DEU NO JORNAL

A partir de agora, provas legais, fornecidas por órgãos do Estado, serão descartadas.

E provas ilegais, obtidas por criminosos para tirar da cadeia outros criminosos, serão consideradas válidas.

Depois do efeito Glenn Greenwald, temos o efeito Dias Toffoli.

* * *

Não vou comentar nada.

Limito-me a transcrever o que escreveu sobre este assunto o jornalista Merval Pereira:

O cerco às investigações da Lava Jato continua com a decisão do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, de suspender todas as investigações baseadas em dados fiscais repassados pelo COAF e pela Receita Federal ao Ministério Público, sem autorização judicial. Apesar de decisão do plenário do STF a favor, tomada em 2016.

Também o Conselho Nacional do Ministério Público, através do corregedor Orlando Rochadel Moreira, decidiu investigar o coordenador da Lava Jato em Curitiba, procurador Deltan Dallagnol, com base nas últimas revelações do site Intercept Brasil, a pedido do PT.

Desconhecendo a ilegalidade da invasão dos celulares, o corregedor tratou como prova válida os diálogos e, baseando-se na versão publicada, pede explicações aos procuradores.”

Tofinho, tu sabe retribuir favor recebido. Estamo nóis tudinho agradecido”

Deixe uma resposta