CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Berto,

Olhaí como já se usava Cloroquina há mais de 50 anos.

Como tenente do Exército eu servi dois anos (1966-1967) guarnecendo, fiscalizando as fronteiras do Brasil na Amazônia, lugares inóspitos, sujeitos a vários tipos de doenças, principalmente a malária, transmitidas por mosquitos e outros vetores.

Como prevenção a essas doenças, eu e a tropa tomávamos regularmente e obrigatoriamente um remédio chamado ARALEN.

Nos dois anos que passei na fronteira nunca houve um caso de malária entre os soldados, devido à ARALEN.

Hoje descobri no Google que ARALEN é a própria Cloroquina.

ARALEN, fosfato de cloroquina, é um composto de 4-aminoquinolina para administração oral. É uma substância cristalina, branca, inodora, de sabor amargo, muito solúvel em água. ARALEN é um medicamento antimalárico e amebicida.

Cada comprimido contém 500 mg de fosfato de cloroquina, equivalente a 300 mg de base de cloroquina.

EU PASSEI DOIS DOIS ANOS TOMANDO CLOROQUINA E NÃO SABIA.

R. Uma feliz coincidência: dois capitães do Exército que tomaram o mesmo medicamento.

Você e o Presidente da República.

Meu caro amigo e colunista fubânico, não caia na besteira de dizer que você já tomou um remédio que cura Covid-19 e que é recomendado por Bolsonaro.

Um remédio que curou o presidente e que tem curado muita gente neste Brasil.

Se você insistir em dizer isto, a Rede Globo, as zisquerdas e a imprensa funerária vão cair de pau nas suas costas.

Mesmo assim fique tranquilo: tem muita gente que vai proteger você.

Pode ter certeza!!!