CARLOS BRICKMANN – CHUMBO GORDO

Uma ministra do STF, Carmen Lucia, repetiu há não muito tempo uma frase popular: “Cala a boca já morreu”. Outro ministro do STF, Dias Toffoli, diz agora que é preciso editar as informações que a população recebe. Não há discussão possível: Carmen Lúcia tem razão. E a Constituição proíbe a censura – e não adianta fingir que censura não é censura. Censura é censura.

Não é questão de discutir se os censurados merecem ser censurados. Não é esse o problema. O problema é que opinião não é crime e expressá-la é parte essencial de nossos direitos. Concordar ou não com o que dizem os censurados faz parte do jogo: quem julgar que se excederam que os processe.

Ah, mas são antidemocráticos. Alguns, efetivamente, são. Mas ser contra a democracia não é proibido. Proibido é agir contra a democracia. Se algum deles estiver pondo em risco a democracia, que seja processado na forma da lei. Mas, cá entre nós, achar que uma jovem, que tirava a roupa para protestar, e um grupo, cuja principal crença é que o presidente da República é Messias e incapaz de errar, ameaçam a Constituição, é fazer pouco da democracia.

Um bom político baiano, Otávio Mangabeira, comparava a democracia a uma plantinha tenra, que exige cuidados. Estava certo. Só que cuidar não é sufocar. Cuidar da democracia exige tolerar o adversário, dispor-se ao diálogo, reconhecer seus direitos. Exige considerar os oponentes como adversários, não inimigos. Sufocar em nome do bem é o outro nome do mal.

Chegamos lá

Alguns exemplos? O STF já mandou censurar O Antagonista e Crusoé, o Grupo Tiradentes (rádio, TV, portal) de Manaus está proibido há um ano e meio de noticiar acusações da Lava Jato, e ordenou que Twitter e Facebook censurem notícias não só no Brasil, mas também no Exterior. Esquecem a história do general linha dura Albuquerque Lima. Quis ser presidente, foi vetado por não ter quatro estrelas. E a Censura agiu rápido para silenciá-lo.

Apocalypse now

Mais do que a jovem orgulhosa de um suposto treinamento na Ucrânia, mais do que blogueiros e jornalistas bolsonaristas, alguns fanatizados, as ações do Supremo contra eles ameaçam a democracia. Há quem ache que os ministros do Supremo que os investigam sabem de algo que exige uma ação rápida. OK, de que se trata? Ou vamos ficar no O Processo, de Kafka, em que o personagem é réu sem saber o motivo do processo? A “ala ideológica” do Governo, em seu delírio para livrar-se dos perigos vermelho e amarelo, já andou mais de uma vez no terreno da perseguição ideológica, acusando gente de quem não gosta de comunista, pedófilo, petista, traidor da Pátria e – terrível crime – até mesmo de gorda! O último episódio foi este em que o Ministério da Justiça preparou um dossiê ideológico de seus funcionários. Assim não dá: como no final do filme Apocalypse Now, é o horror, o horror.

Boas notícias 1

O Brasil teve superávit de US$ 8,06 bilhões em julho, o maior da História. As exportações foram lideradas por produtos agrícolas e carnes; um pouco mais da metade foi para a Ásia. Só a China importou 37,9% do total. Mesmo com o presidente e o chanceler falando mal da China sempre que puderam, o agronegócio ampliou as vendas em17,3%. De janeiro a julho, a exportação foi US$ 30,383 bilhões superior às importações. Claro que também houve queda das importações, por causa da recessão. Mas superávit sempre é bom.

Boas notícias 2

Numa só informação, duas boas notícias: o BNDES vendeu 2,5% do capital da Vale, contribuindo para a privatização total da empresa; e obteve no atacado o mesmo preço da venda no varejo, um excelente resultado. No total, pôs em seus cofres algo como R$ 8 bilhões.

Boas notícias 3

O Tribunal Superior Eleitoral aceitou proposta do Partido Novo e devolverá ao Tesouro a parcela do Fundo Partidário que caberia à legenda. O Novo é contra o uso de recursos públicos na campanha e anunciou que, na atual situação de crise sanitária, todo o dinheiro disponível deve destinar-se à saúde. E pede aos demais partidos que tomem a mesma iniciativa. Até agora nenhum outro partido demonstrou qualquer simpatia pela proposta.

Guerra universitária

Os estudantes de Medicina da Universidade Brasil, em Fernandópolis, SP, estão em guerra com a direção da escola. Motivo: a grade de disciplinas foi mudada retroativamente, obrigando os alunos a refazer períodos passados, e a pagar novamente por eles. A medida deve dobrar o faturamento da escola no semestre, mas estica o curso além do previsto e deixa os estudantes mais longe da formatura. A guerra já está no Judiciário: há alguns milhares de processos de estudantes contra a Universidade Brasil, por cobranças que consideram abusivas, por notas que não foram lançadas no sistema; há ainda processos de fornecedores que alegam não ter sido pagos.

9 pensou em “CALA A BOCA HÁ DE MORRER

  1. Sr. Carlos, realmente é difícil ter que condenar uma atitude despótica e inconstitucional do Alexandre de Moraes no STF quando no fundo se é favorável a elas, não é?

    Censurar “Jornalistas bolsonaristas” então é a vontade de 10 entre 10 isentões.

    Eu coloquei entre aspas a qualificação aos Jornalistas dados por V. Sa., pois eles não se definem como bolsonaristas, portanto o adjetivo é um pré julgamento preconceituoso. Mas tá bom, pois os grandes órgãos de imprensa os define como blogueiros bolsonaristas componentes do Gabinete Do Ódio – GDO.

    Os Jornalistas que foram presos, depois censurados e tiveram seus meios de trabalho presos sem terem acusação formal feita são: Allan dos Santos Terça Livre e Oswaldo Eustáquio. Eles tem lado sim, assim como V. Sa. tem e eu também tenho. Eles assumem o seu lado, porém não fogem da verdade, o que deveria ser o norte do jornalismo.

    Allan apresentou informações consistentes de que um tal Igor Tobias, lotado desde o dia 15/07 no TSE, fez uma varredura através de uma empresa Rohde and Schwarzs e descobriram sinais de escuta eletrônica de celular nas embaixadas da C. Norte, da China e na casa do Kakay, adv. do PT. Tem provas que este serviço foi prestado e já apresentou.

    O Jornalista Oswaldo apresentou uma reportagem que mostra que a embaixada da China tem um brasileiro que é tratado como espião pela CIA e MI-6, fazendo interlocuções com governos estaduais no BR para atender interesses da China.

    Nada disso foi desmentido tanto pelo Ministro Barroso, como a embaixada da China.

    Estaríamos eu, os “bolsonaristas”, a CIA, o MI-6 todos esquisofrênicos e vendo ameaças onde não existe?

    E o Sr., que vive em Brasília a não sei quanto tempo, porém sei que é bastante; nunca ouviu nada À respeito da vida nada honrosa que alguns ministros do STF estariam vivendo? Teria algum ministro uma vida paralela sendo gays ou amantes, à margem de seu status social oficial?

    Parece que muita coisa está para aparecer e o Sr. só vê perigo no lado dos “bolsonaristas” do porte de uma Sara Winter.

    • De repente entró un pajarito, hermoso, chiquitico, y me dio tres arre éguas… Otro pajarito «se le aparece» a Sancho y le dice que estariam o João Francisco, o agente 69 (Sancho), os agentes da CONTROL, os agentes da K.A.O.S, os agentes da Agência Fubânica de Espionagem, vários “bolsonaristas”, a TIA, o MI-171 sofrendo como esquisofrênicos e vendo ameaças onde não existem… Lo sentí ahí como dándonos una bendición…
      A pergunta que não quer calar: Debería Sancho realizarse una “evaluación mental” tras decir que habla con “pajaritos”?

    • Jolão Francisco, tente ler com os olhos. Leitura não é função hepática. Eles são bolsonaristas. Jamais escreveram uma palavra que não seja a oficial bolsonarista – como você, aliás. Você pensa que eu moro em Brasília? De onde tirou isso? Agora, aprenda alguma coisa sobre relações internacionais. Não é difícil: se tiver dificuldade, peça a algum amigo para ajudá-lo. Países não têm amigos. Têm aliados, e esses aliados variam. Todos os grandes países espionam amigos e inimigos. Os EUA já prenderam ao menos um espião de israel, os EUA já foram apanhados gravando telefonemas oficiais do Brasil, é altamente provável que a China espione Brasil, Estados Unidos, Venezuela, Irã e União Soviética. Quanto às provas que os tais bolsonaristas apresentaram a propósito de espionagem na casa do Kakay, não as vi. Você também não. Ele não apresentou porra nenhuma, a não ser uma declaração. E aposto que o Kakay, enquanto dono do `Piantella, tinha mais informações do que espionando as fábricas de cloroquina. E, quando digo que você não lê com os olhos, estou falando sério: quando alguém diz diretamente que não é para censurar os bolsonaristas, porque a censura é proibida pela Constituição, quem leu para você leu exatamente o contrário do que está escrito. Se fosse “isentão”, o que considera um insulto mas é uma qualidade, teria lido um pouco de Voltaire, de Rosa Luxemburgo, teria aprendido algo liberal até mesmo com Mao Tse-tung (“Deixai crescer as cem flores”). O problema, João Francisco, é que você não é liberal. ou conservador: é simplesmente retrógrado. E tem ódio de quem não acha o Bolsonaro o ser mais perfeito que Deus já colocou na Terra.,

      • Este comentarista retrógrado tem ódio de quem não acha o Bolsonaro o ser mais perfeito que Deus já colocou na Terra.
        E trata bem e defende qualquer mau-caráter – como Roberto Jefferson, por exemplo, tratado por ele como canalha do bem – que eventualmente se torna aliado do Alecrim Dourado que nasceu no campo sem ser semeado.

        • Sr, Valter, Bob Jeff foi o responsável pelo início da destruição do plano de hegemonia do poder do PT, que se iniciou com a compra de deputados. Ele é um canalha? Sim, pois pegou dinheiro do PT (coisa que o PT não reconheceu) para entregar a deputados de seu partido. Reconheceu e pagou por seu erro, tendo sido o político que mis ficou preso devido ao mensalão.

          E porque que ele é “crápula do bem”? Ele acabou com a aura de “partido que veio acabar com o Sistema” que o PT até então tinha.

          Hoje o Sr. pode chamá-lo de ex-bandido, pois não deve mais nada à sociedade. O Lula ainda é um bandido, pois ainda não pagou por seus crimes.

          Quanto ao “comentarista retrógrado.que tem ódio..”, por favor leia minha resposta ao Sr. Carlos Brickmann logo abaixo.

          Um Abraço Sr. “Ego”.

      • Sr. Carlos, já disse e repito, é balela esta coisa de que jornalista não tem lado. Tem sim. Só que não pode fugir de uma coisa, a verdade dos fatos. Pode-se ir atrás apenas da verdade que lhe interessa, porém não se pode distorcê-la, que é a famosa Narrativa.

        Mais uma vez o Sr. recorre à falácia do espantalho. Eu não seria um conservador e sim um retrógrado fanatizado que não teria capacidade de ler e interpretar um texto. Mais uma vez eu digo, Sr. Carlos, o Sr. pode muito mais do que isso, eu acredito.

        Quando coloco que o Senhor é um “Isento” com aspas mesmo, não é para desmerecê-lo ou para insultá-lo; é uma ironia. Releia, por favor, o primeiro parágrafo.

        Não tinha escrito ainda, pois pensei muito e reparei: mais uma vez o Sr. fala de uma universidade de Fernandópolis. Ela realmente está com problemas. Qual a relevância nacional disso, pois fora da região de S. J do Rio Preto, ninguém mais sabe do problema?

        Seria o dono da faculdade amigo do JB? (contém ironia)

    • Efeito Dunning-Kruger?

      (Para quem não sabe: os psicólogos David Dunning e Justin Kruger,, após profundas pesquisas, descobriram que pessoas burras geralmente não sabem que são burras. O motivo pelo qual elas não sabem que são burras, segundo os psicólogos, é a burrice delas.)

      • Tenho um amigo petista (abração de Sancho ao comunista Pasquim, da Vila Anastácio, Sampa) que muito falava no anos 90 sobre o efeito Dunning-Kruger incutido ma massa de seguidores da ideologia vermelha. Segundo ele, os líderes levavam indivíduos que possuem pouco conhecimento sobre um assunto a acreditarem saber mais que outros, incutindo neles algumas frases que deveriam repetir à exaustão. Estas pessoas, segundo ele, sofrem de superioridade ilusória.

Deixe uma resposta