COMENTÁRIOS SELECIONADOS

Comentário sobre a postagem A POLÍTICA BRASILEIRA DEPENDE O TEMPO TODO DE FALSOS PROBLEMAS

Álvaro Simoes:

Mestre Berto,

Aqui na Região Norte, quando o caboclo está com ânsia de vômito, diz-se que ele está “provocando”.

A linguagem popular fez uma associação entre o fenômeno de algum mal estar de qualquer origem provocar vômitos, de tal modo que o verbo provocar virou sinônimo de vomitar.

Dito isso, eu “provoco” sempre que vejo a hipocrisia desse povinho esquisito da banda canhota com esse negócio da “rachadinha”.

Criticam tanto que fica a impressão de serem um bando de frangos, baitolas e coaliras.

Eu confesso: em meus bons tempos, antes de tornar-me um homem casado de respeito, fiz muita estrepolia por causa de um rachadinha.

Vossa Santidade, antes de amarrar-se e empapar-se, também deve ter corrido muito atrás das rachadinhas.

Ou não?

* * *

Nota do Editor:

Sim, meu caro leitor.

Antes de me tornar um “homem de respeito”, como diz você, corri muito atrás de rachadinhas.

Com muito gosto, prazer e alegria.

Hoje em dia não corro mais.

Nem atrás de rachadinha, nem pra fazer exercício.

Apenas dou uma caminhada moderada todos os dias, aqui no térreo do edifício onde moro, seguindo ordens do meu cardiologista.

3 pensou em “COISA BOA É UMA RACHADINHA…

    • “Coalira” – que alguns grafam como “qualira” -, é o mesmo que fresco, adamado, doador do orifício enrugado, viado, paneleiro, boiola, pederasta, maricas, desmunhecado, amulherado… etc… etc… etc…

      Tem sinônimos que só a porra.

      Espero ter satisfeito a sua curiosidade.

      O JBF também é cultura!!!

  1. caro editor

    bom dia

    tem alguma coisa errada,acho melhor você conversar com seu cardiologista.
    sofri um infarto, operei o coração onde foram instaladas 6 pontes safenas, meu cardiologista tirou algumas coisas, mas a rachadinha e o vinho ficaram.
    em tempo,quero deixar bem claro que as pontes não foram feitas pelo pt, por isso não foram superfaturadas.

    abraços

Deixe uma resposta