CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ARREPENDIMENTO

Pois é …. Ainda bem que arrependimento não mata.

Acabei de ouvir o Dr. Alessandro, médico, 49 anos, 2 filhos, falar sobre o Bolsonaro ou melhor falar sobre o que Bolsonaro representa para o Brasil de hoje e para o Brasil do futuro.

Critiquei muito Bolsonaro considerando como status moral a minha maneira de ser, de pensar, e como agir, considerando uma máxima que ouvi há muitos anos atrás..

Se houvesse apenas uma lei a ser feita deveria ser : “Não faças ao outro o que não quer que faças para você”.

Simplesmente o máximo em simplicidade porque envolve respeito, limites, consideração, educação, escrúpulos, honestidade, moral e ética, obviamente tudo que falta aos políticos em sua maioria.

Ele, Dr. Alessandro, fala sobre os objetivos bem delineados, mundialmente, entre a esquerda socialista e a direita conservadora.

Esquerda, uma minoria barulhenta, aética e sem escrúpulos que deseja um socialismo idiota que pretende alcançar o paraíso comunista (todos iguais na miséria), que em lugar e em tempo nenhum deram certo VERSUS o Conservadorismo liberal, representado por valores morais, de família, de religiosidade, de honestidade, de solidariedade e de ações escrupulosas,(respeitando a minoria) mas trabalhando pela democracia, representada pela MAIORIA que deseja menos Brasília e mais Brasil, menos privilégios acumulados, menos hipocrisia e menos corrupção, valores que sempre funcionaram até hoje (Biden e seus esquerdóides estão tentando acabar com essa posição) na maior democracia e economia mundial.

Minha “mea culpa” se faz quando percebo que não estava protegendo Bolsonaro, mas sim, estava deixando de proteger o que ele representa no Brasil de hoje.

Na realidade passei a admirá-lo quando ficou exposta aos brasileiros aquela reunião ”fechada” (aberta, graças a Deus, por aquele juiz de merda).

Nela, sem saber que um dia a reunião viria a público, Bolsonaro descascou seus ministros com o objetivo de buscar as melhores soluções para o Brasil (inclusive criticando veladamente Moro pelo que estava acontecendo com os direitos civis, cláusulas pétreas de nossa Constituição), ficando claro que não se importava com as distantes eleições de 2022.

Seus ministros demonstraram que estavam no mesmo barco e felizmente um deles lavou minha alma quando colocou a frase histórica sobre os vagabundos do STF (deveriam estar todos presos).

Mesmo assim, considerando a lealdade de Bolsonaro com o Brasil (e cada vez mais fica claro suas posições) fui desleal ao meu voto, embasando minhas críticas ao passado dos filhos, sem considerar que as pessoas podem mudar, principalmente aquelas que enxergam a morte de perto.

Dr. Alessandro fala sobre a lealdade com o nosso rei, independente de nossas posições e convicções pessoais, difíceis de avaliar se teríamos, nas circunstâncias que Bolsonaro enfrenta, condições, disposição e coragem de enfrenta-las, sem abandonar o barco Brasil.

Obviamente Dr. Alessandro, como escritor alinha e concatena muito melhor estas ideias de Reino e Lealdades, portanto é fundamental ouvi-lo e vê-lo ao vivo no vídeo que está no final, o médico que emocionou o Brasil.

O que sei é que a partir de hoje serei leal ao meu voto, isto é, não haverá críticas ao meu rei e sim uma nova decisão a ser tomada em 2022.

Na realidade, HOJE, ainda não me arrependi do voto que em 2018 foi coerente com aquilo que tínhamos de menos pior mas que hoje, passado o tempo e vendo seus posicionamentos modifico para….

Em 2018, votei no que tínhamos de melhor, mas eu AINDA não sabia.

4 pensou em “ARTHUR FALCÃO TAVARES – SÃO PAULO-SP

  1. Prezado Arthur,
    Este vídeo já circulou há algum, tenho ele guardado em meus arquivos/pastas preferidos, e considero como uma das análises mais lúcidas sobre o momento atual, de como devemos entender, historicamente, a farsa do que representa a autodenominada esquerda, ou seja lá, o que isso ainda represente, e como lidar com essa gente maldita.
    Revi o vídeo, e continuo exatamente como você.
    Não há outra opção: ou é esse homem ou é o retorno à “esquerda”.
    A escolha está em cada um de nós.

    p.s. não deixe de ler essa outra brilhante análise:
    https://luizberto.com/romulo-simoes-angelica-belem-pa-6/

    • Pois é Rômulo ……

      Eu não tinha visto ainda Dr. Alessandro mas, .. antes tarde do que mais tarde …
      O meu arrependimento é real

      Com relação ao texto do Alex Fiuza – Mecanismo: O cerco se fecha – que voce cita no link, eu já o tinha lido depois de apresentado a ele pelo Romulo Simões….

      Na realidade foi este texto que serviu como reforço para externar meu arrependimento e incompreensão com nossa causa……

      Acho muito bom poder lutar, sem peso na consciência, por quem realmente nos representa, ou melhor, por aqueles que representam nossa causa…….

      Antes tarde do que mais tarde……

      Saudações

  2. Caro Arthur, eu tenho enfrentado muita “briga” aqui neste espaço há muito tempo, e v. é testemunha disso.

    Defendo Bolsonaro, não porque é o Bolsonaro, mas porque ele é quem representa na atualidade o pensamento conservador de direita, tão combatido pelo Sistema desde sempre.

    Bolsonaro tem defeitos? Óbvio que tem, às vezes fala demais e dá munição de graça para quem combate a ele.

    Quanto aos filhos, também têm seus defeitos. O Flávio – 01, parece que busca um posicionamento social e usa dos meios disponíveis para isso, eu não duvido que usou das rachadinhas para cobrir campanhas, não para ficar rico, pois não dá para ficar rico com rachadinhas, nem é ilegal, é imoral.

    O Carlos é o mais ligado ao pai, politicamente falando, foi quem ficou ao seu lado quando estava ameaçado e convalescendo. Aluno e discípulo do Olavo, creio que durante um tempo esteve com o controle do Twutter do Pai e andou postando algumas coisas que repercutiram contra.

    Eduardo é o caçula do 1º casamento. Seu erro foi ter pedido ao pai logo no 1º ano a embaixada dos EUA. Deixou o pai exposto e depois teve que recuar.

    Jair Bolsonaro é a nosso última esperança. Se não for com ele, será a volta do Lulla e o caminho do Brasil à Venezuelização estará garantido.

    Bom saber que v. acordou para a realidade.

    Como “castigo” (rsrs), v. terá que convencer pessoas que pensavam a acordar para a realidade.

    A briga de 2022 começou e será dura.

  3. Escreve Arthur:
    Na realidade, HOJE, ainda não me arrependi do voto que em 2018 foi coerente com aquilo que tínhamos de menos pior mas que hoje, passado o tempo e vendo seus posicionamentos modifico para….

    Em 2018, votei no que tínhamos de melhor, mas eu AINDA não sabia.

    Escreve Sancho:
    Quando EU meu título pertencia ao Rio de Janeiro SEMPRE votei em Bolsonaro. E sempre o fiz por achar ele o menos RUIM. Em 2022 novamente terá o meu voto e continuo achando Bolsonaro o MENOS RUIM.

    Em minha ótica não temos políticos de DIREITA. Classifico JAIR como social-democrata (suas escolhas partidárias o comprovam). Se de direita fosse teria há muito criado o PARTIDO CONSERVADOR. Não o fez quando criar partido era tão fácil como abrir puteiro.

    Como não vejo grandes nomes na política (os que lá estão e os que andam se engraçando pela coisa não me convencem) continuará tendo meu voto.

Deixe uma resposta