DAKOTA DO SUL

Dakota do Sul é um dos 50 estados dos Estados Unidos. Está localizado na região centro-oeste do país, numa área cheia de planícies, embora seja normal o visitante topar com uma variedade de terrenos, onde são comuns fazendas, rios correndo entre colinas, prados e particularmente uma fantástica cadeia de montanhas.

Porém, a atividade econômica é bem representada no estado. Destacam-se a agropecuária, o forte turismo e os serviços financeiros e imobiliários. Viajando pela Interstate 90, o visitante encontra muitos atrativos. Afinal, são 22 pontos turísticos à disposição do turista, onde se incluem belezas naturais, marcas históricas do Velho Oeste, boas lembranças do faroeste, traços da cultura indígena e o contato com a vida selvagem.

Como não possui terrenos acidentados, Dakota do Sul é quase totalmente ocupada por fazendas. Uma maior do que a outra, dedicadas a reforçar a agropecuária americana. Na parte agrícola, o destaque é a produção de grãos, especialmente trigo. Na pecuária, a riqueza é o gado bovino. Os rebanhos de bois são os maiores do país. Daí a fama dos seus rodeios. Um predileto esporte.

Mais tem uma particularidade interessante. O bisão, o maior mamífero americano. Embora seja um tipo de gado comum no país, nas redondezas do Parque Nacional de Yellostone, o vigor do bisão de raça pura, impressiona. Apesar de ser herbívoro, comer grama, um bisão chega a quase dois metros de altura e pesar em torno de mil quilos. O bicho é forte pra burro.

De comportamento imprevisto, não se deve confiar no temperamento do animal. Apesar de ter cabeça quente, o bisão do Velho Oeste é desejado. Motivo, é excelente fornecedor de produtos necessários à economia ao fornecer do seu corpo alimento, roupas, abrigo e ferramentas.

No passado, Dakota do Sul pertencia ao domínio britânico. Mas, depois de passar para a propriedade americana, em 1858, o território ficou conhecido como Dakota. Nele, cabia o atual Dakota do Sul, mais Dakota do Norte e ainda um pedaço de terra de Minnesota.

Com a instalação de ferrovias, a agricultura local despontou. Fortaleceu a economia. Devido ao tamanho exagerado, resolveram dividir o estado em duas representações estaduais. Com a oficialização de Dakota do Norte, em 1.889.

Dakota do Sul possui seis parques nacionais e estaduais, geralmente lotados nas temporadas de verão. Três dos parques se destacam. No Memorial Nacional do Monte Rushmore foram esculpidos na pedra o rosto de quatro presidentes norte-americanos. George Washington, Thomas Jefferson, Theodore Roosevelt e Abraham Lincoln.

No Memorial Crazy Horse, um guerreiro da tribo Oglala Lakota, montado a cavalo. A escultura homenageia os índios americanos. Mas, é no Parque estadual Custer que o turista se esbalda ao ver bisões, antílopes, carneiros selvagens e cobras das montanhas correndo soltos e rastejando à vontade pela relva e cavernas.

Em todos os parques a estrutura de hospedagem é fantástica. Disponibiliza atividades para manter a forma física, passeios de caiaque e a pescaria de trutas. Até o rio Missouri, ao passar pelo centro de Dakota, se divide em lagos para a manter ativa a recreação de pescar, passear de barco, velejar, e esquiar, sem se descuidar da vida selvagem e de explorações arqueológicas.

A atividade rural em Dakota do Sul tem boa participação no PIB dos Estados Unidos. Mantém-se em torno de 9%. O desemprego registra a taxa de 4% no estado. Com um agronegócio tão fértil, o investimento internacional não tira o olho do foco.

Por isso, as maiores fábricas de tratores e de colheitadeiras ocupam espaço no parque industrial do estado, junto aos produtores de sementes e de pesticidas. Até a Cargill, líder na comercialização de commodities agrícolas do mundo montou um cantinho lá.

No campo econômico, Dakota do Sul é um estado de muita representatividade. De antigo território dos índios Sioux, e possuir lindos cenários, o estado passou a se sobressair no turismo, na agricultura, na indústria de manufatura, além de um sistema de prestador de serviços nas áreas financeira de imobiliária.

O PIB de Dakota do Sul em 2018 somava simplesmente US$ 52,5 bilhões. Além dessa extraordinária marca, outro índice extrapolava. O IDH, altíssimo, cravou cravou 0,931, em 2017. Excelente marca.

Deixe uma resposta