FERNANDO ANTONIO GONÇALVES - DE UM SEMPRE NORDESTINADO

Às vezes fico a imaginar por que o brasileiro reclama de tudo e de todos, nada prestando para ele, posto que, na sua caminhada existencial, ele é autor de uma série de cafajésticas posturas e desabridas malandragens. Vejamos as mais frequentes praticadas por todas as classes sociais, de norte a a sul do país:

1 – Coloca nome em trabalho acadêmico que não participa.

2 – Coloca em aula nome de colega ausente na lista de presença.

3 – Paga para alguém fazer seus deveres escolares.

4 – Saqueia cargas de veículos acidentados nas beiras das estradas.

5 – Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

6 – Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo ilicitude.

7 – Troca voto por areia, cimento, tijolo, e até dentadura, quando não por alguns reais.

8 – Fala no celular enquanto dirige veículo.

9 – Usa o telefone da empresa onde trabalha para ligar para o celular dos amigos.

10 – Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

11 – Para em filas duplas e triplas em frente das escolas.

12 – Viola a lei do silêncio, buzinando em frente de hospitais, altas madrugadas.

13 – Dirige após consumir bebida alcoólica.

14 – Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.

15 – Espalha churrasqueira e mesas nas calçadas públicas, como se fossem suas.

16 – Pega atestado médico sem estar doente, só para faltar alguns dias ao trabalho.

17 – Faz “gato” de luz, de água e de TV a cabo.

18 – Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, para pagar menos impostos.

19 – Compra recibos médicos para abater na declaração de imposto de renda.

20 – Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.

21 – Quando viaja a serviço pela empresa, pede notas superfaturadas.

22 – Comercializa objetos doados nas campanhas de solidariedade.

23 – Estaciona descaradamente em vagas exclusivas para idosos ou portadores de deficiências.

24 – Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.

25 – Compra produto pirata com plena consciência de que é pirata.

26. – Diminui a idade do filho para que passe por baixo da roleta do ônibus.

27 – Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

28 – Frequenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

29 – Leva das empresas clipes, envelopes, canetas, lápis… como se isso não fossem furtos.

30 – Comercializa os vales transporte e refeição que recebe das empresas onde trabalha.

31 – Falsifica tudo, tudo mesmo… só não falsificando ainda o não foi inventado.

32 – Quando volta do exterior, mente sempre quando o fiscal pergunta o que traz na bagagem.

33 – Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.

34 – Só cumprimenta bem quem lhe é hierarquicamente superior.

35 – Se manifesta quando somente enxerga benefícios assistencialistas.

36 – Fala bem alto nos restaurantes, rindo que nem uma hiena.

37 – Limpa os dentes de boca aberta, sem a menor discrição social.

38 – Arrota grandezas descaradamente mentirosas

39 – Desrespeita ostensivamente as recomendações sanitárias contra o COVID-19.

40 – Entrevista dirigente público ou empresariais, tratando-os, sem pudor mínimo, por você.

E AINDA QUER QUE OS POLÍTICOS SEJAM HONESTOS….

16 pensou em “CAFAJESTADAS BRASILEIRAS

  1. Que bela lista… Até me sinto encorajado a contribuir com ela!
    Lá vai alguns ítens:
    – Solta os filhos entre as mesas do restaurante, e relaxa prazerosamente, enquanto eles infernizam o sossego dos demais clientes.
    – Rebaixa o carro e anda a 10 km por hora, ziguezagueando pelas ruas, com o som ensurdecedor de um bate-estacas de mau gosto.
    – Abre o escape ilegalmente da moto e acelera com ela parada, só para ouvir o ronco, que é bonito só pra ele.
    – Abre a porta do carro na rua estreita e deixa que os outros que estiverem passando se virem.
    – Risca e chuta os carros ao passar com a moto entre eles e acha que tem o direito porque está trabalhando.
    – Abandona animais de estimação na rua.

    Grande abraço a toda a comunidade fubanica

    • – Leva o cãozinho a passear e não recolhe as “cacas” do bichinho.
      – Aproveita ao máximo o jbf e não contribui com o dízimo a papa Berto para manutenção de nossa gazeta.

  2. A impunidade faz isso ….

    Tolerância zero …….

    Ruy Barbosa deu um grande depoimento sobre a QUASE inutilidade de ser honesto ……

    Quando a canalhice é escancarada por aqueles que deveriam ser os exemplos, não há muito a se exigir de um ser humano normal, com pouca educação e maus exemplos que vem de berço……..

    Um erro não justifica o outro mas, e sempre existe um mas, é preciso uma forte formação educacional, familiar e com exemplos de honestidade a todo momento para que uma pessoa consiga ser honesta neste País………

    Infelizmente é um círculo vicioso que começa com as desrespeitosas ações a uma lei singela que vem do bom senso comum………

    – Não faça aos outros, aquilo que voce não gostariam que fizessem a você…….

  3. Fernando, isso se chama ausência de caráter que a maioria dos brasileiros não vão ter nunca.

    É cultural! Está no nosso DNA.

    Veja os casos dos Metrôs e BRTs todos destruídos!!!

    Uma lástima!

    Isso é a ausência do estado para quem os políticos não criam leis severas!

    Parabéns pelo artigo!

  4. Prezado mestre,

    Parabéns pela bela compilação das selvagerias quotidianas a que somos submetidos por hordas de simiescos antropoides que se dizem humanos, tão abundantes nesta Terra Brasilis..

    Para mim, o ponto central de ser civilizado é tentar não ser “O Inferno” para aqueles que lhes estiverem próximos, como dizia Jean Paul Sartre. Ou então, tentar “Não fazer aos outros aquilo que não deseja para si”, como dizia nosso mestre maior.

    Quanto aos diversos atos de rebeldia contra a voracidade arrecadadora dos impostos, relevo-as pois são atos cobertos pelas dirimentes putativas: a) Legítima Defesa – O governo vem me fuder, eu lasco ele primeiro. b) Estado de Necessidade – Se eu pagar todas essas merdas que me são impingidas, eu vou ter de andar de tanga. c) Crime Famélico – Se eu pagar todas essas porras, eu fico sem ter o que comer.

    Em suma: FODA-SE O GOVERNO E SUAS MULTIDÕES DE LADRÕES!!!

    • É desanimador mesmo, ser honesto, Mestre Adonis.

      O ítem 18 da lista é bem peculiar.

      Cito o simples caso do pagamento do ITCMD – IMPOSTO SOBRE TRANSMISSÃO ´´CAUSA MORTIS (popularmente conhecido como imposto sobre herança).

      Se o cidadão receber como herança um imóvel deixado pelo pai (por exemplo), no valor de R$ 400 mil reais, o governo do estado embolsa limpinho, limpinho, sem nenhum esforço e na cara dura, 8% do valor.

      O feliz herdeiro terá que pagar ao governo do estado, que nada fez ou contribuiu para aquisição, reforma ou aformoseamento daquele imóvel, o módico valor de 32 mil reais.

      E se você achar um absurdo o estado “comer” ou “morder” este valor e ficar puto com isso e quiser vender seu imóvel, terá que pagar 15% no IR sobre o valor. Pois eles dizem que você teve “ganho de capital”.

      É muito estímulo.

  5. Fernando Antônio, tua lista parecia exaustiva, mas não era! Ainda apareceram vários acréscimos e a mim mesmo acabam de ocorrer mais alguns itens:
    – Picha paredes, muros e monumentos históricos, emporcalhando tudo e desrespeitando as propriedades alheia e pública.
    – Mija na rua, sem necessidade, para marcar território igual cachorro e mostrar o pau.
    – Não levanta a tampa do vaso.

  6. Tudo muito bom, tudo muito bem… Mas (inquiridor mas), algum fubânico passou no teste e não comete nenhuma das (como definiu Adônis) selvagerias quotidianas a que somos submetidos por hordas de simiescos antropoides que se dizem humanos, tão abundantes nesta Terra Brasilis?

    Alguém se habilita para dizer-se o exemplo a ser seguido? Todos esconderão (com a desculpa da palavra) os próprios rabos?

    Sancho incorreu nos erros elencados com os números 27, 28 e 36 (só quando está bêbado, ou seja, quase sempre).

  7. 25 – Compra produto pirata com plena consciência de que é pirata.

    Apenas a título de observação:

    Fiz a defesa de um cidadão acusado de vender CD pirata. (numa carrocinha no centro da cidade).

    Durante audiência o que ficou marcado não foi o fato do sujeito ser analfabeto. Questionei apenas as testemunhas (policiais civis que os prendeu e apreendeu a mercadoria), se o tênis (NIKE), a camisa Polo Ralph Lauren e a calça jeans da Diesel, dele (policial), eram originais. (?), pois o tênis nike shox original, custa em média 700 reais, a camisa e a calça custam uns 900 reais, cada.
    O juiz interrompeu me interpelando que o processo versava sobre pirataria de direitos autorais em mídia DC.
    O desconforto do policial/testemunha ficou bem visível após minhas observações.

  8. Para todos os comentários, um obrigadão arretado de ótimo!!
    Um dia chegaremos a ser um país sério, desconfirmando o De Gaulle!!

Deixe uma resposta