FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

UMA GLOSA

Mote deste colunista:

Fico com minha patroa
Só saio se ela deixar.

O caso está muito sério
Uma fogueira com brasa
Um diz pra ficar em casa
Outro já estou saindo
Confessa quase sorrindo
Eu me ponho a meditar
Um “pé aqui outro acolá”
Não creio em qualquer pessoa
Fico com minha patroa
Só saio se ela deixar.

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

UMA GLOSA

Mote do colunista:

Preso sem cometer crime
É um preço alto demais

Esse meu confinamento
Tá me deixando sem graça
Vontade de ir à praça
Me vem a todo momento
Quem tiver discernimento
Diga pois, se lhe apraz
Se necessário se faz
Aguentar esse regime
Preso sem cometer crime
É um preço alto demais

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

UMA GLOSA

Mote deste colunista:

Se eu escapar desse virus
Morrerei fazendo amor

Essa tal de quarentena
Está me deixando louco
Estou no maior sufoco
Tô pagando a maior pena
Desliguei minhas antenas
Para me desligar da dor
Trancafiado como estou
Para mim é um martírio
Se eu escapar desse vírus
Morrerei fazendo amor

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

DUAS GLOSAS

Mote:

Eu não quero ver o vírus
Nem que o vírus me veja

Daqui de casa não saio
Mas, nem que seja na peia
Na rua a coisa está feia
É vírus pra todo lado
Não quero ser culpado
Por uma gripe que seja
Deus do Céu que me proteja
Morrer de fome prefiro
Eu não quero ver o vírus
Nem que o vírus me veja

Não sairei mais de casa
Mas, nem que a vaca tussa
Vou botar a carapuça
E ficar de quarentena
Prefiro sair de sena
Por alguns dias que seja
Continuar na peleja
Abater o mal com um tiro
Eu não quero ver o vírus
Nem que o vírus me veja.

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

LAVANDO AS MÃOS

Quando você me beijou …
Eu lavei minhas mãos
Me abraçou, me amassou
Eu lavei minhas mãos
Me contou um segredo
Fiquei com medo
Mas lavei minhas mãos
Eu estava seguro
Que agindo assim
Eu não morreria
Só morri de amor
Porque ninguém lavou
O meu coração
Nem eu!

Mas morri
Limpo e puro

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

MULHER

A minha cara metade, extensiva a todas as caras metades do JBF, do Brasil e do mundo, para que amem e sejam amadas.

SAUDADE

Quarenta e três anos juntos
com encontros e desencontros
Mas todos foram superados
Sempre encontramos atalhos
Para encruzilhadas previstas
E seguimos de mãos dadas
Felizes a Perder de vista

Se eu tivesse a capacidade
Para retornar ao passado
Naquela mesma igrejinha
Em que entrei ao teu lado.
Eu estava grávido de sonhos
E você grávida de mim
E nós dois em uníssonos
No altar dissemos SIM…
Juro amor, faria tudo de novo
Porque ainda te amo.

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

O CEGO

Se eu fosse um cego
Amaria com as mãos
Quanto mais lombadas,
Mais curvas, mais depressão
Aumentaria a emoção
Bastaria uma encruzilhada
Um ponto cego ao lado
Um atalho complicado
Uma pista escorregadia
Uma colisão de frente
Certamente aconteceria:
Um cajado “molemente”
Um cego todo quebrado
Seria minha perdição.

E agora seu guarda?
Como voltar para casa?
Onde a outra me espera
Ela deve estar uma fera
Me aponte uma solução.

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

NOITE DE HORROR

Estacionei meu coração
Em um lugar proibido
Você me encontrou
Aprontou o maior drama
Depois me guinchou
Rebocou pra sua cama
Em seguida me multou
Pagamento em beijos
Sem nenhum descontos
Esse era seu desejo…
Beijei que fiquei tonto
Inda perdi sete ponto
Na minha carteira.

Oh noite de horror!
Horror de beijos.

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

BRASIL X ARGENTINA

Quem pergunta quer saber
Quem sabe, posso ajudar
Grátis, sem nada cobrar
Pra tanto basta me dizer
Como conseguem fazer
Viver sem dar uma esmola
Mas, rouba, mata, esfola…
E ainda se sentir feliz
Com tanto ladrão num país
Por que ninguém rouba bola?

FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS