CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Meu caro editor Luís Berto

Vendo a evolução dos costumes e sistemas sociais deste nosso país, com a proeminência de renomados marginais a ocupar todas as funções de estado porventura existentes ou por criar, acho que já é chegada a hora de nosso lídimo congresso nacional homenagear uma das figuras internacionais que melhor definiu o espírito do estado brasileiro, o General Charles De Gaulle, herói da Resistência Francesa contra o nazismo alemão e líder inconteste da formatação da 5ª República da França, na década 40, do século passado, pelo seu notável contributo para a análise psicossocial desse nosso cada vez mais avacalhado Brasil banânico.

Essa homenagem, acredito, deveria ser pelo estabelecimento de feriado nacional no dia 22 de novembro, data de nascimento desse icônico personagem da história mundial, e seria denominada “Dia da Semvergonhice Nacional”, ou qualquer outra denominação pomposa que nossos beletristas queiram atribuir à data.

Tais homenagens se constituirão a partir da aposição de uma estátua do insigne político no local hoje ocupado pela desmoralizada figura da justiça, frente ao supremo (ahh, ahh…) tribunal federal, inscrevendo-se em seu pedestal a mais que significativa análise da nação brasileira, que foi a frase “Le Bresil ne ce pas un pays très serieux”.

A par dessas comemorações, as repartições públicas dos três níveis e todas as escolas, oficiais ou particulares, deveriam apor em lugar de destaque uma foto desse insigne homenageado e sua frase, que no caso das escolas poderia ser escrita em português, mesmo.

E, olhe a dificuldade que muitos terão para lê-la.

Além disto, para propiciar melhores condições comemorativas, esse feriado deverá ser comemorado sempre às quintas-feiras, permitindo -se assim um feriadão consentâneo com a grandeza da data.

Vamos agir, pois ainda há tempo para a instituição da data no presente exercício.

Basta pedir assistência a Tofolote, para fazer andar a proposta com a mesma celeridade com que os processos de Luladrão caminham no supremo prostíbulo nacional, sob sua incomparável gerência.

Laboremos.

Com votos de um final de semana tranquilo e produtivo.

R. Meu caro, dizem os entendidos que esta frase não é de De Gaulle.

Ela foi pronunciada por um embaixador brasileiro nos anos 60.

Foi outra pessoa, e não De Gaulle, que deu este tiro certeiro: 

O Brasil não é um país sério

Mas, independentemente do autor, a frase está certíssima.

Um país que já elegeu Jânio Quadros, Collor, Lula e Dilma para a presidência da república, realmente não pode ser levado a sério.

Bom final de semana pra você também e pra toda a comunidade fubânica.

Deixe uma resposta