25 pensou em “CHE ACERTOU NO FURICO DA ATRIZ

  1. E depois dizem que a velhice traz a sabedoria .

    PS. pergunta se todos imbecis diziam que os que tinham mais de 60 anos viviam a MELHOR IDADE , porque são estes que morrem ?

  2. A pretensa resposta comparativa do Che Capitalista a Vera Holtz funda-se em falácia fundamental, que é típica dos pensadores de direita, notadamente os fascistóides: O ARGUMENTO IGNORA QUE AS ARMAS NÃO SERVEM PARA NADA, APENAS PARA FERIR E MATAR, ao passo que a Cultura é a base da Humanidade.
    A direita não compreende o que é cultura e quais são os seus caminhos evolutivos.
    Em suma: Che Capitalista é uma aberração até no pseudônimo eleito.

  3. Sempre achei que se deve investir em ciência do que em armas. O problema é que as armas existem também pelo fato de haver ciências. Mesmo na confecção de arcos e até defesa pessoal como disse Jessier Quirino no caso do cigarrinho dos rapazes : tem ciência !
    Mas enfiar o dedo no cu do outro caro Goiano , só para exame de próstata . Aí é ciência. Aquele quadro acima que mostra a cultura viadagem que o porco tentou implantar no país .
    E conseguiu em parte. Infelizmente.

  4. Goiano,

    Todas as vezes que um esquerdóide me vem falar em cultura eu tenho vontade de pegar uma metralhadora anti-aérea .50 e sair dando tiro adoidado nessa corja de enganadores safados.

  5. A polarização esquerda-direita tornou-se insana. E essa insanidade produz argumentos absurdos, que geram divisão quando mais se precisa de união.
    É claro que precisamos da ciência e da tecnologia, pelo bem que fazem à vida humana.
    É óbvio que precisamos de arte, porque é da natureza humana a criatividade.
    E é evidente que precisamos de armas, para nos protegermos uns dos outros, porque há muitos humanos dispostos a atacar violentamente outros humanos. Sempre houve e talvez sempre haja.
    Neste momento difícil que a humanidade atravessa, precisamos de solidariedade, e não de debates ideológicos oportunistas.

    • Ah, meu caro Mairton, a polarização esquerda-direita é impositiva, funciona como os polos do imã, daí mesmo o uso da expressão.
      Eu creio, firmemente, que não há como haver união, em termos de ideologia, de política, e o momento do confronto é permanente, ontem, hoje, amanhã e sempre.]
      Se falas da crise do Coronavírus, o Covid 19, sim, é claro, todos temos de nos unir na luta para vencê-lo, o que não nos leva a amar a política de Jair Messias Bolsonaro, nem a deixar de criticar suas insanidades; por exemplo, justamente as que disse e fez quanto à pandemia – e me dispenso de enumerá-las.
      A meu ver, é oportuno, exatamente agora, criticar a deficiente aplicação de recursos em ciência, em saúde, em educação, ainda que eu mesmo possa considerar que não se trata disso em vez daquilo (não está a direita, a todo momento, agora mesmo, voltando a criticar a realização das Olimpíadas e da Copa do Mundo no Brasil e a construção e reforma dos centros e estádios de futebol, com esse conversê de que esse dinheiro está fazendo falta agora para combater a epidemia aqui?
      O que quero dizer, parafraseando o Che, é o seguinte: combatamos juntos o Colvid 19 sem perdermos as divergências, assim como capitalistas e comunistas se uniram na guerra contra o nazismo sem abrirem mão de suas diferenças.
      Concluo informando: Sou esquerdopata safado, moleque e cachorro, mas enquanto falo mal sem parar de Jair Messias Bolsonaro estou recolhido em casa em isolamento total na luta contra o coronavírus, ou seja, ombro a ombro com a direita que abomino.

      • Não critico a polarização, AmiGoiano. Observe bem que critico a insanidade. A insanidade de direita e de esquerda. Podemos divergir em tudo, até no modo de enfrentamento do coronavírus, mas não precisamos nos ver como inimigos. Talvez seja só uma utopia minha.

        • Hahaha, amigo Mairton, sempre aprecio esse jogo de palavras que o meu nome permite, que criaste e que de vez em quando incluis nos teus comentários que me diriges.
          Compreendo o que dizes, que não te referiste criticamente á polarização, que é praticamente um produto natural da sociedade, mas à insanidade que por vezes essa polarização produz.
          Sim, as divergências existem e podem se produzir até mesmo no enfrentamento da epidemia – está aí o Jair Messias Bolsonaro que não nos deixa mentir – mas se levarmos isso ao grau de inimizades eu mesmo teria que excluir alguns parentes e amigos de minhas relações, o que não faço.
          Aqui mesmo no JBF temos essas quedas de braços, argumentamos, por vezes até com algum excesso, mas nos amamos.

  6. De minha parte dispenso a CUltura do dedo enfiado. Deixo isso para o deleite das amebas que se esbaldam enfiando o citoplasma no órgão excretos umas das outras.

  7. a proposito , tenho mais de 60 anos ,será que vale a pena tomar a vacina para gripe comum ? nunca tomei pois não acredito no governo .alguem me ajude.

    • Vale , tenho quase 70 , fui tomar a vacina na rede pública . Era dia para os de nome com iniciais J . Não tomei porque tinha acabado e a prefeitura disse que veio só 1500 doses , disseram que a semana que vem chegará mais. Para tomar vacina não precisa acreditar em governo e sim em médicos e profissionais da saúde. Temos que tomá-la , para que no caso do avanço do corona , não ocupemos os serviços médicos com algo que tenha a mesma aparência da doença mais grave. A vacina contra a gripe não está em teste, ninguém será cobaia. Oriente outros sobre a necessidade de sermos racionais nestes tempos de crise de saúde mundial. Se houver dúvida quanto ao uso da vacina converse com o médico , ou com o serviço que estiver disponível.

    • francisco, o governo é louco, manda a gente ficar em casa em isolamento total, depois mandam sair para tomar essa vacina contra outra moléstia e não a da epidemia, de modo que sais de casa para tomar vacina contra gripe e pegas coronavírus!
      Ah, em algumas cidades vão mandar o pessoal da saúde de casa em casa para vacinar a gente, ou seja, o pessoal da saúde ou vai levar os vírus do coronavírus que eles já pegaram ou vão pegar dos que já os têm e, de qualquer forma, disseminar.
      Está errado, tem de esperar passar o perigo para sair de casa ou recebers gente de fora.

        • Não, Joaquimfrancisco, o sócio deve ser aquela pessoa que admiras, adoras e alucinas que contrariando a OMS, o seu próprio ministério da Saúde, os cientistas, os sanitaristas, o mundo todo, faz questão de alinhar-se ao ídolo, mestre, chefe e guru dele, o Trump e que, assim, falou para o Brasil em rede de tv dizendo que é para voltarmos ás atividades, abrirmos o comércio, irmos pegar os transportes, enfim, desprezarmos a gripezinha, ignorando que a pandemia só não atingiu, já, todas as pessoas do universo porque houve providências mundiais para evitar o alastramento imediato, dentre essas providências a principal, que é o isolamento social
          Tu falas pelos cotovelos, sem pensar, pois não explicas por que argumentas que as minhas palavras são de morte.

    • Sempre tomei a vacina e nunca tive nenhum problema. Farei 71 em abril e vou tomar a vacina sim. O que acontece no Brasil é que os “especialistas em fakenews” adoram espalhar besteiras, não sei à troco de que.

      • A campanha de vacinação foi antecipada, segundo o governo, para que você, se vacinou, já saiba que o que você tem não é gripe. É argumento pouco adequado se você para se vacinar contra a gripe aumenta os riscos de pegar o Coronavírus. O governo deveria deixar a campanha gripe para a época certa, que seria no começo do inverno.
        Eu não sairei de casa para nada e se vierem me vacinar em casa mandarei voltar na época antes prevista

  8. Cultura não é essa curtição que aparece nas fotos! Isso realmente é a “curtura” da curtição. estão curtindo com a cara dos espectadores, tá certo que alguns dos espectadores também curtem com a cara dos trabalhadores.

  9. Gonzaga, Francisco, Adônis, a cultura tem caminhos tortuosos para desenvolver-se e encontrar novas formas e fórmulas.
    De modo que nesse avanço passa por experiências e revoluções notáveis, de Rafael e El Greco a Picasso e Salvador Dali quebrando pedras no caminho.
    Para que uma nova modalidade se estabilize, muito surge de experimental, inclusive com a participação de aventureiros com e sem talento.
    Esses experimentos comentados aí, dessa doideira de uns sujeitos enfiando o dedo no rabo do outro como se fosse uma apresentação teatral de vanguarda e relevante faz parte desse universo e não é coisa nossa, corre por todo o mundo.
    Em uma das minhas estadas em Paris, lá por 2012 ou 2012, fui ao museu de arte moderna do Centro Nacional de Arte e Cultura Georges Pompidou, onde “instalações” (forma de artes plásticas onde objetos costumam preencher uma sala) nos surpreendem tanto, pelo insólito, como restos de um veículo amassado, cordas dependuradas no teto, caixas espalhadas pelo chão, por exemplo, que um turista tiraca fotos de um extintor de incêndio achando que fazia parte da exposição.
    Mas o mais surpreendente: uma sala com uma projeção animada de um filme na parede, em preto e branco, onde um homem nu coçava interminavelmente o saco e dele escorria um líquido que inundava a tela.
    Isso, meus caros, no mundo das artes refinadas, a França… Paris!
    Tá bom, é uma droga? Sim. Ou não. Talvez. Pode ser um caminho, um beco, uma trilha, me diz diz aí o que achas quando vês um quadro de Kandinsky.
    Então, meus caros, respeitemos esses indivíduos apresentando essa peça teatral enfiando-se os dedos nos rabos, pois estão sofrendo como sofres no exame de próstata, mas com uma finalidade nobre e elevada: o desenvolvimento dar artes!

  10. Caros amigos,

    Esse negócio de polarização é típico dos anencéfalos que só conseguem ver o mundo através de dilemas. Preto ou branco. Nada de nuanças.

    Estão muito mais interessados em que seu lado “Vença”, ou ganhar o bate-bocas no grito, e não na busca da verdade, ou ao menos de uma consciência mais esclarecida sobre alguma coisa.

    Já publiquei aqui no JBF um artigo bem extenso sobre este tema.

    A única coisa que um liberal individualista empedernido como eu não pode admitir é a ação de imbecis querendo empurrar sua visão do mundo goela abaixo dos outros e, para isso, ficam sempre fazendo proselitismo das suas babaquices através de discussões do tipo “perde-ganha”.

    Vade retro!!!!

Deixe uma resposta