A PALAVRA DO EDITOR

O presidente Bolsonaro, que por força do cargo que ocupa tem acesso a informações privilegiadas e dispõe dos especializados serviços de inteligência do governo, postou em seu Twitter uma lista com coisas instigantes.

Foi na manhã desta sexta-feira, 25 de janeiro.

Vejam só o começo:

O restante, a íntegra das informações que o Capitão divulgou, estão aí no final da postagem.

O presidente fala sobre o sujeito que o esfaqueou durante uma passeata em Juiz de Fora.

Um filiado do PSOL que atende pelo nome de Adélio Bispo.

PSOL é o mesmo partido do deputado Jean Aero Wyllys.

Aero Wyllys é aquele parlamentar que cuspiu na cara de Bolsonaro durante uma sessão do Parlamento Federal.

Bolsonaro, de mãos pro alto, se defendendo da cusparada do deputado baitola

Pois ontem, quinta-feira, com muito estardalhaço, Jean anunciou que vai renunciar ao seu mandato.

O que implica renunciar a uma renda que ultrapassa os 100 mil reais por mês em dinheiro público e abrir mão da preciosa imunidade parlamentar, entre várias outras benesses proporcionadas pelo cargo.

E anunciou que vai viver no exterior.

Só não disse se vai se refugiar na Venezuela ou em Cuba, como bom esquerdista que é.

O que ele alegou foi que está sendo “ameaçado”, que está correndo risco de morte.

Hum…

Sei não, sei não….

Que  coisa estranha…

Deixo a análise por conta de vocês, os argutos leitores deste blog escroto.

Vôte!!!

Deixe uma resposta