12 pensou em “CEGUINHO TEIMOSO VAI DESMENTIR ALEXANDRE GARCIA

  1. Goiano não nos decepciona nunca.

    Ele já disse aqui neste espaço desde antes de 2015 que estatal não é para dar lucro e sim prejuízo, afinal o que adianta ter uma estatal se ela não puder ser objeto de barganha na “governabilidade”?

    Lucro quem tem que ter são as empresas privadas, onde este vai para os donos. Lucro de estatal vai para o tesouro, e quem é este tal tesouro que o povo não vê? (alerta de ironia)

    • E lá vão João Francisco, Sancho e toda a comunidade fubância (o Brasil está no JBF) pagando a conta, pois todos (TODOS) os déficits operacionais das ESTATAIS serão cobertos pelo Tesouro, que vai utilizar o dinheiro confiscado via impostos dos desafortunados cidadãos (também conhecidos como trouxas pagadores de impostos) . Uma estatal não precisa de incentivos, pois não sofre concorrência financeira — seus fundos, oriundos do Tesouro, em tese são infinitos. Alguém fica com o lucro e nós os fubânciso, ficamos com o PREJU…

      Tá baum procê? Pra mim tá péssimo!!!! Privatiza saporra toda!!!!!!

      • Pero (e não perro), Sancho Pança, tem um probleminha aí, talvez devamos expandir as pesquisas a respeito dos números trazidos por nosso luminoso catrefa Alexandre Garcia, porque, por exemplo, sem ter ainda caído dentro para analisar mais profundamente os dados, temos notícias na imprensa, não necessariamente nos informativos esquerdopatas, tais sejam esses que falam sobre Cuba lançando informações sobre as maravilhas do regime castrista (e não castrense) (e devo abrir mais parênteses para dizer que também não, necessariamente, castrado), que, eu dizia, antes de nos perdermos completamente, “entre 2002 e 2016, Banco do Brasil, BNDES, Caixa Econômica Federal e Petrobrás obtiveram lucro líquido de R$ 488 bilhões”. Mais uma merreca de doze bilhões de reais e atingiríamos meio trilhão, o que é dinheiro até debaixo da ponte, seja a que está em pé, seja a que partiu. E é preciso deixar logo avisado que essa grana é limpinha, já descontados os prejuízos decorrentes dos escândalos de corrupção da Petrobrás, que tem gente que diz que foram da ordem de 70 bilhões de paus. Para a direita, a verdadeira direita, sempre esclareces, não há o menor motivo para o governo ficar cuidando especificamente de pobre; quero dizer, compreendo que para a tua direita, que dizes que não é essa que tá aí, os pobres devem ser beneficiados pelo progresso geral, não por cuidados específicos, e que o certo, para ti e, na época, para Delfim Neto, “primeiro tem de fazer o bolo crescer, para depois distribuí-lo”. É despiciendo dizer (carái, consegui usar essa palavra), isto é, é desprezível dizer, a não ser diretamente e na cara da direita, que quando “o bolo cresce” esse bolo significa o bolo que os ricos e os de vida folgada (a detestável classe média? eu não disse isso) estão traçando enquanto ele está crescendo e o povão morrendo esperando que esse crescimento lhe permita comer uma parte |(|não, eu não falei “sobras”, nem “migalhas”).
        Voltando ao catrefa: além dos chamados lucros líquidos das estatais, elas recolheram uma baba, tás compreendendo? u-ma-ba-ba de impostos aos cofres públicos! Ou seja, além de cumprir o papel social, deram lucros fabulosos e recolheram belos impostos para o gunverno (e não é porque eu usei a palavra gunverno que vai alguém querer acreditar que Berto e eu somos a mesma pessoa, até porque eu bebo).

    • Eu pago, tu pagas e alguém, que não somos nós, lucra. E lá vão João Francisco, Sancho e toda a comunidade fubância (o Brasil está no JBF) pagando a conta, pois todos (TODOS) os déficits operacionais das ESTATAIS serão cobertos pelo Tesouro, que vai utilizar o dinheiro confiscado via impostos dos desafortunados cidadãos (também conhecidos como trouxas pagadores de impostos) . Uma estatal não precisa de incentivos, pois não sofre concorrência financeira — seus fundos, oriundos do Tesouro, em tese são infinitos. Alguém fica com o lucro e nós os fubânciso, ficamos com o PREJU…

      Tá baum procê? Pra mim tá péssimo!!!! Privatiza saporra toda!!!!!!

  2. João Francisco, antes mesmo de ver o vídeo, que abrirei mais tarde, em razão de meus inúmeros afazeres diários, como, por exemplo, beber cerveja, vou apenas fazer uma ligeira observação para que as ideias não se apresentem deturpadas por sugestões capciosas.
    Sim, absolutamente sim: o objetivo das estatais não pode ser o lucro. O lucro é objetivo da atividade privada. Se o lucro fosse objetivo de estatais, o Estados deveria estar investindo em todos os tipos de fábricas e comércios, produção industrial e tudo o mais, competindo com o seu poder com os empresários, e isso já estaria beirando comunismo, não é mesmo?
    Alguma dúvida?
    A estatal PODE dar lucro. Mas só pode dar lucro se esse lucro for obtido sem que os seus OBJETIVOS SOCIAIS sejam prejudicados para que a estatal lucre.
    Se, para conseguir atingir os objetivos sociais para que foi criada, a estatal deva sofrer prejuízos financeiros, esses prejuízos devem ser suportados.
    O que não se admite é que estatais sofram prejuízos por má administração e corrupção.

    A parte final de teu comentário deve querer dizer, acho, que a estatal, mesmo que dê lucro, deve ser vendida, porque o lucro vai para o Tesouro mas o Estado não aplica esse lucro como deveria, em melhorias para a sociedade.
    Aí, temos dois aspectos: o primeiro, é que o lucro principal da estatal já acontece quando ela atinge o seu objetivo social, que são os benefícios sociais que ela produziu. O segundo, é o lucro em dinheiro que vai para os cofres públicos e consta que não produzem os benefícios sociais que deveriam produzir – mas algum benefício produzem, porque esse dinheiro não evapora, em alguma coisa, mesmo que não magnificamente aplicado, alguma coisa produzirá.
    Assim, é preciso, antes de vender o Banco do Brasil, que dá lucros fabulosos, avaliar quais os benefícios sociais que ele produz e que porventura serão perdidos ou prejudicados.

  3. Sou sócio de uma porrada de estatais, que sustento com meus impostos, pois a maioria delas sempre funciona no vermelho. Sempre que a estatal dá lucro, o cidadão comum não recebe nem um centavo do tal lucro; quando dá prejuízo é o contribuinte que tem que socorrer a incompetência dos péssimos gestores que os governantes colocam na maioria delas.
    É por essas e outras que Sancho vive gritando para o tal Jair: Privatiza saporra toda!

    A mídia está cheia de matérias falando MARAVILHAS dos prejuizos que causam as estatais.

    Dou um exemplo:

    “Elas causam prejuízo a seus acionistas (a União como o principal deles) e ainda dependem de aporte de recursos do Tesouro Nacional para continuar existindo, corroendo recursos públicos que deixam de ir para áreas de serviço fundamentais, como saúde e educação. ”
    Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/politica/republica/10-estatais-federais-que-valem-menos-do-que-suas-dividas-ce3uuov0ljmpqyam692kiisvs

    • Sancho Pança, várias dessas a que te referes já foram para o vinagre, pela privatização, e não é o caso de entrar no mérito – se deviam ou não ser privatizadas, sob o ponto de vista do bem social, porque não temos conhecimento das circunstâncias quanto àquelas ex-tatais. Nem sobre as outras citadas no jornal aquele.
      Uma das candidatas à privatização é a Eletronuclear. Espero que em o sendo, não se rompa alguma barreira capaz de inundar tudo nas proximidades das usinas de radioatividade, tás acompanhando o raciocínio?
      Em tempo, indago: Por que os Estados Unidos, símbolo da direita vitoriosa no mundo, ainda tem estatais? Por exemplo, a própria AMTAK, que foi criada para atender a funções sociais e que consta que sempre foi deficitária.

  4. Sou sócio de uma porrada de estatais, que sustento com meus impostos, pois boa parte delas sempre funciona no vermelho. Sempre que a estatal dá lucro, o cidadão comum não recebe nem um centavo do tal lucro; quando dá prejuízo é o contribuinte que tem que socorrer a incompetência dos péssimos gestores que os governantes colocam na maioria delas.
    É por essas e outras que Sancho vive gritando para o tal Jair: Privatiza saporra toda!

    A mídia está cheia de matérias falando MARAVILHAS dos prejuizos que causam as estatais.

    Dou um exemplo:

    “Elas causam prejuízo a seus acionistas (a União como o principal deles) e ainda dependem de aporte de recursos do Tesouro Nacional para continuar existindo, corroendo recursos públicos que deixam de ir para áreas de serviço fundamentais, como saúde e educação. ”
    Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/politica/republica/10-estatais-federais-que-valem-menos-do-que-suas-dividas-ce3uuov0ljmpqyam692kiisvs

  5. Durante um certo período, estatais cumpriram suas funções sociais (só que para um grupo pequeno, seleto, de uns líderes partidários. Pasmem, eles se achavam “o povo” e com muita convicção enchiam as próprias “burras” de funções sociais..

    Mas o Goiano matou à pau…foi cirúrgico: “O que não se admite é que estatais sofram prejuízos por má administração e corrupção”…segue o jogo, seu juiz!

  6. Marcos André, não creio que pensemos na mesma direção: Não se admitir que uma estatal sofra prejuízo por má administração e corrupção não significa que se deva vendê-la – antes, deve-se trocar os administradores incompetentes por aqueles capazes e prender os corruptos, exigindo-se a reparação do preju.
    Enquanto uma estatal cumpra suas funções sociais, ela precisa ser mantida, porque o objetivo primordial do Estado deve ser promover a justiça social, salvo se tratar-se de um Estado governado pelas filosofias direitistas fermentadoras de bolo.

Deixe uma resposta