APARÊNCIA

Antigamente as pessoas eram magras, sequinhas, leves. Como possuíam cintura fina, pesavam pouco na balança. Não tinham a indesejável barriga de cerveja. Basta olhar a foto de nossos antepassados para constatar a informação. Pelo visto, aparentavam gozar de saúde, apesar da magreza. Naquele tempo, obesidade era coisa rara. Dificilmente aparecia alguém acima do peso. Massudo. Rechonchudo. Redondinho.

Então, por que razão o indivíduo atual geralmente tem saliência avantajada. É gorducho, tem cintura larga. É por que come mais? Existem mais alimentos disponíveis hoje do que ontem?

Alegam os entendidos que existem vários motivos para essa mudança de hábito. Como os automóveis eram poucos utilizados e o transporte púbico quase não existia, as pessoas caminhavam mais. Costumavam andar a pé, em longas distâncias, naturalmente. Já que telefone era coisa de rico e internet para troca de informações, o mundo desconhecia. Nem sonhava com esse sistema de comunicação moderno.

Pra começar, as crianças não tomavam leite adocicado, sem o exagero de açúcar. O leite era puro e guloseimas achocolatadas eram desconhecidas. Refrigerantes, também eram raridade, praticamente só apareciam em tempos de festa, na comemoração de aniversários.

O vício das marmitas não existia e todo mundo costumava almoçar em casa, saboreando comidinha saudável, feita no fogão caseiro, geralmente de lenha. Sem nenhum pingo de sódio ou gorduras saturadas. Fato muito comum hoje em dia nas refeições congeladas, enlatadas e industrializadas. Como nem todo mundo podia comer carne diariamente por causa do preço, caro, as famílias se viravam na mesa, saboreando mais vegetais e ovos.

Nas pesquisas para avaliar a mudança de saliências corporais, o excesso de massa corporal em vez de aparência musculosa, dada a existência de academias na atualidade, a prática de exercícios físicos, a regulagem no consumo de calorias, a preocupação em ingerir nutrientes e proteínas na quantidade recomendada pelos nutricionistas, os cientistas chegaram a conclusões, comprovadas.

A exposição ao consumo de substâncias químicas, geralmente tóxicas, frequente nas embalagens que guardam os alimentos, o hábito de tomar remédios pouco recomendados, aqueles de tarja vermelha e preta, que necessitam de prescrição médica é um dos motivos do excesso de pessoas corpulentas. A facilidade de tomar remédios sem a autorização de especialista, outra razão de gente balofa.

Depois dos 70, a procura por produtos de origem animal, normalmente tratados com hormônio e antibióticos para aumentar o peso e encurtar o tempo de criação no campo, servem de estímulo para salientar a massa corpórea das pessoas de hoje.

Nesse aspecto, a Universidade York, de Toronto, Canadá, não teve dificuldade para atestar a causa das pessoas dos anos 20 apresentarem muito mais peso do que os homens dos anos 30 e assim por diante. Apesar de muitos mostrarem preocupação com a dieta e com os exercícios físicos. Atividades e preocupação pouco comuns nos anos 80.

Na praia, onde as pessoas usam pouca roupa, dá para verificar a enorme diferença na massa corpórea das pessoas, especialmente as de origem ocidental. Para uns, a genética também tem contribuído para o indivíduo de hoje ser mais redondinho. Aspecto bem diferente dos anos 50.

A modernidade e o conforto alteram o ambiente. Modificam a composição do gene. Deixa o pessoal que frequenta academias na dúvida, procurando entender a causa de a frequência das atividades físicas não ajudar a reduzir o peso, diminuir a massa corporal, reduzir drasticamente os quilinhos a mais, altamente indesejáveis que elliminam a aparência de atleta.

Atualmente, o jovem sonha com a bela compleição física. Aspira adquirir com o uso de equipamentos das academias, esteira, bicicleta, abdominais, exercícios aeróbicos, corrida e caminhada, aquela invejável barriga de tanquinho, ombros largos e cintura fininha para impressionar a gata.

No entanto, os dados intranquilizam. Segundo o Ministério da Saúde, baseado na pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas, datada de 2014, mais da metade da população brasileira está acima do peso. Cerca de 52% da população adulta apresenta aqueles quilinhos a mais. Cintura arredondada. Barriga saliente. Altamente cabulosas.

A maioria das pessoas está com sobrepeso. Tem o Índice de Massa Corpórea (ICM) anormal. Bom motivo para ser considerada obesa porque esqueceu de emagrecer. Embora capriche nos exercícios físicos. Consuma dieta equilibrada. Tenha vergonha do peso anormal. Sinal dos tempos modernos. Infelizmente.

Deixe uma resposta