JESUS DE RITINHA DE MIÚDO

Foto: Segredos do Mundo

A vida é um bumerangue
Que não se perde no ar
Tudo que você atira
Na certa vai retornar
Quem arremessa o amor
A vida faz o favor
De muito amor lhe voltar.

Mas, se acaso atirar
Qualquer um mal a alguém
Não espere receber
Do bumerangue um bem
Pois, o que vai tem retorno
E a vida em seu contorno
É um eterno vai e vem.

A quem carinho, carinho
A quem amizade, amizade
A que acolhida, acolhida
A quem desprezo… Bumerangue!
É a vida!

14 pensou em “BUMERANGUE

  1. Meu caro poeta Jesus de Rita Miúdo, definiste muito bem a vida nos dá a resposta conforme a nossa pergunta, é a reação conforme a nossa ação. Parabéns mano véio.

    Itaerço
    Imperatriz-ma.

  2. A vida fubânica, seguindo o que diz a lavra do poeta Jesus Miú(ops, Gigante) é um bumerangue… Faz todo o sentido, pois arremessamos palavras e retornam palavras, geniais palavras da lavra de nossos inimitáveis colunistas e comentaristas… Arremessemos então, um Quixote Véi di Guerra repleto de palavras..

    • Ô, Sancho, eu não tenho nenhum medo em dizer que está seleção do JBF é a melhor do Brasil.
      Nosso Papa é um técnico com da gota!

  3. Parabéns Jesus Ritinha de Miúdo:

    Conheci um doido nos idos de setenta lá em Carpina (PE), Tuxá, que dizia ser a vida um bumerangue porque ele tomava uma garrafa de pitu duma taralaga só, o mundo rodava, rodava, rodava, mas ele não caia no chão, enquanto o passeiro de copo, Pei Bufo, desmaiava.

    Quando o outro se acordava da ressaca ele o convidava novamente para uma rodada de duas cheinhas e o outro respondia:

    “Vai te fuder não! Eu já vi Cristo, homem! Dou graças as Deus ter retornado!

    • “Passeiro” acima foi escrito com dos esses por era assim que estava grafado o nome do bar “passeiro de cana.” Como homenagem ao acolhedor de cachacista resolvi manter a grafia da placa escrita à mão.

      • Cícero, você agora levantou um assunto interessante para qualquer nossa reunião de quinta: bebinhos.
        Obrigado pela participação, macho.

  4. Jesus, eu sugiro em próximas reuniões- mais um marco do JBF, onde o Tio Berto administra o Puteiro – uma palestra sua comentando sobre bebins.

    Vai ser de arrombar a Tabaca de Xolinha e os pentelhos de Chupicleide.

    Parabéns Grande Poeta pela inteligência e versatilidade nos versos. Mais adoro suas crônicas também.

  5. É a destreza e o dom poético de Jesus de Ritinha, fazendo com que o Bumerangue seja a continuidade da “Esperança pelo avesso”. (posso estar 50% errado)

    O título, Bumerangue, poderia ser seco, bíblico: “Olho por olho, dente por dente”.
    Talvez, até enveredasse por Matheus: “com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo”.
    Ou, quem sabe, dá um leve toque Franciscano: “É dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado”

    Mas, no pilão do poeta popular, ele mistura tudo com seu talento, soca e moe bem direitinho. O resultado foi um belíssimo Bumerangue.

  6. 10 X 0, poeta Jesus de Ritinha! Seu poema é fantástico!

    Deve ter sido a lei do retorno, editada pelo Mestre Mundo, que inspirou o bumerangue.

    Parabéns!

Deixe uma resposta