CARLOS IVAN - ENQUANTO ISSO

O que realçou as desigualdades no mundo foi a Revolução Industrial. Os industriais enriqueceram, esmagando os empregados. Este é o pecado do capitalismo. Sistema, cujo ideal é criar e produzir coisas de valor pelo caminho da inovação. Todavia, enquanto se espalha, acentua a desigualdade social e econômica, exagera na competitividade, explora enormemente os recursos da natureza. Causa desequilíbrios na natureza.

Aliás, é fato comprovado. Embora o capitalismo se esforce no sentido de incentivar a produtividade, adote o planejamento de longo prazo como forma de prosperidade, atenda de maneira permanente as necessidades e sonhos de terceiros, via produção com tecnologia inovadora e gere riquezas, no entanto, recebe críticas.

É praxe. Os intelectuais e as pessoas de alta posição financeira, especialmente as de tendência socialista, costumam disparar censuras ao capitalismo. Muitos ignoram o fundamento primordial do sistema. Estimular o raciocínio, buscar inovações, aprimorar a produção, reduzir custo, baratear preço, enfim, fazer o que for possível para agradar o consumidor. Sempre em busca de novidades.

De fato, o capitalismo é generoso com os afortunados, que nadam em dinheiro e com os empreendedores que atuam nos mais diversos ramos de negócios. Farmacêutico, alimentos, automotivo, aeronáutico, eletroeletrônico, máquinas e construções.

O capitalismo é um sistema onde o capital, justamente o dinheiro, pertence a empresas privadas ou pessoas rigorosamente ricas que empregam cidadãos, em troca, pagam salário. Muitas vezes, salário pelo aluguel da mão de obra está abaixo das necessidades das famílias. Daí a pobreza e as desigualdades.

Porém, no dia em que o homem aprender a respeitar os humildes, expulsando o ódio, a ambição e a brutalidade reinante nos labirintos do poder, a pobreza e as desigualdades tendem a ser menos agressivas. Menos violenta e discriminatória.

Pelo menos, a tendência mundial das políticas públicas visa preparar a humanidade para impor aos homens de poder mais compreensão, honestidade e leveza, especialmente, menos imposição. Menos diferenças e menor cobrança na troca de atenções.

Mas, se a harmonia entre as raças vai dar certo ou não é outra história. Afinal, o homem é um ser mutante, de difícil discernimento.

Nos tempos idos, predominava os ideais do socialismo, comunismo e fascismo. Com características definidas.

O socialismo, defensor de uma sociedade igualitária, não admite a divisão de classes, de ricos e de pobres. Os bens e as propriedades são coletivos.

O comunismo, se assemelha ao socialismo. Porém, difere em três aspectos. Eliminação da propriedade privada, da figura do Estado e até das classes sociais. Na prática, o comunismo é uma extensão do socialismo.

O fascismo surgiu após a Primeira Guerra Mundial. Como enfrentavam grave crise econômica, a Itália e a Alemanha idealizaram nova corrente ideológica, onde o ponto central era o líder, único, com total liberdade para usar a violência. Caso desejasse.

Dentre todos os sistemas econômicos apregoados pela história, o capitalismo, apesar de seus defeitos, é o que se aproxima mais da liberdade política concedida ao ser humano.

Neste sistema, em virtude da presença da forte concorrência, o consumidor se encoraja em negociar. Corre atrás das vantagens, sabendo que o vendedor só visa lucros. É o sistema político e econômico mais popular no mundo. Outras peculiaridades do capitalismo são: propriedade privada, lei da oferta e da procura e defensor da livre concorrência.

Todavia, em sua defesa, o próprio vendedor não dá murro em ponta de faca, ciente da proteção garantida de outros consumidores, doidos para comprar por menos. Neste setor, até o empregado encontra segurança de não sobrar no mercado de trabalho, em função da existência de eternas vagas.

No capitalismo, existem três fortes elementos que alimentam o sistema. A moeda, o mercado e o capital.

A atenção dessa trinca de elementos vive sob a vigilância da Bolsa de Valores, do FMI e do OMC que não perde de vista os pontos fundamentais. A mercadoria e o mercado.

A Bolsa de Valores desempenha o papel de vender e comprar títulos e ações de empresas de capital aberto, entre os investidores, para estimular, fortalecer e desenvolver a economia de um país. Injetando recursos.

O Fundo Monetário Internacional (FMI), por ser uma organização financeira, criada em 1944, vive de ajudar os países membros que, por ventura venham passar por dificuldades monetárias.

Suas diretrizes são: estreitar a cooperação pecuniária global, promover a estabilidade aos membros desequilibrados, apadrinhar o comércio internacional, garantir emprego, reduzir a pobreza, estimulando o crescimento econômico sustentável.

Por fim, a Organização Mundial de Comércio (OMC), com sede em Genebra, Suíça, presta-se a supervisionar e ampliar o comércio internacional. Administra normas, com o objetivo de vencer as barreiras comerciais e alfandegárias e facilitar as trocas de comercio internacional. Atualmente, o quadro de sócios da OMC é de 164 países. O Brasil é membro fundador.

Além das vantagens enumeradas acima, o capitalismo não arreda pé da alta produtividade e do avanço da tecnologia, como forma de desenvolvimento.

No entanto, as desvantagens não deixam de existir. O olho grande, a ganância e a deslealdade na concorrência são fatos correntes. Além da injustiça social, monopólio, consumismo e individualismo.

Em função da exagerada utilização dos recursos no setor produtivo e das alterações climáticas, tem alas de especialistas prevendo o fim do sistema capitalista no futuro.

A lógica, tem explicação. O consumo de combustíveis fósseis e as mudanças climáticas afetam a produção de energia barata. Forçam a procura por outras fontes alternativas, talvez menos eficientes, elevando os gastos industriais.

Então, para evitar o pior, o mundo tem de trabalhar na construção de outro tipo de infraestrutura. Nova estrutura de modelo econômico, modernizada e bem mais evoluída, devido à veloz transformação dos processos tecnológico, digital e eletrônico em andamento.

8 pensou em “CAPITALISMO

  1. Não consigo entender os contras do capitalismo: Como é que vai ter emprego se não houver indústria. Se não tem indústria não tem emprego. Se não tem indústria não tem comércio. Se não tem comércio não tem emprego. E por aí vai…

    • Caro Romildo num é que vc tem razão. Ms, como tudo na vida tem os favor e os contra, tem uma ala de economistas pensando que o capitalismo nao é eterno. Um dia, pode acabar, também, como tudo no mundo.

  2. Ivan, o capital, na verdade é entendido como os meios de produção. O dinheiro, propriamente, poderia ser qualquer coisa que fizesse o papel de moeda, ou seja, fosse meio de troca, reserva de valor. O que incomoda é que os meios de produção estão concentrados e, lógico, os lucros financeiros, ficam nas mãos de que tem o capital.

    • Caro Maurício Assuero infelizmente os meios de produção de produção de fato em alguns países se concentram nas mãos de poderosos grupos. Cê em razão.

  3. De tudo isto sobre o capitalismo me chama a atenção que o fundamento e a propriedade privada. O boi tem que ter um dono pra engordar. Se não tem um dono ou todos são donos do boi com certeza vai passar fome

  4. Resumo da ópera IVÂNICA: Quem engorda o boi é o olho do dono. Capitalismo, capital, empresa privada (zero estatais), empresário, funcionário bem remunerado e boi na mesa farta de famílias felizes, exatamente nesta ordem… Faça girar esta “roda da fortuna” e ganharás o pão com o suor do teu rosto. O resto é mimimi canhoto.

    • Caro Sancho Pança vc e tiro e queda. Sintetizou tudo numa simples frase. zero estatais.Realmente, governo algum nuca vai aprender a empreender. estatal na mão de governo é prejuízo na certa. Como tem acontecido desde que o Brasil é Brasil. Resumo da ópera, estatal é apenas fonte de corrupção. E só. . . .

Deixe uma resposta