RODRIGO CONSTANTINO

“Chegou a hora de fazer a defesa séria do Jair Bolsonaro, de defender Bolsonaro. Vou elogiar a postura dele. Ele botou a mão na cabeça e disse: está na hora de cuidar das prioridades, das reformas e da governabilidade. E é o que ele começou a fazer. Não existe política sem políticos, e não existe governo sem políticos, isso é uma ficção, a não ser que você queira dar um golpe de estado. Ninguém resolve isso na base da machadada, na marretada. Ele vai ter que fazer composição com os partidos políticos porque isso é da natureza da democracia. Faz parte da democracia representativa. Se ele fizer, ainda que seja uma mudança no discurso de campanha, terá nosso apoio porque é a decisão certa de sacrificar a própria imagem em nome do andamento das coisas boas para o Brasil. É um discurso, aí sim, de um homem público, e não de um demagogo populista picareta. Ele tinha que fazer essa escolha”.

Quem disse isso? Qual gado bolsonarista será que encontrou um jeito de justificar o centrão no governo? Na verdade, essa é a fala de Renan Santos, líder do MBL, no começo de 2019, defendendo o pragmatismo em prol das reformas, ainda que com o centrão fisiológico participando do poder.

Os PsolKids, como ficaram conhecidos esses pseudoliberais, defendiam o governo de Michel Temer. Repito: TEMER! Tinha uma reforma previdenciária proposta que economizaria a METADE do que a do governo Bolsonaro conseguiu. E o Temer, que ninguém considera bastião da ética e moralidade na política, era defendido por essa turma jovem tucana, além dos tucanos alaranjados (Amoedo chegou a pedir que o Congresso voltasse aos trabalhos e deixasse as denúncias contra Temer de lado, para os órgãos competentes, pois o país tinha pressa).

Mas Bolsonaro com o centrão deve ser demonizado? Na verdade Bolsonaro deve ser demonizado em qualquer hipótese, antes mesmo de trazer Ciro Nogueira para o governo? E isso em nome da defesa de tucanos e emedebistas?! “Bolsonaro se entregou para o centrão, é estelionato eleitoral”, diz aquele que foi eleito como liberal bolsonarista e casou com PT e PSOL desde cedo para tentar derrubar Bolsonaro.

O Dr. Francisco Cardoso, comentando essa minha mensagem, escreveu que “são os mesmos que diziam lá atrás que Bolsonaro não sabia governar, não sabia negociar com o Congresso e não sabia fazer bancada de apoio e ficava isolado”, ou seja, “o negócio é apenas criticar”. De fato. E por que será? A resposta salta aos olhos: essa turma tucana tem um projeto de poder e precisa retirar Bolsonaro do caminho. Ponto. O resto é discurso incoerente, narrativa hipócrita, falsa bandeira ética.

Não dá mais para levar MBL e Novo a sério, infelizmente. As críticas que poderiam ser legítimas e construtivas se perdem nessa postura oportunista e, ela sim, demagoga. Esses tucanos já acham até Lula melhor do que Bolsonaro! Mas estão condenando o centrão no governo? Como diria um típico americano, give me a fucking break!

2 pensou em “CRÍTICAS OPORTUNISTAS DE TUCANOS DO “CENTRÃO”

  1. O problema da natureza da política a que se refere o colunista é o político que integra o sistema.
    Manifestações ou constatações como esta nos levam a relembrar a análise, oportuníssima e sempre atual, que anos atrás foi feita pelo Rei Pelé, quando disse que o brasileiro não sabe votar.
    Infelizmente esta ´a triste realidade em que vivemos.

  2. Eu faço uma pergunta retórica, O impoluto Gilberto Kassab, dono do PSB, o maior partido do Senado e um dos maiores da câmara, É Centrão? Ele está a favor de quem?

    O nome que se dá ao que os PSOLKids e o Novo estão fazendo é hipocrisia.

Deixe uma resposta