BABY

Quando Jair Messias Bolsonaro, investido no cargo de dirigente da Nação, com cacófato e tudo, apresentou-se como o que exatamente é, um irresponsável, absolutamente destituído das condições intelectivas e psíquicas para dirigir um país, ou o que quer que fosse, seu eleitorado caiu em si e as defecções se multiplicaram: milhões de seus seguidores fiéis o abandonaram, tiveram de abrir mão do compromisso ideológico com algo que pensavam ser o bolsonarismo.

Essa ideologia se sustentava em alguns princípios básicos: honestidade incondicional, luta intransigente contra a corrupção, fim do toma-lá-dá-cá, nomeação técnica para cargos, independência dos órgãos, e o lema absoluto “Deus, Pátria e Família”, reminiscência do Integralismo, avivado no “Pátria acima de tudo, Deus acima de todos”.

Contudo, o próprio Jair Messias Bolsonaro não foi capaz de manter seus compromissos, consigo mesmo e com o eleitorado, e dia a dia, passo a passo, desconstruiu, com seus atos e suas palavras, o ideário que o levou ao poder.

Fatos envolvendo sua família, com respingos nele mesmo, e outros diretamente em torno de sua pessoa, lançaram dúvidas sobre a honestidade incondicional; a luta intransigente contra a corrupção foi relaxada pela falta de apoio a medidas concretas nesse sentido, como reclamou dele o seu próprio pupilo de outrora, Sérgio Moro; o toma-lá-dá-cá retornou com o balcão de negócios junto ao chamado Centrão, para garantir apoio político inclusive contra um possível processo de “impeachment”; cargos passaram a ser preenchidos como moeda de troca e a militarização do Estado trouxe desconfianças de intenções golpistas.

Os apoiadores balançavam, mas se forçavam a desculpar seu líder, seja pelo benefício da dúvida, quanto a determinadas situações, pelo entendimento de que em certas condições o governante precisa ceder para governar e, até, se for o caso, adotar algumas medidas maquiavélicas.

Mas, tudo tem um limite.

Talvez pudessem ser suportadas a gasolina, a margarina, a cloroquina, mas dar um pé-na-bunda do herói nacional do momento, apto a vir a ser o próximo presidente da república, “et pour cause”, foi demais! E Sérgio Moro saiu (puxando o tapete).

Foi quando caiu a ficha dos milhões que declararam que não dava mais: juntaram as partes e viram que o monstro estava completo.

Todavia, parece não haver dúvida que o tempo é senhor, mesmo, é do esquecimento – nem tanto da razão: assim como de Joaquim Barbosa, a figura heróica de Sérgio Moro foi se diluindo.

Há ideias que circulam no meio da população que são muitos próximas do pensamento de Jair Messias Bolsonaro, a respeito de os deputados e senadores serem um bando de ladrões e que só impedem o governo de governar, assim como sobre o Supremo Tribunal Federal estar lotado de esquerdistas que querem derrubar Jair Messias Bolsonaro do trono.

No populacho também circulam ideias de que bandido bom é bandido morto; de que todos precisamos ter uma arma para nos proteger; de que a tortura é necessária para fazer o bandido abrir o bico; de que ser homossexual é sem-vergonhice; de que índios precisam ser trazidos para o progresso dos brancos; que negros são inferiores e que lugar de mulher é no fogão.

São tendências represadas pelo avanço da civilização, mas que Jair Messias Bolsonaro foi capaz de permitir que fossem liberadas – o que gerou o atual estado de fascismo generalizado que estamos vivendo.

Deste modo, abandonar Jair Messias Bolsonaro significou uma orfandade ideológica: ao mesmo tempo que seus apoiadores caíram na real de que o cara é um despropositado, perderam apoio íntimo para suas convicções esdrúxulas, algo inconscientes.

Era preciso voltar aos braços de Jair Messias Bolsonaro, para continuarem com suas crenças medievais.

Assim, esses que se escafederam precisavam arranjar um jeito, uma desculpa, um pretexto para voltar ao círculo idolatrado do bolsonarismo.

Como fazer?

Resposta: Fechando trincheiras em torno de alguma de suas ideias aparentemente lógicas.

E assim, recuperaram o espírito bolsonarista defendendo a inocuidade, e até letalidade(!), do isolamento social. Eles defendem que Jair Messias Bolsonaro esteve sempre certo, que o correto é continuar todo o mundo em suas atividades normais e deixar que o vírus tome conta da população, o que determinaria um tal “efeito de rebanho” (ou boiada?) que garantiria a imunização geral – ignorando eles que para obter tal efeito seria necessário contaminar com o vírus de uma tacada só mais de cinquenta milhões de brasileiros, ou por volta de cento e dez milhões de pessoas, causando um caos nunca visto ou imaginado na rede de saúde, levando à morte, pela doença (doença agravada pela falta de assistência) milhões de pessoas.

Isso não ocorreria, segundo eles e seu ídolo pensam, porque a Cloroquina (ou a hidroxicloroquina), que é a seu ver um remédio milagroso contra a Covid 19, que teve as pesquisas abandonadas pela Organização Mundial de Saúde por falta de sinais de efetividade, e que até os Estados Unidos, onde Trump também defendia o seu uso, a deixou de lado, garantiria a cura de todos.

Tal artifício, ou “tour de force”, uniu novamente os bolsonaristas em torno de seus ideais malucos e de seu ídolo aparentemente idem, de modo que eles aos poucos voltam, ou já voltaram, a idolatrar a triste figura que ridiculariza o Brasil perante o mundo todo.

Ou a inteligência renasce e mostra a sua força, repudiando o obscurantismo e tirando essa gente do emperramento civilizatório, ou teremos todos de nos mudar, em massa, para Portugal.

Baby, baby, eu sei que é assim.

25 pensou em “BABY

  1. Estamos esperando o pico da pandemia. Mandetta disse que seria em abril, depois maio, depois junto, agora dizem que é setembro, enfim. Eu estudei os números, fiz dois artigos e vejo que a responsabilidade é mais dia governadores do que o governo federal.

  2. O Goiano é o arquétipo do esquerdista: cretino, incoerente e chorão.
    Na opinião (dele), democracia só é válida quando alguma cavalgadura esquerdista ganha a eleição. Contrariou isso, é ditadura, o povo é burro, pipipi, popopó.
    A esquerda esteve no poder mais de vintes anos, não resolveram nenhum dos “males banânicos”, nenhum…só fizeram roubar e preparar a venezuelização dessa pocilga.
    Agora fora do poder (e da grana) querem pagar de bastiões da moralidade e saber.
    Espero que esse populacho golpista continue a “errar” nas urnas nas próximas três ou quatro eleições e que a extrema direita, de Biroliro ou mais radical ainda, continue uma limpeza moral e ética aqui em Brazólia. Quem sabe, num futuro, esquerdistas cretinos sejam relegados as páginas dos contos que não deram certo!!!

    • Democracia, meu caro Pinto, nos termos de hoje, exige Poderes independentes, imprensa livre, instituições capazes de agir sem interferência política, além, é claro, de Congresso Nacional legislando, ainda que enfrentando as diatribes bolsonaristas, Supremo Tribunal Federal e todo o Poder Judiciário julgando segundo as provas dos autos, sem ingerência do Poder Executivo e nem da opinião pública, e também militares nos quartéis preparando-se e preparados para suas açôes constitucionais, nunca para intervenções de natureza política e partidária, e o escambau.
      Entretanto, vocês elegeram Jair Messias Bolsonaro e ele está no poder sem sofrer qualquer ameaça de golpismo, o que não implica em que fiquemos calados enquanto ele faz o que pode e do que não pode para prejudicar e até para envergonhar o País.
      Vamos continuar suportando essa figura até as próximas eleições. Esperamos ser capazes de botar, novamente, a esquerda cuidando corretamente do povo, até mesmo deixando de cometer os erros que foram cometidos. Os governos esquerdistas foram bons, eu sou testemunha disso e já cansei de provar com dados, fatos, número, estatísticas e o testemunho dos pobres e, até, incrível isso, da classe média – vou poupar os leitores, hoje, de repetir aqui as realizações dos governos petistas (sujeito a críticas, mas não ao palavrório desvairado a respeito das bobagens de venezualização, cubanismo, comunismo e outras coisas que colocaram na cabeça dos ingênuos e que não é chifre, embora seja coisa de gado mesmo – e resumo: bobagens, bobajada, bubiça).

        • Para um engenheiro, Adônis, a estatística deveria constituir uma ciência de resultados confiáveis.
          Como o objetivo da estatística é a produção da melhor informação possível a partir dos dados disponíveis, alguns autores sugerem que a estatística é um ramo da teoria da decisão.
          Mas. vamos aos próprios olhos: o que eu vi e vivi nos governos de Lula, de 2003 a 2010, foi uma época de justiça social – e quase me basta isso.
          Também verifiquei isso no governo da Dilma.
          E também vivi a crise de 2014, no governo Dilma. Até então, tudo ia bem, mas diversos fatores levaram à crise – e é possível que o governo não tenha sabido lidar com os fatores, diminuição da produção industrial, perdas salariais, preço do petróleo, fatores climáticos, redução do PIB, “fator Lava-Jato”, crise política com a tentativa de tomada do poder, que teve êxito.

          • Goiano,

            Larga de ser mané!

            Como disse um professor meu: “Se me derem uma massa de dados suficientemente grande, eu provo qualquer coisa!”

  3. O sabichão. Cyborg o homem de 100 milhões de dólares, até médico faz especialização ,pois é impossível saber tudo. Mas nosso cyborg de esquerda, coalira de Lula , brinca de esconder, sozinho pra se achar.
    Aposto com você que ;em 2022 , disputar pau a pau Bolsonaro X Lula , em condições iguais , o
    Sr. Jair Bolsonaro, derrota seu amado com uma diferença de no mínimo 30 milhões de voto.
    Não irei alongar-me pois penso não valer a pena. Somente aguardo um aceite, e o valor da aposta.
    Óbvio , que o nine deva estar em condições de se candidatar. Com este STF tudo é possível.

    • Pois, Luiz Antônio, aí é que está o busílis, a essência do problema, a dificuldade extrema: Lula não será candidato – isso é definitivo.
      Quanto às possibilidades de reeleição de Jair Messias Bolsonaro, ainda são efetivas, é forçoso reconhecer, apesar de sua avaliação atual apenas “deixar de piorar”, o que pode ser resultado de ele provavelmente estar obedecendo a sua assessoria, aos militares que o acompanham e ao chamado núcleo ideológico para deixar de parar na saída do Alvorada parda falar suas inacreditáveis bobagens na boca de um presidente da república, assim como se tornando invisível para a imprensa – o que os olhos não veem o coração não sente.
      Sabemos que em eleições tudo pode acontecer, sendo prova disso o estarmos tendo hoje um presidente do nível civilizatório de Jair Messias Bolsonaro, de modo que uma aposta nesse ou aquele candidato ou nessa ou naquela orientação é como apostar em jogos de azar, mas penso que ainda temos, os esquerdistas, uma certa relevância eleitoral.

  4. Espero sinceramente que o covid não te pegue. Mas, em acontecendo e vc se safar, seja honesto e nos conte qual foi o tratamento.

    • Carlos, se o vírus da Covid 19 me pegar eu vou ao médico e obedeço as recomendações e sigo o tratamento. Se ele não me receitar nem Cloroquina, Hidroxicloroquina, AZT, Ivermectina, corticóides e outros que andam circulando pela ciência, pelo xamanismo, pelo imaginário popular ou pela cabeça de Jair Messias Bolsonaro, eu vou querer saber dele o por quê se estar ministrando isso e não aquilo. Vou perguntar se ele viu o vídeo do Alexandre Garcia sobre o uso profilático da Ivermectina que fala dos bons resultados em Porto Feliz, SP, e insistirei em perguntar qual a razão de a Ivermectina não estar ainda sendo distribuída para toda a população duas vezes por semana. Também vou perguntar se a Organização Mundial da Saúde é mesmo totalmente imbecil e incompetente por ter abandonado as pesquisas com a Cloroquina. Procurarei saber das dúvidas e certezas, das possibilidades, para que eu receba o que possa ser útil – e é possível que mesmo o médico dizendo que ainda não sabe direito se funciona ou não eu possa tomar algum remédio experimentalmente, porque é a minha vida e saúde que estão em jogo.

      Porém, todavia e contudo, se eu assumir a presidência da república ou Ministério da Saúde, só tomarei providências e estabelecerei medidas que sejam cem por cento garantidas em favor da saúde e da vida da população, porque eu posso tomar decisões a respeito da minha saúde e da minha vida mesmo correndo riscos, mas se eu, como autoridade governamental, submeter a população a perigos, contradizendo até a comunidade científica, eu merecerei… você mesmo me diga o que.

      Como todos sabemos, se abrirmos pesquisas sobre os medicamentos em testes, veremos que não se estabeleceu profilaxia nem tratamento seguros com nenhum medicamento (recentemente noticia-se que o Remdevisir é o novo promissor – para tratamento) e vemos que quanto à Cloroquina até os Estados Unidos venceram o opinismo de Trump e a retiraram dos protocolos para Covid 19.

      Tem um vídeo circulando por aí com um sujeito de cara azul, se não me engano é do Fiúza ou foi divulgado por ele, que pretende passar a noção de que o isolamento social é imposto pela imprensa. Parece que a imprensa tem interesse em matar as pessoas e em destruir o sistema econômico – deve ser a imprensa que só um idiota pode acreditar ser comunista, como Folha, Globo, Estadão…

  5. Perfeito Goiano …….

    Depois desta sua crônica devo concluir que ;
    – JMB é um bosta
    – Que o bom mesmo é ter o Congresso roubando nosso dinheiro
    – Que é bom o congresso estar censurando as redes sociais
    – Que é bom o Congresso estar distorcendo os projetos apoiados por NÓS
    – Que devemos aplaudir os sinistros do STF pelo que estão fazendo com Jornalistas, Congressistas e gente comum, que apoiam JMB
    – Que devemos apoiar que o STF não faça nada contra MTST, os antifas, Damous, José Dirceu …

    Entendi bem e portanto a partir de hoje…; Lulla livre, foi “górpi”; Fora Bolsonaro, Moro 2022, ou Lulla/Moro 2022 ou Ciro/Moro 2022…….!!!!

    ÇEI ………

    • Arthur, sim ou não, depende.
      – JB, sim.
      – Congresso roubando nosso dinheiro? Não, mas a acusação é séria, podes e deves denunciar o Congresso ao MP. Depois me diz quais os elementdos que levaste e quais os resultados.
      – Congresso não tem o poder de censurar, porque a Constituição proíbe a censura. Há mecanismos de controle, caso ele tente fazer isso: veto presidencial, declaração de inconstitucionalidade pelo STF, que desprezas. Portanto, não.
      – Congresso distorcendo projetos apoiados por nós? “Nós”, quem, cara-pálida? Me inclui fora dessa. Portanto, não.
      – O STF em geral exerce suas funções constitucionais. Se extrapolar, merece críticas e certamente setores e instituições agirão para coibir excessos.
      – O STF faz qualquer coisa somente se for provocado. Se tens ação contra MTST, antifas, Damopus, José Dirceu, entre com a petição ou consiga que parte legítima o faça.
      – Lula: Sim, foi golpe.
      – Fora Bolsonaro, sim.
      – Moro 2022, não.
      Etc.

  6. Quem prega certezas, a meu ver, é só um tolo. Escrever bem as vezes é uma maldição, o sujeito acaba acreditando e fica achando que suas crendices são realidade. Nem dá pena.

    • É o mundo que vives sob Jair Messias Bolsonaro mandando em tu, Maurino.
      É o que se sente quando vivemos sob o governo de um indivíduo que prega a perda do sentido civilizatório e nos convida à barbárie.

  7. Goiano, já foste muito criticado neste JBF, Aliás, todos os comentários acima parecem ter sido feitos por robôs bolsonaristas.

    Mas eu ACHEI FORMIDÁVEL ESTE SEU ARTIGO. Realmente o Bolsonaro está perdido entre suas promessas de campaha, o gabinete do ódio e o Congresso. Teve que baixar a guarda para sobreviver.
    Veja só, não consegue nomear um Ministro a Educação (abstraindo-se das nomeações estapafúrdias anteriores). Se ele cita um nome, lá vem porrada.

    Eu acho mesmo que JMB é réfem de três grupos: Os Olvistas, os Militares e os Três Patetas.

    Está difícil sair desta.

    • Francisco, penso assim também. Poderemos, talvez, sair desta em 2022. O problema pode ocorrer com a divisão de forças, o que poderá determinar a permanência dessa direita com esse seu representante e lá vamos para mais quatro anos sob olavistas, militares e três patetas. É dose para leão.

  8. Meus caros amigos,

    Jair Messias conseguir realizar o que está realizando, mesmo com essa multidão de almas nojentas infernizando toda e qualquer atitude ou decisão do governo, É DE ARROMBAR!!!!

    O cara É MUITO BOM!!!!

    A esquerda vai enfiar o dedo no fiofó e rasgar, só de pirraça.

    Podia fazer mais??? Claro que podia!!! Muito mais, até. É só fuzilar multidões de filhos da puta que só remam para trás e querem ver o barco afundar para poder voltar a mamar na roubalheira.

    • Adônis, gosto não se discute. Se dizes que o cara é muito bom, ele te agrada ao paladar; e para quem gosta é um bom prato.

    • José Crente, se te dei a impressão de estear glorificando o Sérgio Moro em sua atuação como juiz, algo não ficou bem exposto.
      Vou repetir o que já disse antes, muitas vezes: o juiz Sérgio Moro funcionou no combate à corrupção, mediante uma atuação justiceira (e esse termo é depreciativo, bem o sabes), vale dizer, usando a orientação de que os fins justificam os meios. Agindo assim, por vezes acertou – condenou culpados; e por vezes errou – condenou inocentes.
      Em alguns casos, ele “errou” (ou a segunda instância entendeu de modo diferente) e o TRF4 reformou a sentença. No caso do Lula, mesmo, ele “errou” na dosagem da sentença, de modo que o TRF4 “corrigiu”, aumentando a pena.
      Quer isso dizer que, sim, os juízes erram, ou têm entendimentos diferentes na avaliação de provas e na aplicação da lei.
      Eventualmente, as instâncias superiores também podem errar; tanto isso é verdade que há. no Brasil e no mundo, condenações que passam por todas as instâncias recursais, mantendo-as, e que mais tarde se prova terem sido equivocadas, sendo o condenado inocente.
      Em países onde há a pena de morde, inocentes já foram executados.
      No caso do Lula, existe uma ótica, à qual aderem juristas e outros operadores do direito, de que ele foi condenado sem provas, apenas por suspeitas, ilações, deduções, convicções.
      É uma visão possível, em face dos dados dos processos. E corroborada pela ausência de fortuna sem causa por parte do ex-presidente.
      Concluo que, participando eu dessa visão a respeito da atuação do juiz Sérgio Moro, de ter ele condenado Lula sem provas concretas, pela ausência do dinheiro da corrupção e até pela vida pregressa de Lula, eu considero que o juiz Sérgio Moro condenou Lula equivocadamente e que houve a prática de “law fare”.
      Além disso, também compartilho da convicção de que o Juiz Sérgio Moro participou de atividades extra-processuais inadequadas, irregulares, o que depõe contra sua heróica glorificação.
      Enfim, alé,m de tudo os processos de Lula são nulos.

  9. Grande Goiano!

    Até o Paulo Guedes lhe defende, num momento de rara honestidade.
    Basta ir la no twitter de Fábio Palácio.

    https://twitter.com/i/status/1279865604091019264

    Para não ser uma pessoa boa e que quer o bem de todos são necessários muitos anos, muita amargura e doutrinação.
    A avareza e miserabilidade expressadas nas palavras de ódio e violência que no momento são proferidas por todo o espectro político mundial, dá ideia do desespero dos demagogos e tiranos diante do desnudamento de todas as suas ações e palavras pretéritas.
    Ah, essa memória coletiva chamada Youtube, Twitter, Facebook, Instagram. Mais do que nos surrados rols de culpados, elas mostram as ações, reproduzem fielmente as palavras e os resultados das patacoadas que foram feitas antes e que estavam ocultas pela dificuldade que havia na sua divulgação.

    Professores de história, de matemática, de filosofia, de sociologia, de psicologia e de economia revisam, documentam, instruem e alertam quanto aos fatos e ideias passadas.
    Documentários esmiúçam as guerras, as crises financeiras, as ideologias e as teorias econômicas furadas.
    Neste twitter que citei acima PG confessa que é natural do ser humano ser bom e que precisou muitos anos para ele se tornar um “liberal”.

    Esse é um tempo de recolhimento, reflexão e estudo para todos.
    Uma última oportunidade para que se abrandem os corações e se clareie as consciências de que só a fraternidade, solidariedade, harmonia e beleza é que podem nos fazer felizes.

    ***

    Falando em psicologia, vi no Instagram o que Freud dizia a respeito dos “rituais e atos obsessivos [que] operam como impedimentos para o surgimento da angústia, uma vez que ligam a energia libidinal do sujeito para a sua consecução”.
    Há muito disso no fundo dos comportamentos passionais e nas atitudes segregacionistas de alguns.
    Falta de gozo, falta de orgasmo, falta de coragem de se dissolver na comunhão amorosa é o que leva o ser humano a comportamentos deletérios para si e, se ele tem muito poder, para toda a sociedade.

    ***

    O meu Sanias foi adiado devido ao nascimento temporão da minha caçula. Mesmo assim, ainda me chamam para opinar de alguma maneira.
    Por esses tempos tenho procurado dizer a respeito da severa e única Lei da Causalidade conforme escutei da professora Lúcia Helena Galvão Maia (no canal da Nova Acrópole – youtube). Não que eu não soubesse, mas ela encontrou as exatas palavras para expressar esta formidável realidade que a todos atinge, que a todos conduz, mas que a maioria não sabe as exatas palavras para dizer o que seja.

    Pois bem, Lúcia Helena ao comentar o Princípio VI do Caibalion (não pergunte o que livro é esse) fala superiormente e de maneira concisa desse assunto que deveria constar de qualquer grade curricular.
    Porém, confirmando o princípio de que a verdade não está velada e sim de que os olhos é que o estão, mesmo dito com todas as letras e da maneira mais acessível continuamos a lançar palavras e praticar atos que, sabidamente, são deletérios.

    Escutei em uma live o cara falar que ler o Caibalion sem a chave, ou procurar ler a Cabala sem a chave, leva a pessoa à confusão.
    Pois bem, a chave é essa expressa no princípio VI.

    ***

    Nunca pensei que minha jornada no Sanias seria da maneira que está sendo, mas ser saniasin e viver da melhor maneira possível sem, contudo, o peso de qualquer personalidade egóica a ser cultivada ou alimentada.
    É a ordem na qual as coisas se harmonizam de maneira criativa e salutar.

    A paz.

  10. Meu caro Saniasin, estou longe de acompanhar essa viagem, mas vejo que lhe traz muita completude, paz, engrandecimento, o que outros conseguem por caminhos diversos, talvez tornando-se, em algo mais do que cinco minutos – esse parto pode ser longo, difícil e doloroso – um socialista, ou um simples esquerdista muito aquém dos sonhos utópicos de Marx, não o que Sancho Pança assumiu como sua tendência, mas o outro, o, digamos assim, Pai do Comunismo, para ser curto e grosso.

    As palavras de Paulo Guedes devem ser tomadas em sentido pejorativo? Alguém veja, ouça e nos esclareça, please.

    https://br.video.search.yahoo.com/search/video?fr=mcafee&p=youtube+paulo+guedes+fazer+um+socialista+leva+cinco+minutos#id=1&vid=63360486347aa6a88941157f2eaa5efc&action=view

Deixe uma resposta