COMENTÁRIOS SELECIONADOS

Comentários sobre a postagem CÍCERO TAVARES – RECIFE-PE

José Domingos Brito:

Além de parabenizar o ilustre colega, já que somos fubânicos”, quero falar de biografias, o que temos feito aqui no JBF, e da “quase autobiografia” que ele inventou e publicou, um subgênero, digamos assim, sobre Fernando Pessoa .

Que a Biografia é um gênero – ou melhor, espécie – relevante da Literatura, não se discute. Aliás, é o que tem mais aparecido na área desde fins do milênio passado. O Romance, dizem à beça, morreu ou está morrendo há anos; a Poesia, então nem se fala, é coisa pra poucos

Aí surge a Biografia, querendo fazer um balanço da Humanidade, ao fim de 2 mil anos de acúmulo de conhecimentos, digo, das pessoas que o fizeram. O mercado editorial nesta área vem crescendo vertiginosamente desde a década de 1990.

O “novo” gênero ou espécie literário se consagra e produz subgêneros, como a autobiografia, a biografia romanceada, e até a biografia não-autorizada; aquela que não quer se fazer, mas alguém cisma que tem que ser feita, e faz à revelia do biografado.

E agora surge a “Quase Biografia”, criada pelo jurista, poeta e escritor José Paulo Cavalcante. Fernando Pessoa é uma das pessoas mais biografadas atualmente. Mas, o “cabra” é tão enigmático que a biografia, talvez não consiga retratá-lo . Aí surgem os “interpretadores” tantos que tentam se aproximar do “cabra”.

A quase autobiografia é uma ousadia literária que não tenho visto até agora. Mas que me animo em conhece-la, colocando-a na lista na cabeça do das próximas leituras.

É disso queria falar com os colegas fubânicos.

* * *

José Paulo:

O título se explica, amigo Brito, pela forma como foi se construindo o livro.

Em um momento mágico, percebi que Pessoa só escrevia sobre ele mesmo ou o que estava em sua volta. Nesse sentido, sua obra é uma espécie de testamento.

Foi quando decidi escrever sua biografia usando suas próprias palavras.

Não em uma sequência ordenada, pela data em que os textos foram escritos. Mas usando as palavras dele para dizer o que eu desejava dizer.

Parece que deu certo. É o livro, sobre Pessoa, mais vendido no mundo. E o mais traduzido, longe dos demais.

Por favor mande endereço com CEP, amigo. Para meu e-mail. Mando um exemplar do livro, você lê, e depois diz se funcionou. Ou não.

Grato pelas palavras, abraços, José Paulo. 

* * *

Deixe uma resposta