A PALAVRA DO EDITOR

Lembra-me o colunista fubânico Jessier Quirino que hoje, 17 de março, é o dia de nascimento do notável pernambucano Antônio Maria.

Antônio Maria Araújo de Morais foi cronista, comentarista esportivo, poeta e compositor brasileiro.

Nasceu em Recife no ano de 1921, e encantou-se no Rio de Janeiro, em 1964.

Na flor da idade, com apenas 43 anos.

Uma figura pela qual sempre tive uma grande admiração, desde os meus tempos de adolescência.

Está feito o registro, meu Poeta.

Grato por ter me lembrado

Cliquem aqui e leiam um texto publicado na página da Fundação Joaquim Nabuco sobre esta figura extraordinária.

* * *

Nat King Cole interpretando “Ninguém de Ama”, de Antônio Maria

4 pensou em “ANTONIO MARIA

  1. Segundo o livro “Vinicius, o Poeta da Paixão”, Antonio Maria e Vinicius de Moraes eram primos. Descobriram essaa particularidade, em conversas com os parentes mais velhos dos dois.
    Quanto ao Nat King Cole, eu tenho esse LP aqui em casa e é, um dos preferidos do meu pai!!!

  2. Vinicius de Moraes o chamava por: Maria, Meu Maria. Menino Grande… Era uma figura desengonçada que comia e bebia de forma descontrolada, o que acelerou o seu problema cardíaco que o mataria pouco tempo depois. Tem uma história dele em Paris que é ótima.
    Estava, Vinicius, Antonio Maria e outros amigos, fazendo a ronda dos bares parisienses e Vinicius empapuçado de whisky, simula um desmaio em frente ao jardim do bar. Tá lá, desmaiado e Antonio Maria, conhecedor dos teatrinhos do amigo, diz apenas: Deixa comigo. Ele só precisa respirar. Afrouxa então o cinto e abre a calça do Vinicius, que pula imediatamente protestando, dizendo que não usa cuecas e que ficaria pelado no meio da rua. Fica com raiva do Menino Grande, mas logo depois estão abraçados bebendo e rindo muito da situação.

  3. DEMOROU MUITO TEMPO, MAS ENFIM O JBF PUBLICOU ALGUMA COISA
    SOBRE ESSE EXTRAORDIÁRIO PERNAMBUCANO, CUJA CARREIRA ACOMPANHEI NO RJ.

    Sempre considerei Antonio Maria como uma estrela, um STAR da noite carioca e um
    homem de grande inteligência, respeitado, amado e considerado um dos personagens mais importantes dos intelectuais do RJ.
    Você não saberia dizer em qual especialidade ele era melhor, Jornalista, Reporter, Radialista, Cronista, ou Compositor.
    Como compositor foi arrasador, suas composições são a nata da musicalidade
    carioca, chegou até a ser gravado pelo magistral Nat King Cole.

    Sua paixão, fóra a música, foram as mulheres bonitas que o perseguiam, pois
    era uma figura de grande imponência, uma inteligência avassaladora e com
    tudo isso, apesar dos seus mais de cem quilos, enorme e um tanto brutal,
    se apaixonou perdidamente por uma das mais importantes socialite do RJ,
    que na época era casada com um dono de importante Jornal, homem famoso e
    de grande poder. Pois o nosso Antonio Maria conseguiu conquista-la e leva-la para
    morar com ele. Ele a mantinha sob severa proteção, pois morria de ciumes,
    e reconhecia que era um homem, grande, gordo e um tanto desajeitado e ela uma mulher famosa de grande prestigio na sociedade brasileira, seu nome
    DANUSA LEÃO, irmã da cantora Nara Leão. Danusa era uma mulher belíssima,
    de prestigio e frequência internacional, mas caiu sob o fascinio de um dos
    homens mais inteligentes da época.
    Sempre admirei e acompanhei a carreira de Antonio Maria e ainda hoje sinto a sua
    falta, mesmo longe do RJ, mesmo reconhecendo que àquele Rio de Janeiro
    deixou de existir há muito tempo, pois os grandes já não existem mais, hoje só
    resta o caldo azedo espumoso, sem mais aquela alegria contagiante de
    personalidades que faziam a diferença.

Deixe uma resposta