ASSASSINANDO A LÍNGUA

Ainda hoje fui ao médico
Fazer um check-up de rotina
A moça que me atendeu
Disse-me mesmo assim:
– Moço o senhor perdeu
O médico hoje “não vai vim”

Eu pensei, valha-me Deus!
E desesperado a chorar
Chamei a moça a um canto
Pedi-lhe banhado em pranto
Moça troque “não vai vim”
Por favor, por não virá.

Ela me disse solícita
– Isso aqui é uma loucura
Mas deixa isso pra lá
Não quero questionar
“Por conta” da sua frescura
Ficaste em último lugar.

– Troque “por conta” por causa
Não me deixe morre a míngua
Falando assim desse jeito
Português cheio de defeito
Você não terá saída
Irá assassinar a língua

– Para encurtar a conversa
Veja o que o senhor me fez
Deve-me R$. 200,00
Pra pagar de uma só vez.
– Fica por conta da aula
Que te dei de português

Saí dali de fininho
Deveras, sem pagar nada
Quem mandou a atendente
Só falar palavra errada.

Eu só sei que foi assim.

Deixe uma resposta