ALTAMIR PINHEIRO - SEGUNDA SEM LEI

Superando até o Mocinho ou mesmo o Xerife em filmes faroestes, o mais popular de todos os personagens da história do cinema chama-se DRÁCULA. Tarzan, Zorro, James Bond, Daniel Boone, Kung Fu, Kojak, Durango Kid, Sherlock Holmes, Rin Tin Tin, Frankenstein, e até mesmo Jesus Cristo perdem em popularidade cinematográfica para o príncipe romeno ou príncipe das trevas. Segundo o maior banco de dados sobre cinema do planeta, O INTERNET MOVIE DATABASE, foram produzidos nada menos do que 1.298 longas-metragens e seriados de TV que apresentam vampiros, sendo que um sexto desse total – mais de 200 filmes – trazem o aristocrata oriundo da Transilvânia como protagonista ou coadjuvante.

O mundo da sétima arte passou a associar os vampiros a seres aristocráticos, olhar hipnótico, longos caninos brancos, vestidos de negro, usando longas capas esvoaçantes, tementes da cruz cristã e do sol. O sucesso alcançado incentivou o lançamento da série de filmes de baixo orçamento da Universal, estúdio de pequeno porte que passaria as décadas de 1930 e 1940 investindo em monstros como Frankenstein e a Múmia. Na verdade, quando se fala em Vampiro, Morcego, Lobisomem, Túmulo, Conde, Monstro, Drácula, vem à nossa memória a figura de Christopher Lee.

Pois bem, Bela Lugosi destacou-se como o primeiro, mas o DRÁCULA mais celebrado do cinema é Christopher Lee. Durante a época célebre da Hammer (produtora inglesa que se especializou em horror e ficção), esse ator britânico metamorfoseou-se no rei dos vampiros. A Hammer restaurou o figurino do clássico da Universal e adicionou sexo, violência e cor – especialmente o vermelho do sangue – à narrativa. O interessante do conde de Lee é seu ar ameaçador, auxiliado pela maquiagem impecável e pela voz aguda do ator. Lee repetiria sua criação em mais sete filmes. Embora ele odeie o personagem que o marcou, estará sempre associado a ele. Portanto, Sean Connery está para James Bond, assim como Christopher Lee para o Conde Drácula.

Os bons cinéfilos do mundo inteiro são unânimes em afirmar que, Christopher Lee tornou-se numa lenda viva nos filmes de horror. Na verdade, ele é um tipo de mago da nossa era. ele é um ícone das fantasias que distrai as nações e as mentes para um estágio irreal, mas que no fundo mostra o mundo da maneira que ele é realmente, pois os vampiros estão entre nós. Na realidade eles agem nas noites do século XXI sem o mínimo disfarce e a luz do dia eles estão criando e expandindo os seus clãs, inexoravelmente. Você sabia que em pleno Século XXI, ainda há muitos vampiros espalhados pelo mundo de meu Deus?!?!?! Claro que esses malignos NÃO pintam, bordam e mordem com seus dois grandes caninos como reza a lenda, mas de outras formas, através do arsenal de armas de fogo, faca, droga, estupro com morte e outras formas cruéis que assola essa nação brasileira sem governo numa escalada violenta sem paralelo.

FILMES JÁ ASSISTIDOS POR MIM, OS QUAIS RECOMENDO-OS: A maldição de Frankenstein(filme de 1957) – O Vampiro da Noite(1958) – O Monstro de Duas Faces, A Múmia e o Cão dos BasKervilles(todos de 1959) – Drácula, o Vampiro do Sexo(1963) – O Castelo dos Mortos Vivos(1964) – Drácula, o Príncipe das Trevas(1966) – Drácula, o Perfil do Diabo e As Bodas de Satã(1968) – O Conde Drácula(1970) – O Sangue do Drácula(1970) – O Expresso do Horror(1972) – Drácula no Mundo da Minissaia(1972) – Os Ritos Satânicos de Drácula(1973) – Drácula Pai & Filho(1976) – Passageiros do Inferno(1979) – A Mansão da Meia-noite(1983) – Trem da Morte(1993) – A Noiva-cadáver(2004) – Caça às Bruxas(2011) – Sombras da Noite(2012) – Trem Noturno para Lisboa(2013).

Assista alguns deles, na íntegra, dublados ou legendados:

O Expresso do Horror (1972)

O Castelo dos Mortos Vivos 1964)

O Expresso do Horror (1972) Dublado

Os Ritos Satânicos de Drácula – 1973 – Dublagem Clássica

Deixe uma resposta