PERCIVAL PUGGINA

Qual foi o principal problema enfrentado por Bolsonaro no exercício da presidência da República? Sobre a resposta a essa pergunta eu não tenho dúvida: o combate sem trégua a Bolsonaro se deve a ter ele sido eleito pela parcela conservadora da sociedade. Omisso e silencioso, esse eleitorado ganhou, com ele, súbita expressão política. E isso foi visto como ato de guerra pelos “progressistas” de todos os matizes (e de todos os países).

Fosse Bolsonaro um “progressista”, sua vida seria mais tranquila. Até então, a guerra cultural estava em curso e era vencida pela esquerda com facilidades análogas às encontradas pela máquina de guerra nazista ao invadir a Europa Ocidental.

Na vitória de Bolsonaro, porém, o Brasil disse ao mundo que, aqui, haveria resistência.

Você não enfrenta máquinas de guerra poderosas e vencedoras sem determinar reações em contrário. E elas foram severíssimas nos ambientes culturais propriamente ditos, no mundo acadêmico, nas poderosas e endinheiradas fundações da Nova Ordem Mundial, nos meios de comunicação, no aparelho burocrático do Estado e nos poderes de estado, notadamente nos Tribunais Superiores.

Bolsonaro poderia ser exatamente como é, mas se não tivesse despertado e mobilizado o eleitorado conservador – favas contatadas nas disputas entre duas esquerdas durante um quarto de século – o governo teria tido outro curso e enfrentado dificuldades bem menores.

Examine o leque dos candidatos presidenciais. Exceto Bolsonaro (PL) com 30%, todos os demais são esquerdistas e isso dá boa ideia sobre para onde aponta o ano eleitoral cuja folhinha já está rolando. Depois, olhe detidamente os nomes e conviva com a realidade: eles são tudo que os partidos políticos têm a apresentar após quatro anos fazendo fumaça e barulho, impedindo o governo de governar, atacando-o por tudo e por nada, criando despesa para um orçamento já estourado, fazendo negócios, batendo à porta do STF para fazer “política”. Nada revela tão bem o quanto são inaproveitáveis nossas legendas partidárias do que os nomes que apresentam ao eleitorado!

Lula (PT), com 40%. É um candidato zumbi, que surfa pesquisa, mas não aparece em público e deve fugir de espelho. Seu pior inimigo é sua biografia.

O governador João Dória (PSDB), dito Bolsodória na campanha de 2018, passou quatro anos criando problemas ao presidente e conseguiu apenas 3% de intenções de voto na última pesquisa que li.

Sérgio Moro (Podemos) está longe de ser um conservador, ou um liberal, como Bolsonaro descobriu tarde demais. Seu papel de hoje não é aquele com que o atraíram; é o que a história já lhe reservou: tirar votos de Bolsonaro para ajudar a eleição do ex-presidiário. Diante de apenas 11% de intenções de voto, seus próximos já o aconselham a disputar cadeira de senador para não ficar desocupado.

Ciro Gomes (PDT) contabiliza 7% e se vê em meio a uma calmaria, com o velame caído, sem receber uma lufada de ar que lhe permita esperar terra à vista em algum ponto de seu monótono horizonte.

A senadora Simone Tebet (do outrora grande MDB), picada pela mosca azul, fez o possível para se pôr em evidência, sempre infernizando a vida do presidente e descobre, agora, que conseguiu atrair a atenção de apenas um em cada cem eleitores brasileiros.

O senador Rodrigo Pacheco (PSD), o omisso “Pachecão”, fez muito mau uso de seu poder no Senado, ajoelhou-se perante o STF, virou as costas ao clamor popular, precisou fechar suas redes sociais, e ainda quer ser presidente. Com 0,6% perde até para a colega Simone Tebet.

Não me tiram a esperança de ter meu país de volta. Aqui resistiremos.

11 pensou em “AQUI HÁ RESISTÊNCIA!

  1. Puggina colocou em seu último parágrafo:

    “Não me tiram a esperança de ter meu país de volta. Aqui resistiremos.” Faço minhas estas suas palavras.

    Quanto às análises dos adversários do Bolsonaro:

    Lula – correto, é um zumbi. Sabe que se tomar (e vai) uma derrota para Bolsonaro, sua biografia irá para o limbo da história, como aquele que teve a oportunidade de mudar o país, mas resolveu beneficiar somente a si e os poderosos, dando uma migalha aos mais pobres.

    Moro – Trocou a fama de herói nacional para traidor da pátria. Uma pena. Provavelmente vai trocar sua candidatura à PR por uma de senador do Paraná, pois se ficar sem mandato, será abandonado e provavelmente preso pelo que tramou (os grampos). Não que eu concorde com isso, mas Gilmar irá até o fim na perseguição a ele.

    Ciro, Dória e o resto. Não têm a menor chance de ter mais que 5% dos votos (todos eles somados).

    • CARO DOM JOÃO FRANCISCO:

      MEU CARÁTER/COMPORTAMENTO FOI FORJADO NOS PRINCÍPIOS DESTA ZONA FRONTEIRIÇA DO RS (“GARRÃO” DO NOSSO AMADO BRASIL), EM QUE SEUS HABITANTES ERAM CHAMADOS E/OU (VOLUNTARIAMENTE) SE PUNHAM EM ARMAS – DESDE O IMPÉRIO – SEJA PARA DEFENDER O BRASIL CONTRA DITADORES VIZINHOS, SEJA (INTERNAMENTE) PARA DEPOR AUTORIDADES LOCAIS QUE AMEAÇAVAM TORNAR-SE OU TORNAVAM-SE PREPOTENTES E/OULIBERTICIDAS.

      ALIÁS, ISSO ESTÁ NO MEU DNA, POIS O QUE EU SEI É QUE A HISTÓRIA DOS MEUS ANTEPASSADOS É MARCADA POR ISSO, DESDE AS SUAS ORIGENS, NA EUROPA.

      POR EXEMPLO, MEU BISAVÔ PATERNO FOI, LITERALMENTE, CAÇADO PELO IMPÉRIO AUSTRO-HÚNGARO PORQUE ERA UM DOS LÍDERES DA REVOLTA POR LIBERDADE – NO ATUAL NORTE DA ITÁLIA – QUE CULMINOU COM “IL RISORGIMENTO” (“O RESSURGIMENTO”), OU SEJA, A UNIFICAÇÃO DA ITÁLIA – LIDERADA PELO GARIBALDI.

      COMO ELE PERDEU TUDO, JÁ QUE AQUELA ZONA FOI, LITERALMENTE, ARRASADA PELAS TROPAS IMPERIAIS, EM RETIRADA, ELE EMIGROU – “SEM EIRA, NEM BEIRA” – PARA O BRASIL COM A ESPOSA E OS 2 FILHOS – NO 1º GRUPO DE ITALANOS QUE SE INSTALARAM NO RIO GRANDE DO SUL.

      MEU AVÔ PATERNO, POR SUA VEZ, PÔS EM “PÉ-DE-GUERRA” AS RECÉM CRIADAS COLÔNIAS ITALIANAS, CONTRA OS DONOS DE GRANDES EXTENSÕES (AMPARADOS PELAS “OTORIDADES” DA ÉPOCA) PORQUE OS DITOS QUERIAM ESPOLIAR E TRATAR OS “GRINGOS” COMO, PRATICAMENTE, ESCRAVOS, COMO VINHA ACONTECENDO NO RESTO DO PAÍS, PRINCIPALMENTE, EM SÃO PAULO.

      RESULTADO: FOI CAÇADO, TAMBÉM, E TEVE QUE SE “ESCONDER”, INCÓGNITO, NA CONSTRUÇÃO DA ESTRADA DE FERRO PORTO ALEGRE-URUGUAIANA, ONDE – PRA VARIAR – FEZ ALGUMAS “PERIPÉCIAS” POR CAUSA DAS CONDIÇÕES E TRATAMENTO DESUMANO A QUE ERAM SUBMETIDOS OS SEUS OPERÁRIOS.

      QUANDO ELA CHEGOU NO ALEGRETE (PENÚLTIMA CIDADE DA LINHA) – PERDIDO NESSAS IMENSIDÕES DA PAMPA GAÚCHA – ELE ENTENDEU QUE JÁ ERA HORA DE “APAGAR O PITO” E SE ESTABELECER, E, COM SUAS SUADAS ECONOMIAS, COMPROU UM TERRENO E, COM MÚTUA AJUDA DE OUTROS “ORIUNDI” (IMIGRANTES) – QUE AQUI, TAMBÉM, RESOLVERAM FICAR – FEZ A SUA CASA, MANDOU BUSCAR A SUA “AMATA”, CASOU-SE, (POR SUA HABILIDADE COMO CONSTRUTOR) FEZ MUITAS MANSÕES E BOTOU 9 FILHOS NO MUNDO.

      MEU PAI, COM 19 ANOS – NAQUELE TEMPO PODIA – PEDIU LICENÇA PROVISÓRIA DO EXÉRCITO – E (NA REVOLUÇÃO DE 1923 CONTRA O EXECRÁVEL BORGES DE MEDEIROS) SE JUNTOU ÀS TROPAS DO HONÓRIO LEMES (“O LEÃO DO CAVERÁ” E “O TROPEIRO DA LIBERDADE” – VIDE “WIKIPÉDIA”), ENTUSIASMADO COM A SUA IDÉIA DE:

      “QUERO LEIS QUE GOVERNEM OS HOMENS, E NÃO HOMENS QUE GOVERNEM AS LEIS”.

      TERMINADA ESTA REVOLUÇÃO, VOLTOU AO EXÉRCITO E FOI SUBINDO DE POSTO, MAS AS “COMICHÕES” POR LIBERDADE SEMPRE O ACOMPANHARAM, TANTO É QUE, EM 1930, JÁ ESTAVA NA REVOLUÇÃO CONTRA O WASHINGTON LUIZ.

      EM 1935, NA “INTENTONA COMUNISTA”, JUNTO COM OUTROS IGUAIS, SUFOCOU O LEVANTE E EVITOU OS ASSASSINATOS DA OFICIALIDADE – INCLUSIVE ELE, NA BAITA GUARNIÇÃO DO ALEGRETE, QUE AQUELES BANDIDOS, IMUNDOS E INFAMES APÁTRIDAS QUERIAM CONSUMAR.

      E VEIO A FALECER EM 1945, NA FLOR-DA-IDADE, QUANDO EU TINHA SÓ 1 ½ ANO.

      E EU – COMO SE DIZ POR AQUI: “FILHO DE TIGRE TEM QUE SAIR PINTADO” – TAMBÉM FIZ MUITAS DAS MINHAS, JÁ DA ADOLESCÊNCIA EM DIANTE.

      PORQUE – ASSIM COMO OS MEUS ANTEPASSADOS – ENTENDO QUE SEM LIBERDADE (AMPARADA POR LEIS – NUNCA, JAMAIS MENOS DO QUE JUSTAS!!!) NÃO HÁ, NEM (REPITO) NUNCA, JAMAIS HAVERÁ VIDA.

      HAVERÁ EXISTÊNCIA – UMA PEDRA, UM CAVALO, UM VERME, UM VÍRUS EXISTEM!!! – MAS, INFELIZMENTE, NÃO TERÃO NENHUMA VIDA.

      SÓ UMA EXISTÊNIA SEM SIGNIFICADO.

      NESSES MEUS 78 ANOS, PERDI A CONTA DE QUANTAS VEZES TENTARAM ME DOBRAR, MAS NUNCA, JAMAIS ME QUEBRARAM OU QUEBRARIAM O MEU ÍMPETO DE JUSTIÇA E LIBERDADE.

      COMO SE DIZ POR AQUI:

      “S’EU TIVER QUE RECUAR, ATÉ CRAVAR OS ‘GARRÕES’ NO CHÃO – PELEANDO SÓ COM QUASE O TOCO DA ADAGA, ISSO SÓ SERVIRÁ PRA EU PEGAR IMPULSO E VOLTAR DE NOVO!!!”

      OU

      “A PRINCÍPIO, RESPEITO TUDO E TODOS, MAS AI DE QUEM “INTICAR” COMIGO – NO MÍNIMO, ME VOU ÀS ‘GOELA’ DELE!!!

      OU

      “SOU CAPAZ DE PERDOAR UMA VEZ – POIS ERRAR É HUMANO – MAS DA 2ª VEZ, EM DIANTE, JÁ VIROU DEBOCHE!!!”

      É CLARO QUE COM MAIS DE ¾ DE SÉCULO, NO LOMBO, FISICAMENTE, JÁ NÃO POSSO FAZER MUITA COISA QUE QUERIA, MAS ME CALAR – NUNCA, JAMAIS!!!

      ENQUANTO MEU DEUS AMADO ME DER VIDA, CONTINUAREI “PELEANDO SÓ COM QUASE O TOCO DA ADAGA…”

      COMO JÁ FUI EXPULSO DE TODAS ESSAS REDES SOCIAIS COMUNAS – NOVIDADE, KKKKK!!! – AINDA BEM QUE ME RESTA ESTE BENDITO JBF E SEU DONO E EDITOR (DOM LUIZ BERTO Fº) – UM DOS POUCOS, VERDADEIRAMENTE, DEMOCRATAS QUE, PRAZEROSAMENTE, CONHECI E, AINDA, CONHEÇO.

      E, TAMBÉM – CONTRA ÀS NEGRAS NUVENS QUE SE AVOLUMAM, EMPENHADAS EM APAGAR AS LUZES DO SOL DA LIBERDADE – PORQUE TENHO A DIÁRIA, GRATÍSSIMA E FUNDAMENTAL COMPANHIA DE VOCÊS, COM QUEM – QUAIS HEROICOS E ESTOICOS ESPARTANOS E A QUALQUER CUSTO – VENCERMOS A NOSSA BATALHA DAS TERMÓPILAS (VIDE O FILME “OS 300 DE ESPARTA” OU PESQUISEM NO GOOGLE).

      VERÃO NO DITO FILME – QUE SE NÃO ASSISTIRAM, ASSISTAM, POR FAVOR!!! -QUE OS FATOS SÃO SINÔNIMOS DOS ATUAIS, ISTO É,

      “A BOSTA É A MESMA, O QUE MUDOU FOI SÓ O MOSQUEDO”.

      NÓS – E NOSSOS ATUAIS E FUTUROS DESCENDENTES – MERECEMOS VIVER, E NÃO SÓ EXISTIR!!!

      E “DÊ-LHE GAITA (=SANFONA), POIS O BAILE ESTÁ BOM E NÃO POSSO (PODEMOS) DEIXAR PARAR!!!”

      UM BAITA ABRAÇO,

      ADAIL.

      • Caro Adail, eu em parte sou oriundi e parte polaco. Também há uma mistura da nossa terra, todos lutadores e que valorizam a liberdade antes de tudo.

        Quero antes de mais nada que minha terra exerça sua vocação no mundo e não fique à reboque do globalismo comunista.

        Abraço também

    • Caro Tarcísio, a pior coisa que Barrosão fez, foi concordar com o monitoramento do Exército a todo o sistema eleitoral agora em 2022. Vão entrar em todas as salas, não vão ter restrições a nada. Foi por isso somente que Bolsonaro concordou com a não impressão de votos.

      Eu acho que será difícil a “maquinação”. Vamos aguardar e acreditar que dará certo, pois senão nem adianta lutar.

        • É a minha última esperança. Não posso desistir de acreditar. Sei que não será fácil. Se fosse pela lógica, JB estaria reeleito.

          • Pessoal, voto que não pode ser conferido publicamente já é fraude por definição. Pode colocar o exército, a marinha, a aeronãutica e a liga da justiça interplanetária nas salas de votação. Depois daquele pilililpilimpilin caracteristico da urna, seu voto vai pra nárnia. E bem nas barbas daqueles que estarão “vigiando” de coturnos.

            • Caro jm, concordo que este tipo de voto que está aí é muito mais passível de fraude, mas é o que teremos, mais uma vez.

              Agora eu pergunto; vamos desistir de tudo e dar as eleições de mão beijada para Eles? Eu não.

  2. Pingback: POR QUE OS PRESIDENCIÁVEIS NÃO FALAM NISTO? | JORNAL DA BESTA FUBANA

Deixe uma resposta para Tarcísio Martins Cancelar resposta