A PALAVRA DO EDITOR

Como vocês devem estar lembrados, eu inventei de extinguir o Jornal da Besta Fubana.

E de me ocupar apenas de um blog vagabundo, sem muitas exigências técnicas ou de hospedagem, que seria atualizado uma vez ou outra.

Isto pra me sobrar tempo pra terminar meu novo romance.

E assim, rompi o contrato que tinha com Bartolomeu, o nosso hospedeiro, e o custo de manutenção caiu de lá cima aqui pra baixo.

Ficou dez vezes menor!

E enviei esta mensagem pra nossa patota, no mês de janeiro passado:

Caros amigos, colunistas e leitores:

Com as modificações que serão introduzidas no nosso jornal, vocês colaboradores estão dispensados de fazer suas doações.

Agradeço do fundo do coração a generosidade de todos vocês.

Os depósitos não serão mais necessários para a manutenção do nosso JBF no novo formato que será implantado.

Brigadão mesmo!!!

Abraços

Acontece que as pressões foram tantas, as cacetadas foram tão pesadas, que eu chega se assustei-me.

Foram xingamentos, esculhambações, pedidos chorosos, pragas e súplicas dengosas.

“Faz isso, não! Volta com a Besta!” 

Minha caixa de mensagens ficou entupida.

E eu, homem sem palavra, cabra frouxo e que não consegue manter o compromisso firmado, voltei atrás.

Perdi completamente a vergonha,  acabei com o blog e trouxe de volta o Jornal da Besta Fubana, este que vocês estão lendo agora.

Atualizado todos os dias. E o dia todo. Com primoroso suporte técnico.

De modo que restabeleci o contrato com o hospedeiro Bartolomeu e o custo voltou a ficar dez vezes maior, como era antes.

Custo contido inteiramente no meu orçamento pessoal, já que esta gazeta escrota, como é do conhecimento de todos, não tem qualquer patrocínio, seja público ou privado.

Nem a Coca Cola, nem a Petrobras, nem a Ford, nem a Prefeitura de Palmares, nem o Magazine Luiza, nem a Presidência da República se alembram-se da gente…

Com isso, atendendo súplicas chorosas de Chupicleide, nossa secretária de redação,  voltamos a receber as generosas doações dos nossos leitores e colunistas.

Abram os corações e os bolsos e ajudem a pagar o décimo terceiro e os salários atrasados em vários meses desta incansável funcionária do JBF.

Aí do lado direito estão todos os dados necessários para concretização deste piedoso ato de caridade e humanitarismo.

Antecipadamente agradeço a generosidade e a participação da comunidade fubânica, a grande força que mantém nos ares este jornaleco safado.

Continuaremos sendo um espaço aberto, democrático, sem cortes, censura ou moderação, e acolhedor de todas as tendências e manifestações.

Chupicleide se rindo-se de alegria com a volta das doações

Deixe uma resposta