ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

O estresse surge em conjunto com a sensação da necessidade de adaptação à determinada situação. Por esse motivo, pode ser bom ou ruim; a pessoa pode ficar estressada tanto pela promoção no emprego, quanto pela demissão, por exemplo. O ser humano, por natureza, procura manter um equilíbrio de suas forças internas, com todos os órgãos trabalhando em harmonia. Quando algum evento importante, benéfico ou danoso, ocorre na vida de uma pessoa, causando alguma mudança, o corpo vai fazer um esforço para se adaptar à nova situação.

Na presença de uma circunstância estressante, pode surgir uma reação positiva ou negativa, conforme dito acima. A negativa está relacionada ao desgosto emocional. É como se o copo estivesse cheio e uma pequena gota d’água o fizesse transbordar. Já a atitude positiva faz com que o indivíduo busque aumentar seu desempenho, tornando-se confiante para enfrentar determinadas circunstâncias, além de causar uma sensação de realização por ter condições de superar uma situação adversa.

Na verdade, a reação ao estresse ajuda a enfrentar desafios. Ele é que mantém seu foco durante uma apresentação no trabalho, é o que afia sua concentração no momento de executar um lance em uma partida de futebol e o leva também a estudar para um exame quando poderia se encontrar com amigos para um lazer. Porém, depois de um certo ponto, o estresse deixa de ser útil e começa a causar grandes danos a sua saúde, seu humor, sua produtividade, seus relacionamentos e sua qualidade de vida.

No admirável universo da poesia popular, temos uma sextilha do poeta pernambucano Manoel Filó (1930-2005) que ilustra como uma adversidade pode causar reações diferentes:

Assim como existe alguém
Que quando perde alguém, chora
Também tem alguém que age
Quando o amor vai embora
Na mesma simplicidade
Que um pingo d’água se tora.

10 pensou em “BREVE REFLEXÃO SOBRE O ESTRESSE

  1. Aristeu,
    Antes de mais nada é importante esclarecer que estresse não é necessariamente uma coisa ruim. Se nosso corpo não tivesse nenhum tipo de habilidade para resistir ao estresse, provavelmente não teríamos evoluído e sobrevivido enquanto espécie. Nossos ancestrais, por exemplo, usavam os primeiros sinais do estresse como sinal de alerta para o perigo de um ataque de animais.
    É uma palavra que vem da física. Quem já estudou resistência dos materiais conhece bem o conceito. Na física Estresse e Tensão são sinônimos. Trata-se uma quantidade de força aplicada em uma determinada área.

    Trazendo isso para nosso corpo, quando somos submetidos a atividades estressoras, como por exemplo o trabalho, uma atividade física, situações como a chegada de um novo filho, casamento, mudança de emprego, etc… nosso corpo reage, produzindo uma mistura complexa de hormônios e produtos químicos como a adrenalina, cortisol, e norepinefrina (também chamada de noradrelalina).

    Essa produção de hormônios ocorre justamente para preparar o corpo para uma reação física. Se eu precisar fugir, esses hormônios ajudarão a desviar sangue para os músculos, por exemplo.

    O problema surge quando nosso corpo entra em estado de estresse em situações inadequadas e por tempo prolongado. Níveis elevados de cortisol contribuem para o aumento dos níveis de açúcar, da pressão sanguínea e redução da libido.
    Parabéns pela oportuna matéria publicada.
    Abraços fraterno.
    Carmen.

    • Carmen,

      Agradeço ao seu comentário com observações corretíssimas sobre o estresse. Concordo com todos os seus argumentos explicitados de forma didática e corretíssimos. Faço apenas um brevíssimo comentário sobre o estresse crônico. Quando uma pessoa se mantém continuamente estressada, e isso faz parte da rotina, o estresse pode estar se tornando crônico. Neste caso, as reações do corpo ao estresse e os sintomas não vão embora, afetando diversas áreas da vida. O estresse crônico é um fator de risco para ansiedade e depressão.
      O estresse crônico é prejudicial ao corpo principalmente porque alguns hormônios, particularmente o cortisol, começam a entrar em ação. Se o cortisol fica muito elevado durante dias, semanas, começa a gerar problema para o organismo, que não foi feito pra ter esse hormônio em sobrecarga,

      Saudações fraternas,

      Aristeu

  2. Carmen: Parabéns pelos acrescimentos trazidos às informações científicas ao excelente artigo de Aristeu.

    O que você deixou bem claro – e disso não podemos fugir porque são reações orgânicas – também ocorre às pessoas que são assaltadas. Deu-lhe um exemplo de reação de pânico para o meu caso.

    Já fui assaltado três vezes com o bandido tendo às mãos uma arma de fogo. A minha primeira reação é de sair em desabalada carreira. Ninguém me segura. A adrenalina salta aos olhos. Não me controlo. Posso até levar um tiro nas costas…

    Cheguei a uma conclusão que cada pessoa age de uma maneira diferente, de acordo com seu temperamento. Tenho amigos que parte pra cima, Eu corro. O ser humano é muito instável. Isso acontece em qualquer situação de perigo, a não ser que o sujeito seja treinado para aquela situação como os policiais, agentes de seguranças…

    Parabéns, Aristeu, pelo ótimo BREVE REFLEXÃO SOBRE O ESTRESSE.

  3. Cícero Tavares,

    Muito obrigado por seu comentário com um depoimento de ter sido assaltado três vezes com o bandido bandido tendo às mãos uma arma de fogo. Conheço uma pessoa que passou por um episódio de assalto semelhante ao acontecido com você, e desenvolveu o transtorno do estresse pós-traumático (TEPT). Ele pode ser definido como um distúrbio da ansiedade caracterizado por um conjunto de sinais e sintomas físicos, psíquicos e emocionais.
    Esse quadro ocorre devido à pessoa ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas. Quando ele se recorda do fato, revive o episódio como se estivesse ocorrendo naquele momento e com a mesma sensação de dor e sofrimento vivido na primeira vez. Essa recordação, conhecida como revivescência, desencadeia alterações neurofisiológicas e mentais. Felizmente, você não teve o transtorno o estresse pós-traumático. Lembro que a melhor situação perante um bandido é entregar todos os bens, pois o bem maior é a nossa vida.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  4. Meu prezado cronista Aristeu, gente fina, de textos curtos e maravilhosos:

    Veja, eu não desenvolvi o transtorno do estresse pós-traumático (o TEPT) após os três assaltos à mão armada fora os outros de subtração, mas é impressionante o que acontece comigo especificamente, dependendo do momento, hoje, eu reajo numa boa; mas existem situações que eu posso sair em desabalada carreira sem medir a consequência do perigo.

    Também conheço pessoas amigas que já passaram o mesmo que eu, mas não se intimida, e parte para cima do bandido para o tudo ou nada, mesmo tendo na mente todas as instruções de como se assegurarem para não sofrerem represália do meliante.

    Vou lhe dar um grande testemunho: pessoalmente, se for à noite, e eu estiver caminhando, qualquer moto que venha em minha direção, eu estremeço. Mas há momentos que eu ajo de forma demente como se nada estivesse acontecendo.

    Graças à genética de família, eu não fui contaminado pelo vírus do desejo de vingança, se bem que sou a favor da PRISÃO PERPÉTUA.

  5. Parabéns, prezado Aristeu Bezerra, pela excelente postagem, ” BREVE REFLEXÃO SOBRE O ESTRESSE”! O tema é atual , sendo muito confundido com o costumeiro cansaço, seja do trabalho, do cumprimentos de compromissos, atividades domésticas,etc..
    Segundo opiniões médicas, o estresse resulta do acúmulo de pequenos problemas que se repetem constantemente.
    Os estressores internos, aqueles que são resultado de características de personalidade, requerem tratamento especializado.. Ninguém se cura de um estresse grave, somente com pequenas dicas,nem com livros de auto-ajuda. Se não for tratado, o estresse pode evoluir para um sério problema de depressão.

    Muito inteligente e verdadeira, a sextilha do poeta pernambucano Manoel Filó (1930-2005), sobre a diferença de reações, que as adversidades provocam nas pessoas.

    Um abraço e uma ótima semana!

    Muita Saúde e Paz!

    Violante Pimentel Natal (RN)

  6. Violante,

    Grato por sua sensibilidade de abordar com sabedoria a repercussão do estresse sobre a saúde. O mundo tem um ritmo acelerado cheio de aborrecimentos, prazos, frustrações e excesso de trabalho, que submete ao estresse que está mais presente do que nunca, que é tão
    comum que se tornou um estilo de vida e que deixa com menos possibilidades de aproveitar o
    pouco tempo livre que nos resta.
    O estresse tem sido estudado por pesquisadores de diferentes áreas, pela presença de
    riscos para o equilíbrio emocional do ser humano, convertendo-se num tema principal para o
    Brasil e para o mundo.
    Quanto ao poeta Manoel Filo (1930 – 2005), compartilho uma glosa do seguinte mote:

    NÃO TER SAUDADE DE NADA
    É NÃO TER NADA NA VIDA

    Pra falar a verdade,
    Neste meu viver sentido,
    A minha vida tem sido
    A morada da saudade
    Porque sinto em quantidade
    De uma pessoa querida
    Que foi desaparecida,
    Mas a saudade é dobrada.
    Não ter saudade de nada
    É não ter nada na vida.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  7. A sextilha do grande poeta Manoel Filó (1930 -2005) ilustra em versos como alguém pode encarar um estresse. Temos de ter habilidade de conduzir situações adversas com calma e proatividade. Não é o estresse que nos mata. É a adaptação efetiva ao estresse que nos permite viver. Ou seja, temos de ter a habilidade de suportar eventos adversos e situações estressantes sem desenvolver problemas físicos ou emocionais, lidando com o estresse de forma ativa. Os versos de Manoel Filó dizem tudo com palavras simples e uma belíssima metáfora. Parabéns pelo artigo.

    • Vitorino,

      É gratificante ler o seu comentário fazendo uma correlação entre a sextilha de Manoel Filó e habilidade de suportar situações estressantes. Você simplificou de forma inteligente o que é o estresse, então farei apenas pequeno comentário.
      Apesar da terminologia ser utilizada de maneira corriqueira para designar algo ruim, a definição de estresse não está relacionada a uma patologia médica. Os níveis de estresse, no entanto, quando se encontram elevados, demonstram a forte tendência para o desenvolvimento de complicações físicas e mentais.

      Se todos nós estamos sujeitos a isso, porque se trata de um problema? A resposta está na quantidade de estresse enfrentada. Quanto mais você se estressa no dia a dia, menor controle tem sobre o seu corpo e mente. Chega um momento em que outros distúrbios começam a aparecer. É o caso da ansiedade e da síndrome do pânico.

      Saudações fraternas,

      Aristeu

Deixe uma resposta