CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Caro Berto,

Envio-lhe, com o objetivo de corroborar as críticas feitas às lamentáveis declarações da professora de Caxias do Sul, um áudio contendo parte do comentário do intelectual brasileiro, Rodrigo Gurgel, sobre o livro: “O crocodilo: e Notas de Inverno Sobre Impressões de Verão”, do grande Dostoiévski. (Fonte: Vídeo Roberto Gurgel).

O áudio alberga apenas o final da fala do Rodrigo Gurgel, que está no vídeo linkado acima, e foi gravado com o propósito de dar ênfase à ideia que Dostoiévski tinha a respeito da esquerda.

Ouçamos:

3 pensou em “BOAVENTURA BONFIM – FORTALEZA-CE

  1. Nos dias atuais. Essa última frase: “seja meu amigo ou eu te matarei”. A palavra amigo deve ser substituída por alguma outra que signifique subserviência: escravo, cativo, refém, prisioneiro, subjugado…

  2. Boaventura, estou tentando aqui compreender o significado desse áudio. Claro, se Dostoievski se referiu à esquerda, falava da Revolução Francesa, e isso está expresso no que se pode aí ouvir. Certamente, embora ele fxosse contemporâneo de Marx, não falava do comunismo, pois que só foi implantdado na Rússia com a revolução bolchevique de 1917.
    Parece que Dostoievski, então, acreditava que os jacobinos, que foram colocados nos assentos à esquerda Na Assembléia Nacional, pós Revolução Francesa (1789), formavam um grupo sanguinárido que conquistava as pessoas para matá-las?
    Creio que o áudio não foi suficiente para esclarecer o objetivo do áudio, se é mesmo o que entendeu o Luiz Carlos aí em cima e se isso se refere ao PT, mas, ao que eu saiba, o PT não andou conquoistando corações e mentes para matdá-los.
    Sei lá, estou confuso. A esquerda brasileira é representada pela professora de Caxias?
    Estou me lembrando de violências recentes praticadas no Brasil por pessoas e grupos direitistas, e também de fatos ocorridos no mundo, como por exemplo, anoite de 2 de junho de 2019, quando Walter Lübcke foi executado com um tiro na cabeça em sua casa no Estado alemão de Hesse. Então presidente do distrito de Kassel, o político do partido da chanceler Angela Merkel recebia ameaças de extremistas de direita devido a suas posições pró-refugiados. Neonazistas foram presos suspeitos do assassinato. Na Alemanha o crescimento da direita coincide com quase vinte mortes praticadas pela direita contra quem contraria suas posições neofascistas.
    A tendência: – Nos últimos cinco anos, os ataques extremistas rotulados de extrema-direita cresceram 320% em todo o mundo, segundo o Índice Global de Terrorismo, um dos indicadores de referência desta reportagem e que deu origem ao Instituto de Economia e Paz.
    Enfim, quem são os santinhos?
    Ajuda aí. Explica esse troço.

  3. Caro Goiano, a meu juízo, qualquer totalitarismo é prejudicial à humanidade, seja jacobino, seja girondino. E a desditosa professora de Caxias do Sul não representa nada; pelo contrário, ela atrapalha o partido político a que está filiada. O problema de muita gente é a tentação “ideologizante”, isto é, transformar tudo em ideologia.
    A propósito, cito o grande escritor e poeta brasileiro, o saudoso Gerardo Melo Mourão. Ele dizia que tinha se libertado das ideologias, não estava mais vinculado a ideologias, preferia exercer o diálogo das ideias, porque, na concepção dele, “o apego a uma ideologia escraviza, e o diálogo das ideias liberta”.
    Sugiro que você assista ao vídeo do Roberto Gurgel, logo acima.

Deixe uma resposta