8 pensou em “ANTES ERA GENOCÍDIO, AGORA É MANIFESTAÇÃO

  1. Coisas absurdas acontecem e vivenciamos todo dia.

    A morte dessa pessoa, a forma como ocorreu não tem justificativa, a não ser excesso de agressividade de quem deveria apenas ter controle sobre os frequentadores de um lugar comum a todos nós de qualquer gênero, cor ou raça.

    O melhor comentário que ouvi foi do repórter Bruno Peruka da Record / SP : ” não falamos de quem morreu, sua cor gênero ou raça, falamos de um ser humano brutalmente agredido até a morte…!

    È bem por aí, não interessa o tipo físico ou outro ou outra qualificação : foi um crime e, como tal deve ser punido.

    Agora, políticos de plantão aproveitam para ganhar !likes! ou votos- estamos em eleição – mas no fundo mesmo, estão felizes pela infelicidade que o momento trouxe..

    Esfregam as mãos, tão sujas quanto as dos agressores, por se valerem de suas atitudes.

    Tanto quem morreu, tanto quem perdeu seu ente querido de uma forma barbara. são, para eles, meros detalhes.
    inté!

  2. Não importa se ele tenha dado um soco ou que tenha extensa ficha criminal.

    Se os seguranças fossem menos agressivos, apenas imobilizariam o cara e chamariam a Brigada. Na delegacia, a ficha criminal dele seria revelada.

    Mas matar a socos e estrangulamento não tem desculpa nenhuma.

    Aliás essas empresas de “vigilância” deveriam ser melhor investigadas, para não admitirem pessoas que apresentem, em um simples exame psicológico, sintomas de agressividade. Eles estavam lá para dar segurança e não para assassinar.

  3. É curioso. Vi na mídia pessoas apoiando a depredação da empresa, furiosos, gritando quebra, quebra tudo. E diziam os ausentes: É pouco.
    A pergunta que me ocorreu é se fosse no buteco do Carlão, como ocorre todos os dias, no país inteiro. Ou na padaria do seu Zé Manuel. Ou no Mercadinho da Dona Tereza. A grande maioria desses negócios conta com a proteção de policiais militares fazendo bico.
    Mas isso não dá manchete, não é? Isso não lacra, não é? Como é uma multinacional, gigante aqui e no resto do mundo, bem, então vamos acabar com ela, com os empregos que ela gera, com os benefícios sociais que sua presença proporciona. Isso tudo não interessa, interessa que estamos bravos, temos nossas exigências e temos que ser atendidos. Eis ai a era da burrice extrema. Mais ou menos como acabar com a febre aftosa matando todo o gado. Inteligente….

  4. Foi um crime bárbaro e como tal deve ser tratado. Os seguranças devem se indiciados por homicídio qualificado e o mercado deve ser obrigado a indenizar a família das vítimas. Assim deve ocorrer em um estado de direito.

    Para além disso, não vejo como ligar este crime a racismo. Em minha opinião o rapaz não foi morto por ser negro, acho que o desfecho seria o mesmo se a vítima fosse branca.

    Quanto aos agitadores das redes sociais, dizer o que?

    São abutres, sempre à procura de um cadáver para se alimentar.

Deixe uma resposta