DEU NO JORNAL

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso confia na falta de memória nacional e na cobertura infantil da política, sobretudo em Brasília, para contar lorota. Ele disse ser melhor que a CPI exagere, do que não ter CPI.

Ele pensava muito diferente quando foi presidente e entrou para a História como um profissional em manobras muito pouco republicanas para impedir a instalação de CPIs que investigassem seus governos.

Há 20 anos, em maio de 2001, o governo FHC foi acusado a pressionar e até chantagear deputados a retirar apoio à CPI da Corrupção.

A “operação abafa” da CPI da Corrupção foi “comandada diretamente” pelo ex-presidente, segundo denunciou os jornais que hoje o bajulam.

À época, senadores como Eduardo Dutra e Heloísa Helena acusaram o governo FHC de comprar o sepultamento da CPI com verbas públicas.

* * *

O dotô sociologueiro FHC sempre foi muito bem assessorado em “manobras muito pouco republicanas” e também em “contar lorotas”, duas expressões contidas nessa notícia aí de cima.

Ele tem um amigo-irmão de velhos tempos, com o qual executa magistrais trocas de passes.

Os dois são assim feito suvaco e axila.

Ou, melhor comparando, feito pinico e urinol.

3 pensou em “CONLUIO ANTIGO

  1. FHC é o pai orgulhoso que Lulla não reconhece, mas sempre que foi preciso ele estava lá para ajudá-lo.

    As fotos acima comprovam isso.

  2. Como se não bastasse aguentar a tal cpi da sacanagem no circo dos horrores, agora me aparece os irmãos siameses da safadeza. Não tem culhão que aguente.

Deixe uma resposta