forma en que el destino, igual que en un libro de Agatha Christie (beijão Miss Jane Marple), maneja hilos invisibles “para mudar a vidas das pessoas”.
      Belíssimo final de semana, señora Silva.

  3. Sancho acordou e uma notícia o deixou triste: viralizam nas redes sociais o anúncio de que (por causa do maledetto covid) fechou a casa mais requisitada para “fazer bobiça” de Porto Alegre, o Carmen’s Club – no bairro Azenha (20 anos fazendo amor na noite gaúcha). Sancho, em suas andanças de caminhoneiro, frequentou em 2015 o requintado lugar de beldades gaúchas (Um beijo nos corações das meninas) . Fica a saudade (beijão Tia Carmem)… Enrabichado fiquei por uma morena de olhos verdes de fazer o Cícero Tavares ir além dessas notas taquigráficas.

  4. Sancho! Sancho! Sancho!
    Já pensaste em jogar pelo Flamengo? Meio de campo responsável pela criação.
    És o Dali do JBF!!!

    • Queridíssima,
      Sancho já pensou tanta coisa… Mas (cracaço mas), tem certeza que ao recusar a proposta de jogar com a 13 do rubro-negro carioca, acertou ao fechar com o timaço de Berto, que bate um bolão com a inteligência de seus colunistas, a sagacidade de seus comentaristas, a beleza das musas Artemísia, Afordite Silva, Violante, Dalinha, Anita Driemeier, Paula Dias, Carol Dias, Aira, Bárbara e Sonia Regina, que em vestidos Doce & Barangana, ostentando belos “decotelliss”, sorrisão nos belos rostos, chamaram o Berto e disseram: senta, aí velhinho, que hoje é dia de Sancho.
      O garçom, sempre solícito dirigiu-se a Berto, em mesa tão animada, e disse: bebam á vontade que o fubânico Paulo Guedes já pagou a conta.

  5. Meu caro Sancho, tu tá muito doido meu camarada.

    Viu filme romântico da Hillary Clinton com o Gerard Butler?

    Mano, me fala onde tu anda fumando, que eu acho que a erva está estragada.₢

    • PS Eu Te Amo, um filme de Richard LaGravenese com Hilary Clinton, Gerard Butler, Lisa Kudrow, Harry Connick Jr e grande elenco.
      Inclusive a democrata Hilary está que é uma belezura o filme. Beijão, minha amada senadora! Sancho é Republicano, mas (colirístico mas), é apaixonado pela senadora norte-americana, Democrata até a alma. Coisas do amor,o que prova que direita e esquerda não são tão incompatíveis assim…

  6. Nobre sidekick do lendário Dom Quixote,

    como não ler o conto de um desbravador que nos seus escritos transformou uma mera dedada no butico uma verdadeira odisseia grega? https://luizberto.com/o-dia-em-que-um-tiburon-comedor-de-gafanhotos-foi-ao-urologista/#comments

    Mais uma vez agradecido pelas sutis homenagens.

    E seus contos merecem, sem dúvida, adaptações para o cinema (particularmente o da cutucada no enrugado sendo meu breve “cameo” interpretado por Brad Pitt).

    • Hellboy do JBF é um personagem de histórias fubânicas, cujo protótipo do personagem apareceu num comentário feito por Nic Olai na convenção Great JBF Convention de 2020. A primeira história de nosso Hellboy, foi publicada na revista da besta, em junho de 2020.
      Vida longa ao nosso “infernal” Hell Noc Olai. Abraço forte e beijo no coração.

      Aproveitando que estamos no 9º círculo do dantesto e quente inferno, lembro aos que gostam de boa série que a Netflix anunciou a data de estreia da quinta temporada da série “Lucifer”. O seriado retorna às telas no dia 21 de agosto.

    • O “negão” outro dia, já faz algum tempo, disse a Sancho: Esses fubânicos, se eu os comparar com o Santos de Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe são tão inesquecíveis quanto. E completou: O JBF é tudo de bom.
      JôFran, um beijo em seu coração. Até sempre…

  7. OLHO NA EDUCAÇÃO: O presidente Jair Messias Bolsonaro escolheu o secretário de Educação do Paraná e ex-executivo Renato Feder para ser o novo ministro da Educação.

    A comunidade fubânica aprova?

  8. Tudo tão Brasil… Fraude explica? 620 mil pessoas se cadastraram e (pasmem!!!) obtiveram, INDEVIDAMENTE, o auxílio emergencial dirigido à sustentar, temporariamente, a sobrevivência de pessoas econômica e socialmente vulneráveis. Outros tantos estão aplicando tudo que é golpe para enganar a quem faz jus ao benefício para receberr os 660 reais em seu lugar.

  9. Caro Sancho,

    Que Salvador Dali que nada!

    O cara é melhor que o Gabriel Garcia Marque e o JBF dá de dez a zero em Macondo.

    Quero só ver quem é desses malucos de ouro que vai ganhar o Nobel de Literatura Primeiro. Será um contista como o Velho Capita? Algum cronista, como temos tantos maravilhosos? Algum cordelista e roqueiro, como Mairton, a exemplo de Bob Dylan?

    Quem viver verá!

    Ah! Adorei a homenagem a nossa maravilhosa ala feminina. Viva as meninas do JBF, eternas musas desse bando de velhos desmantelados.

    • Caríssimo e muito estimado amigo,
      Vida longa às meninas do JBF, eternas musas desse bando de velhos desmantelados e a esses maravilhosos fubânicos, que se misturam entre comentaristas/colunistas, colunistas/comentaristas e àqueles que se contentarm em apenas comentar..
      Beijo grande em seu imenso coração. Até sempre!!!!

  10. Marilyn Monrroidas? Voçê acabou de derrubar um mito de décadas. Será que o derrière daquele corpitcho tinha hemorróidas?

    • Claro que não! Tal deusa era totalmente à provade imperfeições. Aquele monumento de beleza e (acredite, de talento) era tudo de bom.

      Eis o que disse a maior de todas:

      “Eu estou bonita, mas não sou bela.
      Tenho pecados, mas não sou o diabo.
      Sou boa, mas não um anjo.” Marilyn Monroe

      Não era um encanto!?

      Beijo grande em seu coração, dileto amigo.

  11. O bom do seu testículo, digo texto, foi que você entrou com Shakespeare e saiu com Gerard Butler, indo de Paris a Garanhuns, não esquecendo de passear nas praias de Santos, colocando ainda os fubânicos no meio. Isto sim é que é um panorama internacional.

    • O garoto de São Bernardo do Campo que foi rodar o mundo com uma bola nos pés… Sempre um prazer ler algo do amigo. Anderson Luís de Souza, mais conhecido como Deco, é um ex-futebolista, que jogou no tricolor da laranjeiras (abração véi Chiquito, sogrão querido e tricolor dos mais apaixonados).
      Já que pendurou as chuteiras, poderia o craque, também com as palavras, dar o ar da graça mais vezes neste espaço cheio de foras-de-série, tendo em Sancho o único perna-de-pau do timaço de Berto
      Abraço grande, querido craque.

      • O meu apelido vem de Vanderlei, Vandeco e finalmente DECO. Joguei futebol, na década de sessenta e cheguei até os aspirantes do Sport Clube de Juiz de Fora – MG e depois do Tupinambás. Joguei com o Valtencir, que jogou no Botafogo do Rio de Janeiro, com o Cafuringa, e nos treinos dos profissionais com os aspirantes, joguei com o Zé Carlos ex-Cruzeiro e Guarani de Campinas. Em jogos amistosos, com a camisa do Dia e Noite, bancado pelo jogo do bicho tive a oportunidade de jogar com o Chiquinho, irmão do Cafuringa, Caxias do Vasco e Sicupira, dentre outros menos famosos dos times do Rio de Janeiro. Não sei se sabe, mas quem nasce em Juiz de Fora, terra do Itamar Franco, é “Carioca do Brejo”. Tal a proximidade do Rio de Janeiro. Os juizforanos torcem para os Times do Rio de Janeiro e o Botafogo tem a maior torcida na cidade. Quanto ao DECO de São Bernardo do Campo lembro dele no Fluminense. Sempre foi um bom jogador. Com 20 anos mudei pra Campinas e deixei meu futebol em Juiz de Fora.

Deixe uma resposta