RODRIGO CONSTANTINO

O Brasil vive numa distopia surrealista, em que, por meio de uma manobra na Câmara, juízes, policiais e procuradores podem ficar em quarentena de cinco anos sem disputar eleição, mas ladrões corruptos podem ser candidatos com o apoio da imprensa. Tudo está invertido em nosso país: os marginais tomaram conta de vez e dobraram a aposta, ignorando o clamor popular do lado de fora da bolha.

O Senado, sob mensalão, aprovou imediatamente Dias Toffoli, o advogado de Dirceu que fracassou em duas tentativas de ser juiz. André Mendonça tem bom trânsito no Congresso, é um nome neutro, que nem agradou muito as bases bolsonaristas, e mesmo assim está sendo boicotado. E a imprensa trata com naturalidade as chantagens de Alcolumbre e companhia. Nunca antes na história deste país…

Os donos do poder não dão a mínima para o povo! Aliás, fazem o contrário: perseguem quem ousa criticar tanto descalabro. O corregedor do TSE, por exemplo, quer investigar “quem pagou” pelos atos patrióticos do dia 7 de setembro, cujo bordão mais repetido era “eu vim de graça”. O jornalista Alexandre Garcia comentou: Tem gente que é prostituto da intelectualidade. Que pensa que os outros se vendem, ou vendem sua opinião. Inclusive acusam outros disso, porque na hora que acusam, estão confessando: “eu sou assim”.

Soltura de Lula e, em seguida, sua elegibilidade por meio de aberrações jurídicas do Supremo; soltura de bandidos perigosos como André do RAP, do PCC; decisões bizarras para afastar policiais da eleição, pois sabem que se trata de uma base importante da direita bolsonarista; conchavos nos “bastidores” para impedir a escolha do presidente para o STF; censura aos conservadores nas redes sociais, com derrubada de MP do governo Bolsonaro que impediria tal perseguição; prisão de jornalista, deputado com imunidade parlamentar e presidente de partido bolsonaristas pelo “crime de opinião”; tudo isso e muito mais com aplausos da imprensa!

E nossos militantes disfarçados de jornalistas ainda repetem que nossas instituições estão funcionando perfeitamente. O editorial do Estadão diz que a “suspensão da abusiva medida provisória que alterava o Marco Civil da Internet é manifestação de que a Constituição está funcionando na proteção dos cidadãos”. Oi? Enquanto isso, tanto Ron DeSantis como Greg Abbott, governadores da Flórida e do Texas, aprovaram medidas para impedir a censura nas redes sociais.

As nossas instituições estão funcionando sim… para manter o povo de fora e preservar esquemas podres e privilégios da casta corrupta no andar de cima. Só se for isso!

Para piorar, o ex-ministro supremo Ayres Britto, em entrevista no Roda Viva, solta uma pérola que ilustra bem a mentalidade dessa turma: ele disse que, ao contrário da iniciativa privada, que vê quanto arrecada para saber quanto pode gastar, o setor público observa quanto precisa (ou deseja) gastar e aí parte para a arrecadação. É a típica mentalidade de abundância de recursos de quem fugiu da primeira aula de economia sobre escassez. É como se os recursos públicos brotassem do solo ou caíssem do céu.

Em linguagem clara e direta, o povo que trabalhe para bancar as lagostas supremas! E não ouse reclamar, pois poderá acabar preso! É ou não uma distopia de causar inveja em Orwell e Huxley?

9 pensou em “AS INSTITUIÇÕES ESTÃO FUNCIONANDO PERFEITAMENTE…

  1. Ações no TSE e Supremo miram contas de Davi Alcolumbre
    Presidente do Senado responde a inquéritos envolvendo fraudes

    Alvo de três ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) envolvendo supostas fraudes na campanha de 2014, o novo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), usou empresas da família e do contador e presidente do comitê financeiro do partido para justificar gastos de R$ 763 mil que estão sob suspeita, destaca o jornal O Estado de S. Paulo.

    Em novembro passado, a ministra Rosa Weber, do STF, negou pedido de arquivamento da investigação feito pelo senador e autorizou a quebra de sigilo bancário do contador da campanha de Davi, Rynaldo Gomes, e de sua empresa, a R.A.M. Gomes. Gomes recebeu R$ 478 mil da candidatura do senador e do comitê do DEM – as contabilidades de ambos são controladas por ele. Os inquéritos estão em segredo de Justiça.

    Gomes é peça central tanto nas ações no TSE, que pedem a cassação de mandato de Davi por abuso de poder econômico, quanto nos inquéritos no STF, que investigam suposto crime de falsidade ideológica. Ele é acusado de ter usado cinco notas frias no valor de R$ 157 mil em nome da empresa L.L.S. Morais-ME na prestação de contas da campanha de Davi e de ter falsificado documento da Prefeitura de Macapá para tentar regularizar a contabilidade.

    Uma quebra de sigilo parcial feita ainda durante investigação no âmbito do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) constatou que R$ 34 mil referentes a serviços prestados pela L.L.S. foram transferidos para a conta bancária de Gomes. A apuração teve origem em três ações eleitorais movidas pelo ex-senador Gilvam Borges (MDB-AP) – aliado de José Sarney, derrotado por Davi -, pela coligação e partido dele.

    O TRE-AP indeferiu o pedido de cassação de mandato em 2016 entendendo que a participação ou ciência de Davi sobre a fraude não foi comprovada e determinou que o crime de falsidade ideológica fosse apurado em uma ação penal, aberta naquele ano. Três recursos foram apresentados ao TSE e estão desde agosto do ano passado no gabinete do ministro Edson Fachin.

    Em abril do ano passado, o vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros, defendeu em três pareceres a cassação do mandato de Davi e dos dois suplentes – um deles, Josiel Alcolumbre, é irmão do senador. O procurador afirmou que “restou comprovada a contaminação da campanha eleitoral” de Davi pelas “ações ilícitas em tratativa”. E, segundo ele, é “impossível desvincular” dos candidatos a figura de Gomes, contador responsável pela prestação de contas, fornecedor de campanha e presidente do comitê financeiro do DEM.

    Gasolina

    Além das ações envolvendo o contador, também são alvo de questionamento no TSE pagamentos de R$ 285 mil com “combustíveis e lubrificantes” feitos pela campanha de Davi e pelo comitê do DEM para a Salomão Alcolumbre & Cia Ltda., que pertence a uma tia e primos do senador.

    Só a campanha de Davi em 2014 declarou ter gasto R$ 135 mil com gasolina em postos da família para 20 veículos. O valor é maior do que os gastos com combustível de todos os outros nove candidatos ao Senado juntos. Com a quantia seria possível encher o tanque de 1 mil carros, fazer 140 viagens de ida e volta entre Macapá e Brasília ou completar quase 17 voltas na Terra.

    Dona de uma rede de postos em Macapá, a empresa Salomão Alcolumbre aparece como fornecedora de campanha em 2014 de outros 40 candidatos e três comitês ou diretórios partidários. Os gastos de Davi e de outros dois parentes candidatos naquele pleito, porém, representam mais da metade dos R$ 551,5 mil que a empresa da família recebeu naquela eleição.

    O jornal tentou por quatro dias falar com Marina Alcolumbre, uma das proprietárias da rede de postos. Davi emprega em seu escritório político em Macapá a mulher de um dos primos herdeiros da empresa. Na sexta-feira, a reportagem não localizou Vânia Alcolumbre por telefone em seu local de trabalho.

    A assessoria do presidente do Senado não respondeu aos questionamentos enviados pela reportagem até a conclusão desta edição. Davi tem afirmado que a prestação de contas foi aprovada pelo TRE do Amapá e que “está convicto de que, ao final das apurações, restarão todas as alegações esclarecidas e devidamente dirimidas”. Na disputa pela presidência da Casa, ele usou o discurso da renovação na política, se contrapondo ao senador Renan Calheiros (MDB-AL). Rynaldo Gomes não foi localizado. A R.A.M. Gomes e a L.L.S. Morais estão inativas, segundo a Receita Federal.

    Parentes

    As supostas irregularidades na campanha de 2014 do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), também envolvem duas emissoras de TV da família do senador no Amapá, que teriam produzido, segundo ação que tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), material de campanha clandestino e nota fiscal para prestação de contas com data posterior ao término da eleição.

    A ação movida pelo diretório estadual do MDB contra Alcolumbre acusa a campanha do senador de apresentar uma nota de R$ 2,5 mil emitida pela empresa TV Amazônia Ltda.-ME, afiliada da TV Band no Amapá e dirigida pelo irmão e suplente de Davi no Senado, Josiel Alcolumbre, para compra de diversos materiais gráficos. Além da nota fiscal ter data posterior à da eleição, o que é vedado pela lei eleitoral, o cheque de R$ 2,5 mil que deveria ter sido pago à empresa de Josiel foi descontado em espécie pelo contador da campanha, Rynaldo Gomes, que já é investigado pela suspeita de usar notas frias e receber recursos de outros fornecedores.

    Em parecer pela cassação de Davi, em 2018, o vice-procurador-geral eleitoral Humberto Jacques Medeiros, afirma que o fato “confirma” que foram usados na prestação de contas do senador “expedientes com vistas a ocultar o real destino dos valores movimentados na campanha e impedir ou, no mínimo, dificultar o controle a ser realizado pela Justiça Eleitoral, corroborando a conclusão pela necessária cassação dos mandatos pela prática de fraude e abuso de poder econômico”.

    A ação movida contra o presidente do Senado afirma ainda que outra empresa da família, a TV Amazônia Ltda. – EPP, que é afiliada do SBT no Amapá e pertence a José Alcolumbre, tio do senador, encomendou em uma gráfica ao menos R$ 5,9 mil em material clandestino. A reportagem não conseguiu encontrar os dois empresários na última sexta-feira pelo telefone das empresas. O senador não retornou o contato feito pelo Estado até a publicação desta matéria.

    A campanha de Davi ao Senado em 2014 custou R$ 2 milhões e teve entre seus financiadores as empresas JBS, com doação de R$ 138 mil, e Odebrecht, com R$ 100 mil. Ele não foi delatado pelos executivos da empreiteira e não é investigado pela Lava Jato, mas seu nome aparece na lista fornecida ao Ministério Público Federal por Joesley Batista, da JBS, dos supostos beneficiários de propinas “disfarçadas” de doações.

  2. Felipe Moura Brasil no UOL
    “Os bolsonaristas, quando criticam o STF por blindar Lula, omitem que Nunes Marques colaborou para a impunidade do petista ao votar pela retirada da delação de Antônio Palocci de um dos processos e pela validação do julgamento da suspeição de Sergio Moro. Os lulistas, quando criticam o STF por blindar Flávio, omitem que Toffoli também o poupou. E ambas as claques ignoram o acordão com o Supremo, com tudo, pela blindagem geral”

    É o que eu chamo de Aliança Pela Impunidade. O que une Bolsonaro, Lulla, Temer e Centrão, além de outros. Aécio Neves por exemplo.

    • C. Eduardo, levareis a sério o que Juvelino (FMB) escreve? Ele, que fez um livro para o Olavo e esteve na campanha do Bozo, inclusive estava em sua casa no dia da Vitória (coisa para muito poucos)?

      Juvelino não tem credibilidade para nada. Ele está dizendo que Nunes Marques e Tóffili são suspeitos em suas decisões?

      Se fosse de Direita já estaria preso por difamar o STF.

      • Quem traiu o que prometeu não foi Felipe. É fácil explicar porque muita gente abandonou o Capitão. Eu também votei nele. Acreditando que seguiria com o combate a corrupção, que faria a modernização do Estado Brasileiro, que não haveria toma lá dá cá, que seria uma meritocracia com gabinete técnico, que haveria privatização das grandes estatais… Onde foi parar tudo isso? Quem traiu foi Felipe?

        • C. Eduardo, então v. achou que Bolsonaro em um passe de mágica acabaria com um conluio de 500 anos dos poderosos no Brasil? Acorda cara.

          Bolsonaro não tinha o apoio do Maia no começo, que sentou em cima da reforma da previdência até que uma grande manifestação de rua em 29/05/2020 pediu, veja só, o povo pediu para que ele tirasse a bunda gorda de cima. Depois ele não pautou as privatizações, hoje está com o Dória, que em gratidão o levou para SP.

          Muitos traíram Bolsonaro por ele não dar cargos. Foi o caso do Bebiano, que vazava todas as notícias do governo para a imprensa. Quando este saiu, foi um vaza geral (P. Marinho, Pepa. O Frota então, queria só a Ancine para ele, vazou.

          Temos um ministério técnico Tarcísio é o melhor exemplo. que está entregando mais que os últimos 5 governantes juntos, e sem corrupção.

          Como eu sempre falo, Bolsonaro realmente não é a nossa melhor opção, é a única.

  3. Matéria de hoje na Folha do Brasil.
    Vale a pena a leitura da Folha, para reflexão 👇👇

    Perfeito 💚💛

    Antonio Hamilton Martins Mourão, VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA:

    Não vi nosso presidente proibir nem obrigar ninguém a se vacinar… Mas vi uma suprema corte decidir que quem não se vacinar perderá direitos…
    Não vi os laboratórios solicitarem aprovação do órgão técnico (ANVISA) para poderem comercializar suas vacinas aqui… Mas os vi solicitarem que os governos assinem um termo que os isente de responsabilidades se surgirem efeitos colaterais graves/desconhecidos…
    Vi um presidente que optou por não se vacinar e não mentiu para a sua população… Mas vi autoridades fingirem que se vacinaram…
    Vi autoridades proibindo uso de droga muito conhecida e segura… Mas as vi tomarem (e se auto prescreverem!) quando adoeceram…
    Não vi ninguém chamar o Mandeta de genocida por ter dado a pior orientação possível de toda esta epidemia… Mas vejo muitos chamarem o presidente por não fazer lockdown, embora tenham sido facultados prefeitos e governadores para combater a COVID da maneira que lhes parecesse melhor…
    Não ouvi críticas incisivas e diárias sobre a compra de respiradores que não funcionaram, superfaturamento, e nem de hospitais de campanha que não funcionaram… Mas vejo críticas ferozes por qualquer declaração do presidente…
    Vi o presidente ser chamado de inábil por não negociar com o congresso… e depois de fazer concessões a este para poder governar…
    Vi uma suprema corte legislar e governar, mas deixar caducar processos…
    Não vi petistas/esquerdistas abandonarem o barco nem quando ficou PROVADO o quanto Lula tinha roubado… Mas vejo a direita conservadora diminuir seu apoio a um presidente que não rouba mas que não é politicamente correto…
    Vi um presidente sozinho contra o mundo tentando repatriar sua floresta e acabar com a exploração estrangeira… Mas só vi noticiado que era um incendiário…
    Não vi tanta indignação quando o filho do Lula se transformou de estagiário de zoológico a grande empresário… Mas vi discursos inflamados contra o Presidente porque seu filho teria feito a famosa “rachadinha” (aliás, incluída no estatuto do PT!)…
    Vi pessoas serem presas por caminharem sem máscara pelas ruas e ameaçar de prisão quem ousasse passar o Natal em família… Mas vi criminosos serem soltos para que o pudessem passar com as suas…
    Vejo uma parcela da população que não aceitou o resultado da eleição até hoje ser chamada de democrática e um presidente que luta para manter a liberdade individual, armar a população e diminuir o poder do estado ser chamado de fascista…
    Vejo pessoas cujo estilo de vida é atacado pela esquerda que quer literalmente destrui-lo virando as costas para o único homem de coragem que apareceu por aqui para defender a família, o trabalho e a liberdade…
    Aí eu te pergunto, inteligência: o quê tu queres para a tua vida? Para a vida dos teus filhos? Quê futuro tu achas que pode existir com Lula, Dória, Boulos, Maias, Ciros, Haddads e Amoedos?
    Entenda de uma vez por todas que Bolsonaro não é a melhor opção…

    Ele é a ÚNICA OPÇÃO!

  4. PUTA QUE OS PARIU!!!!!!!

    Quando é que esse bando de babacas vai entender que está sendo feito de imbecil a cada passo, que essa turma não está para brincadeiras e que a nossa única opção é…

    GUILHOTINA PARA TODOS ESSES CRÁPULAS!!!!! JÁÁÁÁÁÁÁ!!!!!!!!!!

  5. Mestre, receio que estamos mesmo é lascados. Nenhum argumento, consideração, opinião ou fato pró governo é levado em conta. Nada. São todos negados e pronto. Aqui mesmo alguns de muita boa vontade, ainda se dão ao trabalho de argumentar com ‘pensadores estatísticos’, com inimigos, com esquisitos e também com os mais rematados canalhas. Os esquisitos apresentam dados, opiniões, fatos e estatísticas infalíveis, mas sabemos que são escrotos incansáveis! Credo! Todo o meu respeito a quem ainda aguenta tentar o dialogo com essas excrecências, devem ter estomago de Ema. Eu não consigo mais.
    Afinal as escrotices desses nojentos são diárias, incansáveis e persistentes. Me lembra a piada do piolho, quadro dos Trapalhões, no qual Didi tomava porrada mas continuava dizendo piolho. Quando amarrado e amordaçado, esfregava as unhas, como quem matava um piolho. A piada, dos anos 70, era mesmo engraçadinha. Transportada para a atualidade é só uma peça triste.
    Que Deus nos proteja!

Deixe uma resposta