ALEXANDRE GARCIA

IBAMA MULTA BOLSONARO PELO QUE A POLÍCIA DISSE NAO TER ACONTECIDO

Baleia jubarte.

Baleia jubarte

O ex-presidente Jair Bolsonaro, que não foi indiciado pela Polícia Federal por causa da importunação da baleia jubarte, agora foi multado pelo Ibama em R$ 2,5 mil por importunar a baleia jubarte. Ele tem 20 dias para se defender, e certamente vai usar esse argumento: a Polícia Federal o ouviu, também ouviu quem estava com ele, o seu ex-assessor de imprensa e hoje advogado Fábio Wajngarten, não ouviu a baleia, e concluiu pelo não indiciamento do ex-presidente da República. Mesmo assim o Ibama resolveu aplicar uma multa. Bolsonaro já tinha levado uma multa por causa de pesca em Angra dos Reis. Ou seja, o Ibama, assim como todo mundo, está de olho nas atividades do ex-presidente.

Já faz uns 30 anos, estava aprendendo vela na Praia do Forte e o instrutor me contou de um ministro, que também estava recebendo instrução de vela e, quando soube que havia corais no fundo, pediu para esse instrutor mergulhar e arrancar um coral para ele levar para casa. E era ministro do Meio Ambiente! Aconteceu nos anos 80, 90, já prescreveu. Coisas bem brasilianas, como diriam aqui os italianos.

* * *

Briga entre Musk e Moraes agora é assunto no mundo inteiro

Em Brasília, no Brasil e no mundo, a discussão é Elon Musk versus Justiça brasileira. Todos os jornais importantes da Europa noticiaram isso, como haviam noticiado quando veio a ordem de prisão de Vladimir Putin pelo Tribunal de Haia. O que diz a lei brasileira? O que está em discussão é a liberdade de expressão. A Constituição brasileira, numa cláusula pétrea – o inciso IV do artigo 5.º –, diz que é livre a expressão do pensamento, vedado o anonimato; o que eu pensar eu posso falar, desde que possa ser identificado. E no artigo 220, que trata da comunicação social, o parágrafo 2.º diz que é vedado todo e qualquer tipo de censura política, ideológica e artística. Para regulamentação da internet já existe o Marco Civil, de 2014. Para casos de pessoas que ofendem, mentem, atribuem crime a alguém, já existe o Código Penal, com os crimes de calúnia, injúria e difamação.

Mas querem mais leis, com o apoio da mídia tradicional, que não sabe como resolver a nova concorrência que apareceu, em que todo mundo virou repórter. O sujeito que conseguiu um flagrante de um acontecimento grava, relata e distribui. Assim como vicejam na rede social aqueles que, assim como eu, estavam antes na mídia tradicional e descobriram um novo meio de conversar com as pessoas, com uma vantagem. Antes eu só tinha uma via, não sabia o que as pessoas achavam do que eu estava falando; agora eu fico sabendo, porque todos os dias eu verifico os comentários das pessoas a respeito daquilo que eu estou falando.

Isso tudo está em jogo no Brasil. Elon Musk teve o mérito de despertar essa discussão, que não estava adquirindo o caráter universal que ganhou agora. Musk se comprometeu a desbloquear as pessoas bloqueadas pela Justiça; a Justiça disse que vai cobrar dele R$ 100 mil por perfil. Embora Lula não tenha falado nada, o seu entorno está apoiando Alexandre de Moraes, desde a AGU até o ministro Alexandre Padilha, responsável pela coordenação política. Os deputados e senadores do centro e da direita estão apoiando Elon Musk, que até sugeriu o impeachment de Alexandre de Moraes. As coisas estão nesse pé, e o pior de tudo é que não sabemos como vão acabar.

ALEXANDRE GARCIA

LULA ANDA PREOCUPADO COM A FALTA DE APOIO POPULAR

Lula

O presidente Lula está preocupado com a falta de apoio popular. As pesquisas estão mostrando que a reprovação do governo é cada vez maior, e a aprovação do governo cada vez menor. Ele acha que é por causa da falta de apoio dos evangélicos, que é por causa dos empresários, por causa da Bolsa de Valores, do mercado… Acha que é por causa do Alexandre Padilha, que não se entende muito com os políticos, ou o Jean Paul Prates na Petrobras. Ou quem sabe seria ele próprio, não é?

Lula está sempre buscando outros responsáveis. Na verdade ele entrou em campanha eleitoral e foi eleito sem um programa de governo e sem dizer claramente o que faria. E agora a gente está vendo que ele está tentando fazer o que já ficou velho.

Poderia ser novidade lá no início deste século, no primeiro governo Lula. Agora o Lula 3 está mais perto de Dilma 2, e aí ele fica fazendo discurso religioso para ver se traz os evangélicos.

Também fica falando de colocar o Aloizio Mercadante na Petrobras para ver se resolve, fica xingando empresários… E, no entanto, o que a gente vê é que o preço dos alimentos subiu em 10 de 17 capitais pesquisadas. O preço dos alimentos está mais do que o dobro da inflação, o déficit público está crescendo, a dívida do governo também está crescendo, e a confiança do investidor caindo…

Não adianta o número de ministérios pular de 22 para 39. Isso não resolve. Tem ministro que não sabe o que está fazendo lá, então essa é uma questão.

* * *

A invasão da embaixada mexicana no Equador

Outra questão é que Lula se solidarizou com o presidente do México, Lopez Obrador, porque a polícia do Equador entrou à força na Embaixada do México para tirar de lá o ex-vice-presidente equatoriano, condenado em dois processos por corrupção, que estava lá desde dezembro. Ele não é um asilado político, ele é um praticante de crime comum, um crime de corrupção. Isso faz diferença nessa questão.

O Equador sim, passou por cima. Devia respeitar a autonomia da embaixada. Entrou à força na embaixada, e o embaixador mexicano tentou impedir. Mas a polícia equatoriana foi lá e recolheu o ex-vice-presidente. Só que ele está condenado por corrupção, ele não é um perseguido político. E isso foi agravado pelo fato de o próprio presidente do México, dias antes, ter insinuado que o assassinato de um candidato seria para favorecer o atual presidente Noboa, que ganhou a eleição da candidata de esquerda que estava sendo apoiada por Lopes Obrador lá do México.

Então tem todo esse caldo em torno do assunto. A Nicarágua rompeu relações com o Equador, e o México também. Enquanto isso, a Venezuela ameaça a Guiana, não é? Porque Maduro já anexou uma província, já botou no mapa, agora só falta entrar com as forças militares.

Então a gente tem que ficar de olho nas questões de fronteira, de soberania, e nas relações aqui da América do Sul mesmo.

* * *

O “quiproquó” entre Musk e Moraes

E só para terminar queria lembrar o “quiproquó” entre Elon Musk e Alexandre de Moraes. Elon Musk está batalhando contra a censura no Brasil. Ele está vivendo lá num país onde todo mundo é livre para expressar o que quiser. Aqui também, no Brasil também, a Constituição diz que é vedado qualquer tipo de censura política, ideológica ou artística. Está lá na Constituição, no artigo 220, parágrafo segundo.

Só que na prática está cheio de gente proibida de falar e ter voz na rede social. E é bom lembrar que não estão entendendo esse novo mundo digital, que deu voz às pessoas. As pessoas multiplicam suas vozes, ou melhor, põem suas vozes numa progressão geométrica usando as redes sociais que são a nova democratização da voz do povo, que é a origem do Poder. Sendo a origem do Poder, elas têm todo o direito, inclusive constitucional, de expressar seus pensamentos e sua opinião.

E todo mundo diz que no Brasil não há crime de opinião. Só que não.

ALEXANDRE GARCIA

LULA VOLTA A INVENTAR NÚMEROS SEM PÉ NEM CABEÇA – E O POVO APLAUDE

Lula disse que 12,3 milhões de crianças foram mortas na Faixa de Gaza.

Lula disse que 12,3 milhões de crianças foram mortas na Faixa de Gaza

O presidente Lula, consultando uma colinha, disse que queria homenagear 12,3 milhões de crianças bombardeadas na Faixa de Gaza. Toda a população de Israel e da Palestina, somada, dá 14 milhões; como pode haver 12,3 milhões de crianças bombardeadas? E o pior é que a plateia que ouviu isso aplaudiu, entusiasmada; não tinha a menor noção de coisa nenhuma. Para onde vai a nossa democracia desse jeito? O topo está desinformando e a plateia, desinformada, acha bonito.

* * *

Irã ameaça Israel, mas não consegue nem proteger seus quartéis

Falando em Oriente Médio, o Irã disse que vai “esbofetear” Israel, que atacou cirurgicamente um consulado do Irã, em Damasco, capital da Síria, matando dois generais e outros integrantes da Guarda Republicana iraniana que estavam lá em um núcleo de organização de ataques bélicos a Israel. Mas os iranianos é que estão sendo esbofeteados. Dois quartéis foram atacados dentro do Irã pelos sunitas, que são contra o governo iraniano, xiita. São as frações dentro do grande Estado muçulmano. E eles têm bases no Paquistão; já tinham atacado também uma delegacia e mataram 11 integrantes das forças iranianas, que revidaram atacando com mísseis as bases sunitas em território paquistanês.

* * *

Maduro cria estado dentro da Guiana para tentar unir venezuelanos

Maduro assinou uma lei que cria um estado venezuelano dentro do território da Guiana: o estado de Essequibo. O próximo passo será invadir a Guiana. O ditador também está cercando a embaixada da Argentina, mas Javier Milei diz que não vai levar desaforo mesmo fora de casa. Isso é muito típico de ditadores: quando estão enfraquecidos internamente, inventam perigos fora das fronteiras para tentar unir o povo. Galtieri fez isso na Argentina contra os ingleses, ao invadir as Ilhas Malvinas ou Falklands. Agora, essa ameaça à Guiana e as hostilidades contra a embaixada da Argentina pretendem unir o povo da Venezuela, que terá eleição no meio do ano. Uma eleição, aliás, em cuja lisura ninguém acredita, embora Maduro tivesse assinado acordos com outros países em Barbados, prometendo eleição limpa. Mas até o governo brasileiro está criticando Maduro por estar seguindo a linha de Ortega, da Nicarágua: quem for candidato adversário é cortado. Se bem que aqui no Brasil, cá pra nós, também não pode. Não temos moral para falar dos outros.

* * *

Documentos do Twitter divulgados por jornalista americano mostram o que já sabíamos

A esse respeito, aliás, temos o caso do X, ex-Twitter, do Elon Musk: um jornalista americano divulgou documentos mostrando tudo aquilo que nós, brasileiros, já sabemos sobre essa campanha de censura contra a direita no Brasil. Nunca devemos nos esquecer do que está escrito no parágrafo 2.º do artigo 220 da nossa Constituição: “É vedado todo e qualquer tipo de censura política, ideológica ou artística”. É bom lembrar todos os dias, está escrito lá. Faça uma busca na sua internet e decore isso.

ALEXANDRE GARCIA

ANULAR A VONTADE DO ELEITOR ESTÁ VIRANDO MANIA PERIGOSA

No ano passado, o TRE-SC rejeitou o pedido de cassação de Jorge Seif (PL-SC).

No ano passado, o TRE-SC rejeitou o pedido de cassação de Jorge Seif (PL-SC)

O jornalista Mário Rosa, no Poder360, fez uma brilhante defesa, embora isenta, do senador Jorge Seif, de Santa Catarina. Ele será julgado nesta quinta-feira no Tribunal Superior Eleitoral. O jornalista Mário Rosa mostra que não existe nenhuma prova, nenhum crime, na campanha eleitoral do senador, que recebeu 1,484 milhão de votos. É choro de quem teve só 600 mil votos e entrou na Justiça. O Ministério Público Eleitoral recomendou o arquivamento e o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina disse, por unanimidade – foram 7 votos a zero – que não havia crime nenhum. Ainda assim, três partidos, depois de terem perdido a eleição, recorreram ao TSE: Patriotas, União Brasil e PSD. Na verdade, o que eles querem é anular o voto de 1,484 milhão de eleitores de Santa Catarina.

O mesmo está acontecendo no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná em relação a Sergio Moro. É uma vingança dos corruptos, vingança de políticos que foram julgados e condenados por ele, além de revanche de quem perdeu a eleição. Moro teve quase 2 milhões de votos e querem anular os votos desses eleitores com um argumento fácil de derrubar. Tanto é que os principais editoriais de quarta-feira de O Globo e O Estado de S.Paulo, dois dos maiores jornais brasileiros, embora critiquem Moro em outras questões, defendem a manutenção do seu mandato.

Moro não fez nada que possa ser considerado crime, mas o julgamento está empatado em 1 a 1. O relator disse que não havia prova de crime algum, mas outro desembargador, indicado por Lula, disse que, como no futebol, eles estão agindo para fazer o VAR. Comparar com futebol uma coisa séria, que é o voto de quase 2 milhões de eleitores? E, depois, quem fez o gol que eles querem anular não foi Moro, foram 1,953 milhão de eleitores do Paraná. Mas é a história da vingança – aconteceu o mesmo com os eleitores de Deltan Dallagnol, quando anularam os votos de 345 mil paranaenses.

* * *

Filho de Lula é adulto; o que ele faz é responsabilidade dele, não do presidente

O filho de Lula está proibido pela Justiça de chegar a menos de 200 metros da mulher com quem ele viveu nos últimos dois anos. Se ele quiser buscar os pertences dele, por exemplo, terá de ser acompanhado por um oficial de Justiça. Ele é o Luís Claudio Lula da Silva, e ela se chama Natália Schincariol, e denunciou que ele cometeu agressões físicas.

O presidente Lula não tem nada a ver com isso; o filho dele é adulto. Mas o caso virou notícia por ele ser filho de Lula, e de certa forma isso resvala no presidente, assim como as notícias a respeito dos filhos de Bolsonaro – a última é sobre Renan, o filho mais jovem, que tem um inquérito em Brasília por causa de uma empresa dele. Os pais não podem ser responsabilizados por crimes dos filhos. É como o filho do Pelé. Dizem “ah, o filho do Pelé isso e aquilo”. E aí? Mas não se transfere culpa do filho para o pai ou do pai para o filho.

ALEXANDRE GARCIA

GOVERNO MOVIDO A GASTO ILIMITADO JAMAIS CONSEGUIRÁ COLOCAR AS CONTAS EM ORDEM

Simone Tebet

A ministra do Planejamento, Simone Tebet

As contas públicas são, hoje, o assunto mais grave para o governo. E elas não param de piorar, com o déficit crescendo e a arrecadação caindo. A economia não está estimulada; o governo briga com o agro, que é o principal motor da economia brasileira e das contas externas. Agora, o Banco Central está tendo de interferir no dólar, o que representa um desprestígio da economia brasileira. O dólar chegou nesta terça-feira a R$ 5,06. É muita coisa.

A ministra do Planejamento, Simone Tebet, está reconhecendo que não consegue revisar os gastos públicos. E não vai conseguir nunca, porque este é um governo inchado, movido a propaganda, a fazer favores, a fazer estímulos, movido a atividades ditas “culturais” que na verdade são shows artísticos, e a cultura nacional é muito mais que isso. Tudo isso é muito dinheiro. Uma medida provisória acaba de caducar, e só ela representa mais R$ 10 bilhões que o governo deixou de tirar das prefeituras. Pretendia cobrar imposto sobre a folha de pagamento das prefeituras, mas não vai mais fazer isso porque o Congresso não aprovou essa MP.

* * *

Julgamento de Sergio Moro é nova tentativa de calar o eleitor do Paraná

E é uma questão atrás da outra. Por exemplo, o uso de dinheiro público para sustentar partidos políticos. Isso veio à tona no julgamento de Sergio Moro, que será retomado nesta quarta-feira em Curitiba, no Tribunal Regional Eleitoral. O próprio relator, o desembargador Luciano Falavinha, disse que os partidos que tiveram candidatos à Presidência da República – os dois partidos que estão denunciando Moro, o PT e o PL – fizeram com o dinheiro público a mesma coisa que fez o Podemos com Moro.

O que é isso, então? É vingança. Os políticos não gostam de Moro porque, depois que a Polícia Federal e o Ministério Público descobriram as falcatruas, ele condenou os corruptos. E as condenações foram confirmadas pelo Tribunal Regional Federal, que revisa os processos; os apelos que foram ao Superior Tribunal de Justiça foram recusados. Então, duas outras instâncias confirmaram as decisões de Moro, mas querem se vingar.

Moro foi o símbolo, numa determinada época, de que esse não era mais o país da impunidade, que não haveria mais corrupção. Mas a corrupção reagiu e está aí de volta, querendo punir 1 milhão e 953 mil eleitores de Moro. Se ele for cassado, esses eleitores também serão cassados no seu voto. Isso é uma vergonha para a democracia. Já fizeram isso com os eleitores de Deltan Dallagnol. É vingança. É muito complicado conseguir exercer a democracia nesse país; tirar o voto do eleitor não é exercer a democracia.

ALEXANDRE GARCIA

DEMOCRACIA E ALIENAÇÃO

Praça dos Três Poderes e Esplanada dos Ministérios, em Brasília

Praça dos Três Poderes e Esplanada dos Ministérios, em Brasília

O Datafolha perguntou a pouco mais de 2 mil pessoas, em 147 municípios, que regime preferem: democracia ou ditadura. Pois 140 disseram preferir ditadura, e 360 responderam que “tanto faz”. O resultado da pesquisa revela que apenas 71% preferem democracia, 7% preferem ditadura e 18% não se importam com o tipo de regime. Se a pesquisa representar a população brasileira, temos apenas 71 em cada 100 brasileiros com mais de 16 anos a preferir a democracia. Creio que, mesmo desses, não sejam todos os que realmente saibam o que é uma democracia, mesmo porque neste país a prática da democracia ainda é um arremedo. Democracia, por aqui, é mais rótulo que prática.

Os que estão satisfeitos com a “democracia” brasileira pensam assim porque não conhecem a prática e nunca a exerceram. Só poder votar não é democracia, embora seja um sinal dela. Na democracia tem de haver contato entre o representante e o representado, o que é raro por aqui. O eleitor logo esquece em quem votou. Não acompanha a atuação do seu vereador, deputado ou senador. E ainda há chefes de Executivo que, depois de eleitos, se distanciam de seus eleitores e se vingam dos que votaram em seu adversário. Nos Legislativos, os debates estão parecidos com brigas escolares, tal a puerilidade e ausência de argumentos. Os assuntos são abstrações, bobagens em geral, longe das grandes questões.

Uma nação não se valoriza e nem se torna respeitada se seus representantes agem como figuras caricatas, que conseguiram votos de quem não se importa com o destino de seus filhos e netos, como esses 18% para quem tanto faz democracia como ditadura. Os 7% a favor de ditadura certamente não sabem o que é uma ditadura, onde o povo não tem voz nem liberdade. No entanto, esses eleitores contribuem para, com seu voto, dar mandatos a pessoas que não estão dispostas a pensar nos direitos alheios, apenas nos seus interesses, em geral financeiros.

Quando se escolhe um homem público para gerir nossos impostos e a prestação de serviços públicos para todos, idealmente o escolhido deveria ser altruísta, desprendido, disposto ao sacrifício pessoal. No entanto, o que vemos são pessoas enriquecendo depois de eleitas e conseguindo privilégios para seus amigos e parentes. Acontece na democracia, mas é muito pior numa ditadura. Churchill disse que “a democracia é a pior forma de governo, exceto por todas as outras formas que já foram tentadas na história”. Só que para praticar democracia aqui no Brasil é preciso ensinar o que é democracia e mostrar as consequências da alienação.

ALEXANDRE GARCIA

MADURO, COMO TODO DITADOR, NÃO CANSA DE BUSCAR INIMIGOS EXTERNOS

Ditador Nicolás Maduro: meses que antecedem as eleições são marcados por perseguição à oposição.

Ditador Nicolás Maduro: meses que antecedem as eleições são marcados por perseguição à oposição

Começo hoje falando de novo em Covid-19. O vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, que é médico, anestesista, está com Covid. Eu suponho que ele não tenha tomado nenhuma vacina, do contrário não teria Covid-19. Se houvesse uma vacina contra Covid, ele teria tomado e não teria pego a doença, como é com todas as vacinas. O que existe aí não impede o contágio, e sabe-se lá quais são os efeitos. Falando neles, está na hora de investigar essas mortes súbitas. Uma fisiculturista de Brasília, formada em Educação Física, que tinha nas redes sociais um encontro de estímulo, de atividade física, morreu de repente, aos 45 anos; acharam o cadáver no apartamento dela. Lamentáveis esses casos, que estamos vendo toda hora.

* * *

Depois de ameaçar a Guiana, Maduro quer briga com Javier Milei

Sabiam que a embaixada da Argentina na Venezuela, em Caracas, está sitiada porque recebeu alguns perseguidos políticos da ditadura de Nicolás Maduro? Pessoas ligadas à candidata que Maduro não deixou concorrer, que indicou uma substituta que também não conseguiu se inscrever. Até Lula está perdendo a paciência, e Maduro já respondeu de forma mais ou menos ríspida; não sei por quanto tempo vai durar essa lua de mel – se bem que estão dizendo que Lula agora está em lua de mel com um francês, o Emmanuel Macron; talvez tenha deixado de lado o Maduro, porque afinal a França também está pertinho da Venezuela também, pois a Guiana Francesa é uma província ultramarina da França.

Voltando ao caso da embaixada, Javier Milei está furioso com Maduro, porque o ditador está fazendo ameaças e cortou a energia elétrica da embaixada argentina. É uma situação que se agrava. Era só o que faltava, Maduro arrumar um conflito – se bem que ele já está fazendo isso em relação à Guiana, que ele pretende invadir por causa do petróleo. Agora, quer brigar com a Argentina. É muito óbvio, ditadores sempre fizeram isso, inventar casos de guerra para desviar a atenção. Foi isso que Galtieri fez na Argentina em relação à Inglaterra, invadindo as Malvinas, e o povo argentino o apoiou, mas ele acabou derrotado. Ditador é isso; nunca acaba bem uma ditadura.

* * *

Israel segue lutando por sua sobrevivência

Israel encerrou o ataque a um hospital em Gaza. e pegou 200 terroristas do Hamas que estavam abrigados ali. Eles usam a população palestina como escudo, como camuflagem, como abrigo, para evitar que sejam pegos. Israel não quis saber, porque se trata da sobrevivência do país. Por que Israel atacou um consulado do Irã em Damasco, na Síria? Porque estavam se preparando para matar israelenses, para jogar foguetes em Israel, para planejar sabotagem em Israel. É uma questão de sobrevivência, um direito natural que muitas vezes, aqui no Brasil, querem restringir. As pessoas aqui já não têm o direito de se armar para se proteger. Em um caso famoso, uma velhinha em Caxias do Sul sobreviveu, reagiu a um assaltante muito mais forte do que ela, porque ela tinha um revólver velho e usou.

* * *

Quem não se conforma com o bom trabalho de Moro na Lava Jato agora quer tirar seu mandato

É uma vergonha essa vingança contra o senador Sergio Moro, tudo porque ele atacou políticos como juiz, porque condenou políticos por malfeitos, em condenações confirmadas por várias instâncias, escândalos confirmados na Justiça americana, na Justiça suíça. Não foi nenhuma perseguição; foi o Ministério Público e o Poder Judiciário agindo, tanto que os envolvidos confessaram os crimes, fizeram acordos, devolveram dinheiro, pagaram multas. Foi um horror o que fizeram com a Petrobras, que de novo está perdendo, tendo seu lucro afundando por interferências políticas de governo, como aconteceu lá atrás. Isso está se repetindo, agora estão se vingando de Sergio Moro, pedindo sua cassação e desprezando votos de milhões de paranaenses.

Alegam “abuso de poder econômico”. Pois abuso de poder econômico é obrigar os pagadores de impostos a sustentar partidos políticos que nem são da nossa preferência, pagando campanhas eleitorais, sedes e diretórios faraônicos. Isso, sim, é abuso de poder econômico. Esse julgamento que está ocorrendo no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná vai revelar muita coisa para o eleitor brasileiro, para o pagador de impostos do Brasil, sobre como andam as relações dentro do Estado, as relações entre os pagadores de impostos que sustentamos o Estado brasileiro e aqueles que estão usando o Estado brasileiro como se fosse seu próprio patrimônio.

ALEXANDRE GARCIA

O BRASIL NÃO PRECISA DE MACRON

Emmanuel Macron ao lado de Lula (PT) em visita ao Brasil.

Sabem por que que o Macron não quer acordo com o Mercosul? A ex-ministra da Agricultura Tereza Cristina, que é senadora agora, uma grande senadora, participou da assinatura do acordo lá em Bruxelas com a comunidade europeia em 2019, e ela deu um depoimento de que todos os representantes dos países europeus revisaram e atualizaram o acordo e ficou tudo pronto e ótimo.

O Macron disse que é péssimo e tem que começar do zero. Eu aprendi com o ministro Golderik, quando a pessoa diz que a situação está péssima, ela está dizendo que a situação está péssima para ela. Esse acordo, que ele quer fazer tudo de novo é de acordo com a vontade dele. Ele pode expressar isso, mas o Mercosul e o Brasil não estarão dispostos a discutir durante mais 10 anos.

Está cheio de porto no mundo para pegar os produtos do Mercosul e do Brasil, inclusive de países europeus. Estão abertos os caminhos para acordos bilaterais entre dois países ou multilaterais. O Chile fez isso à parte do Mercosul com a Ásia, por exemplo, México com Estados Unidos, e vocês viram o resultado lá no Chile, se tornou o primeiro país de primeiro mundo na América do sul.

E tem outra coisa, urânio. Havia uma mina de urânio na França. Só que acabou por conta das movimentações de meio ambiente. Fechou a mina no início desse milênio. Começaram a comprar urânio lá do Níger. Só que o Níger estava achando que a situação era muito desfavorável e favorável para França, e é uma insegurança muito grande para França não ter mais a matéria-prima que abastece a produção de 70% da eletricidade da França: Usinas nucleares.

Que na verdade são usinas a vapor. O nuclear é que esquenta a água, provocando o vapor que gira as turbinas e provoca os geradores, que provoca as turbinas e os geradores que fazem eletricidade. Urânio do Brasil, tem outra coisa também, aqui na Amazônia o produtor é obrigado a conservar 80% da área natural. Sabe quanto é na Europa? 4%.

Por isso que vocês veem fotos aéreas da Europa, tem aquelas paisagens bonitas de cartões de turismo. Mas a coisa não é bem assim.

* * *

PT renova laços com Partidos Comunistas pelo mundo

Ainda falando do exterior. A presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann, informou pelas redes sociais que esteve na semana passada em Cuba assinando um acordo de cooperação e amizade.

Intercâmbio com o PCC – Partido Comunista Cubano, já é o segundo PCC com o qual o PT tem relações. O outro, é o Partido Comunista Chinês. Ela esteve com o deputado Lindbergh Farias (PT) visitando o chefe da ditadura Cubana, Miguel Díaz-Canel.

Ela lembrou que o Brasil participa do fornecimento emergencial de alimentos a Cuba no valor de US$ 56 milhões. Vale dizer, que mandamos para Cuba o equivalente R$ 280 milhões em alimentos.

* * *

Depois da eleição tudo é esclarecido

Lembram daquele ministro da Educação de Bolsonaro que foi preso? Milton Ribeiro? Pois é, agora o delegado que o prendeu está indiciado pela corregedoria da Polícia Federal (PF) por dados falsos, abuso de autoridade e prevaricação. Delegado Bruno Calandrini ficou preso por um dia, em junho de 2022.

A acusação era que ele (Milton Ribeiro) estava liberando ilegalmente verbas do Ministério da Educação para dois pastores, lembram? Pois é, como passa o tempo, primeiro, aconteceu tudo isso, agora que está aparecendo, já passou a eleição presidencial. Parece coisa de Marielle.

ALEXANDRE GARCIA

NÃO VALE RASGAR A CONSTITUIÇÃO PARA PEGAR ASSASSINOS DE MARIELLE

O deputado Chiquinho Brazão (RJ) foi preso no domingo (24), acusado de ser um dos mandantes do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes.

O deputado Chiquinho Brazão (RJ) foi preso no domingo (24), acusado de ser um dos mandantes do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados parou de examinar a prisão do deputado federal Chiquinho Brazão, que segundo a Polícia Federal é um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco. O leitor vai se perguntar: então a Câmara está impedindo a prisão dele? Não é a Câmara, é a Constituição. O parágrafo 2.º do artigo 53 da Constituição diz que deputados e senadores só podem ser presos “em flagrante de crime inafiançável”. E mesmo assim, em 24 horas os autos têm de ir para a Câmara examinar se confirma ou não a prisão. Mas Brazão não foi preso em flagrante; foi uma prisão preventiva.

A Câmara está preocupada com a opinião pública, claro. A casa quer defender o assassino de Marielle? Não, não quer; na verdade, quer defender a Constituição e impedir ela seja rasgada, porque do contrário vale tudo. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), fez como Leonel Brizola, que dizia que quando a sopa está quente começamos a lamber pelas bordas. O que ele fez? Foi até um ex-presidente do Supremo Tribunal Federal e que já presidiu um julgamento no Senado: Ricardo Lewandowski, que hoje é o ministro da Justiça e Segurança Pública. Lira conversou com ele para saber como encaminhar o caso, o que vai fazer o Supremo e o que pode fazer a Câmara.

É um caso complicado. A Constituição tem de estar sobre todos. A Constituição está acima da Câmara dos Deputados, está acima do Supremo, está acima do Senado, está acima de todos nós. Ela nos representa, ela garante os nossos direitos: liberdade de expressão, liberdade de opinião, direito de reunião, liberdade de ir e vir, asilo inviolável em casa, sigilo da comunicação da correspondência, vedação à censura, direito de informar. Está tudo na Constituição.

* * *

Lula até criticou Maduro, mas duvido que venezuelano se importe

Parece que o presidente Lula está impaciente com o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro. Além daquela nota do Itamaraty, ele agora está dizendo que não é aceitável o que está ocorrendo na eleição venezuelana. Primeiro, impediram a candidatura da ex-deputada da oposição María Corina Machado; assim como ocorreu com o ex-presidente Jair Bolsonaro no Brasil, ela foi tornada inelegível. Então, a oposição indicou outra candidata, Corina Yoris. Mas, quando ela foi se registrar, o pessoal – só no Brasil existe TSE, em outros países são comissões eleitorais, secretarias de governo, que organizam as eleições – bloqueou a inscrição dela. Aí fica como a Nicarágua ou a Rússia, praticamente com uma eleição de candidato único – no caso, Maduro. Mas será que Maduro liga para a impaciência de Lula? Duvido. Lula pode ficar bravo, mas Maduro não vai dar muita bola para isso.

* * *

Como as imagens de segurança da embaixada da Hungria vazaram? 

Bolsonaro, dentro do prazo de 48 horas dado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, explicou por meio de seus advogados que não tinha nenhuma intenção de pedir asilo na embaixada da Hungria. Mas não custa lembrar que asilo é um direito de qualquer perseguido político, tanto que o governo do PT deu asilo aqui para Cesare Battisti, que matou um monte de gente na Itália. Depois que Bolsonaro foi eleito, Battisti fugiu do país, mas foi preso e está na Itália, cumprindo pena como assassino. Mas aí foi caso de homicídio; perseguição política é outra coisa.

A principal pergunta é: por que as imagens de Bolsonaro vazaram? Como vazaram? Houve uma violação de segurança na embaixada da Hungria. E por que essas imagens não foram para uma mídia brasileira, e sim para o New York Times? Estou procurando a resposta para isso.

ALEXANDRE GARCIA

GOVERNO SUGA O BRASILEIRO E MESMO ASSIM TEM ROMBO RECORDE

Déficit primário de fevereiro de 2024 bateu o recorde para o mês.

Déficit primário de fevereiro de 2024 bateu o recorde para o mês

O presidente Lula gosta muito da frase “nunca antes na história deste país”. Pois nunca antes na história deste país um mês de fevereiro teve um resultado tão ruim para as contas públicas. Um déficit primário, segundo dados do Tesouro Nacional divulgados há pouco tempo, de R$ 58,4 bilhões. Essa é a diferença entre a arrecadação e os gastos do governo.

Não é surpresa para ninguém. Afinal, o número de ministérios quase dobrou, o Estado incha, o Estado cresce, e tudo que a população quer ao pagar imposto é receber bons serviços públicos de justiça, de educação e saúde para quem precisa, mas principalmente de segurança pública. Agora, se pagamos tanto imposto assim, e boa parte desse imposto é para sustentar um governo gordo, inchado, lento e gastador, aí dói. Dói quando uma parte do nosso suor vai para pagar imposto e depois ainda vemos que há desequilíbrio, que o arrecadado não foi suficiente para pagar as despesas do governo.

Vejam o caso dessas pessoas que se uniram para matar Marielle Franco: fizeram uma conta e, desde o assassinato, os três receberam dos cofres públicos – de você, pagador de impostos – R$ 7 milhões nesses seis anos. Porque a novela se arrastou por seis anos, para fazer render a campanha de marketing contra a família Bolsonaro, e depois se descobriu que aquele coro de mulheres gritando “quem matou Marielle é amigo do presidente” era profético.

* * *

Importunado mesmo foi Bolsonaro, não a baleia

Falando não do presidente, mas do ex-presidente, a Polícia Federal concluiu que a baleia jubarte não foi importunada. A PF não indiciou ninguém, nem Bolsonaro, nem o seu amigo, advogado e ex-secretário Fábio Wajngarten. Agora o relatório vai para o Ministério Público, e se o MP concluir que não há motivo para denunciar ninguém, manda para o arquivo. No fim, quem foi importunado foi o ex-presidente da República. E parece que o objetivo era esse mesmo.

* * *

Autoridades não estão em condições de ensinar sobre democracia para manifestantes do 8 de janeiro

O ministro Alexandre de Moraes acabou de validar 21 acordos com algumas daquelas pessoas que foram presas, enganadas para entrar nos ônibus e levadas do acampamento para o presídio. Elas assinam uma confissão de crime, desde que não tenha nenhuma evidência, nenhum indício de que praticaram atos violentos, e então ficariam enquadrados numa pena de quatro anos. Então, assinam um acordo, se livram da tornozeleira e de outras medidas, mas devem prestar serviços à comunidade, pagar uma multa que pode ser de até R$ 5 mil e assistir a uma doutrinação sobre democracia, Estado de Direito e golpe de Estado. Não sei se o Brasil de hoje está em condições de dar aulas sobre esses assuntos.