JOSÉ RAMOS - ENXUGANDOGELO

Everton “Cebolinha” o cearense artilheiro do Grêmio/RS

Aquele corte especial do cabelo diz tudo. Quem vê o serelepe Everton vestindo a gloriosa camisa do Grêmio de Porto Alegre, fica feliz com a desenvoltura do atacante, incrédulo com o apelido de “Cebolinha” (mas, entende por conta do corte de cabelo especial), além de apostar todas as fichas numa provável convocação para as disputas da Copa América pela seleção brasileira de futebol.

Com certeza, é olhando adiante, que Renato Portaluppi libera Everton para a flutuação em quase todas posições do ataque gremista, aparecendo, literalmente, em qualquer lugar do campo e se posicionando bem para o arremate ao gol. Todas as posições – mas, voltado exclusivamente para um bom posicionamento na hora da conclusão ao gol adversário. Isso tem feito do “Cebolinha” o principal jogador do time gaúcho.

Nascido em Maracanaú, antigo povoado transformado em Município nos anos 40/50, e hoje integrante da RMF (Região Metropolitana de Fortaleza), Everton tem sido o melhor jogador do tricolor gaúcho, mormente quando Luan enfrenta fase de rendimento negativo.

Cebolinha “detona” os adversários gremistas

Pois, saibam meus amigos seguidores que, esse nome estranho, Maracanaú, foi um pródigo povoado de relevante importância para os cearenses. Ali, durante anos, funcionou um hospital para recuperação de tuberculosos, quando essa doença causava preocupações para os gestores da saúde.

Além disso, foi ali onde nasceram alguns jovens, que, jogando futebol, se tornaram artilheiros famosos. Lembro de Wellington, um traquinas jogador que foi meu contemporâneo no Liceu do Ceará, na mesma sala e estudando juntos por sete anos. Wellington foi artilheiro no Ferroviário dos bons tempos, e depois, no meu Ceará Sporting.

Alencar (Joaci) artilheiro no Ceará, no Bahia e no Palmeiras

Foi em Maracanaú que nasceu, também, um dos maiores artilheiros do futebol brasileiro, iniciando no Ceará Sporting, passando para o Esporte Clube Bahia, depois Palmeiras e, finalmente, Ferroviária de Araraquara, onde encerrou a carreira, antes de retornar para a Bahia, onde faleceu.

Pois, Alencar, que nada tinha de Alencar, pois nasceu Joaci, foi campeão brasileiro pelo Bahia, enfrentando e derrotando o então fabuloso Santos, com Pelé e demais gênios do futebol brasileiro, dentro da Vila Belmiro, com os gols da vitória sendo de autoria do cearense “Alencar” – e esse feito garantiu sua contratação pelo Palmeiras.

Alencar formando no Esporte Clube Bahia

Na foto anexada acima, o atacante cearense Alencar (Joaci) é o segundo agachado da esquerda para a direita. Está entre Marito e Léo. Destaques, ainda, do campeão baiano e brasileiro, o lateral-direito Leone, o zagueiro Henrique e o ponta Biriba.

Deixe uma resposta